(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Funcionário faz denúncia contra rede varejista

Geral Comentários 07 de fevereiro de 2014

Foi comprovado pelo órgão que a loja não estava fornecendo vale alimentação. Outros empregadores também podem estar descumprindo os direitos dos trabalhadores do comércio


Nesta semana, chegou ao Ministério do Trabalho e Emprego da Regional de Anápolis a denúncia de que uma das maiores rede de lojas de eletroeletrônicos do país, a Ricardo Eletro, estaria descumprindo os direitos trabalhistas adquirido pela classe dos trabalhadores do comércio na cidade. O reclamante alegou não receber vale alimentação.
O subdelegado do Ministério do Trabalho e Emprego Regional de Anápolis, Degmar Perira, explica que a denúncia partiu de um vendedor que trabalha na loja Ricardo Eletro. O direito ao vale alimentação foi estabelecido na convenção coletiva de 2013 dos sindicatos do comércio varejista e do empregado no comércio.
A empresa foi acionada imediatamente e justificou que durante a convenção não foi estabelecido um valor exato e, por isso, não sabia de quanto deveria ser pago a cada e se comprometeu a regularizar a situação de imediato. funcionário. Porém, o valor deve ser baseado no vale alimentação do fornecido pelo SESC, que gira em torno de pouco mais de R$5 por dia.
Durante a semana, surgiram suposições de que vários outros proprietários de comércios da região central da cidade também não estariam pagando o Vale Alimentação para os funcionários. Mas o subdelegado garante essa foi a única denúncia recente de descumprimento dos direitos dos trabalhadores do comércio em Anápolis. “Se existir outras pessoas nessa situação precisamos que elas façam a denúncia no Ministério do Trabalho e Emprego, eu tenho apenas quatro fiscais e não podemos bater de loja em loja para verificar. Precisamos trabalhar com denúncias concretas, como essa que ocorreu agora”.
O s trabalhadores do comércio de Anápolis devem estar atentos a seus direitos como vale transporte, vale alimentação, piso salarial da categoria, horas extras, repouso semanal remunerado, além dos direitos trabalhistas celetistas como 13°, férias, licença maternidade, FGTS e outros.

Autor(a): Wanessa Mereb

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Cartões do Renda Cidadã estão no radar do MPF

20/04/2018

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), por meio de sua Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), instaurou, na últi...

Memorial resgata parte da história do classismo e da economia local

20/04/2018

Um acontecimento casual levou à descoberta de um acervo importante para o resgate da história da Associação Comercial e I...

Mãe se diz punida, apenas, pelo seu inconformismo

20/04/2018

Desde a morte do filho, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, ocorrida em novembro de 2014, quando o mesmo contava, então, com 24 ano...

PRF se engaja em campanha “Eu sou do bem, Eu sou de Deus”

20/04/2018

Na manhã da última quarta-feira, 18, mais um passo importante foi dado para tornar nacionalmente difundida a campanha “Eu...