(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Futuro da economia brasileira em debate na ACIA

Economia Comentários 26 de maio de 2016

Encontro reuniu políticos, empresários e lideranças comunitárias em geral


Iniciativa da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, foi realizado, na noite de segunda-feira, 23, o seminário sob o título “Perspectivas para o empresariado com o novo governo - ACIA acredita no Brasil O evento teve como debatedores o Senador Ronaldo Caiado, do Democratas e o empresário Ubiratan da Silva Lopes, Presidente da Federação das Associações Comerciais, Industriais e Agropecuárias do Estado de Goiás (FACIEG) com a presença de destacadas lideranças empresariais, políticas e comunitárias. O encontro aconteceu no Auditório “Alexis Salomão” e foi mediado pelo Presidente da ACIA, empresário Anastácios Apostolos Dagios.
O Presidente esclareceu que a ACIA pretende convidar os congressistas goianos para debates e seminários semelhantes. “O primeiro dos convidados foi o Senador Ronaldo Caiado, mas queremos contar com todos os integrantes da bancada federal de Goiás, para apresentarmos as reivindicações e as demandas do setor produtivo. Queremos que o empresário volte a ser protagonista no País, que ele tenha força de expressão e que seja ouvido pelo poder constituído quando da tomada de decisões que envolvam a economia nacional”, disse o Presidente da ACIA. Na primeira parte do seminário, o presidente da FACIEG, Ubiratan da Silva Lopes e o Senador Ronaldo Caiado discorreram sobre a atual situação sociopolítica e econômica do Brasil, particularmente em Goiás e, por conseguinte, em Anápolis e na segunda, os debatedores responderam a mais de uma dezena de perguntas encaminhadas por diretores e por assistentes da plateia.
O Presidente da FACIEG, empresário Ubiratan da Silva Lopes, discorreu sobre a crise que assola o Brasil, com destaque para o desemprego que atinge, hoje, a mais de 11 milhões de brasileiros. Falou, ainda, sobre a necessidade da adoção imediata de medidas saneadoras no campo da economia e cobrou a presença mais enfática da classe política para o encaminhamento de soluções que acenem com boas perspectivas para o empresariado em geral. De acordo ele, o empresariado quer reformas urgentes, principalmente na questão tributária e alegou que é preciso que um governo forte introduza medidas concretas de recuperação econômica. Falou sobre a oferta de mais postos de trabalho e de segurança jurídica para que os empresários voltem a acreditar e a investir no País.

Fala de Caiado
O orador seguinte do Seminário foi o Senador Ronaldo Caiado. Ele, fez duras críticas ao Governo Lula/Dilma, a quem atribuiu o “desastre econômico implantado no País”, classificando a política adotada como improdutiva e de retrocesso. Falou sobre o desperdício do dinheiro público, sobre desvios de verbas e do corporativismo existente no Governo Federal, com destaque para o excesso de ministérios, de servidores fantasmas e que o atual governo (Michel Temer) tem pouco mais de dois anos e meio para colocar o País nos trilhos. Para Caiado vai ser “uma pedreira, mas temos de enfrentar o desafio”, assegurando que é preciso se fazer o desaparelhamento do Governo e reverter o quadro, classificado como sombrio, dos mais de 11 milhões de desempregados. “Este número não está fechado. Pode ser, até, mais. Coisa de 14 milhões de trabalhadores sem ocupação”, justificou o Senador do Democratas. Ele demonstrou, também, confiança na equipe econômica do atual Governo, comandada pelo anapolino Henrique Meirelles.
Ronaldo Caiado exortou a classe empresarial a que reaja, que bata às portas do Governo, assim como fizeram as instituições ligadas aos sindicatos e outras organizações de trabalhadores. Conforme o Senador Caiado, “está na hora de se virar o jogo e não achar que tudo está resolvido só com o afastamento da Presidente Dilma Rousseff. “Não está, definitivamente. Ainda há muito o que ser trabalhado. O Governo tem de ganhar tempo, tem de adotar medidas saneadoras imediatas para reconquistar a confiança do povo brasileiro. O parlamentar democrata adiantou que a retomada do crescimento passa, primeiro, pela convivência harmônica de empregados e patrões. De acordo com ele, “sem empresa não tem trabalho, sem trabalho não tem renda”.

Manifesto pela água
Ainda esta semana a ACIA fez circular um manifesto intitulado “Carta Aberta ao Governo do Estado”, em que cobra providências urgentes da SANEAGO no sentido de se resolver, imediatamente, a questão da oferta de água potável em Anápolis. Cópia do documento foi enviada ao Governador Marconi Perillo, e nele alega-se que foram esgotadas todas as tentativas de se resolver administrativamente, o problema. O comunicado oficial do descontentamento ao Governador foi apontado como “última alternativa” depois de serem acionadas a SANEAGO, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e outros órgãos ligados ao setor. De acordo com o Presidente Anastácios Apostolos Dagios, a ACIA vai insistir nesse tem até que a situação seja resolvida. Novamente foram apontadas as três providências julgadas necessárias para a equação do problema: ligação imediata do canal entre os ribeirões Capivari e Piancó; ativação do plano emergencial para reforçar-se o sistema e a elaboração de um plano macro para a politica de saneamento em Anápolis com vistas aos próximos 20 a 30 anos.

Autor(a): Nilton Pereira

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...