(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Fórum de empresários reage contra a política de juros

Economia Comentários 08 de janeiro de 2016

ACIA participa de movimento que busca salvar a economia nacional


Por iniciativa do Fórum Democracia Ativa, entidade que reúne representantes dos mais variados segmentos econômicos de Goiás, aconteceu mais um encontro de trabalho, com o objetivo de se buscarem alternativas que viabilizem a economia do Estado e, consequentemente, do País. O coordenador do Fórum é o empresário José Alves Filho, fundador e presidente emérito da ADIAL (Associação Pró Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás) que defende uma imediata redução da Taxa SELIC, que dita os rumos da política de juros no Brasil, como a única saída em curto prazo para se recolocar a economia brasileira nos eixos. Segundo ele, caso isto não ocorra, vai ser observada uma situação caótica sem precedentes e de resultados imprevisíveis. “As empresas não suportam mais essa política de arrocho. Os empresários têm de reagir e tem de ser agora. Não podemos, mais, ser vistos como ‘vacas de presépio’ (referindo-se às figuras de animais imóveis vistos nos presépios de Natal) sob pena de vermos nossas empresas iriem à bancarrota”, disse ele, durante encontro promovido no salão de eventos da Faculdade Alfa, em Goiânia.
O empresariado anapolino se fez representar por um grupo de dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA) sob o comando de seu Presidente, empresário Anastacios Apostolos Dagios. De acordo com Anastacios, o caminho, de fato, é este. “Se quisermos recompor nossa economia que vai de mal a pior, com o aumento do desemprego, com a queda nas vendas, a diminuição do faturamento e o sucateamento das empresas, principalmente das indústrias, temos de exigir dos políticos e governantes, que revejam essa madrasta taxa de juros que é insuportável”, declarou o Presidente da ACIA. Ele disse, mais, que o empresariado de Anápolis apoia as iniciativas do Fórum Democracia Ativa, pois, vê nele uma forma de manifestação legítima da contrariedade que existe no meio empresarial.
Exposição de motivos
Com o apoio de professores da área de Economia da Faculdade Alfa, os organizadores do Fórum demonstraram toda a preocupação, tendo por base pesquisas e estatísticas oficiais, várias delas elaboradas pelos mais conceituados institutos e estabelecimentos ligados à produtividade e à economia avançada do Brasil.
Para estes especialistas, o desenvolvimento nacional está estrangulado por diferentes motivos e a situação tende a se agravar caso não sejam adotadas medidas políticas para a modificação de grande parte das leis que regem o sistema econômico nacional. “Mas, a grande preocupação, no momento, é a taxa SELIC, definição do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. Trata-se de um índice pelo qual as taxas de juros cobradas pelos bancos no Brasil se balizam. A taxa é uma ferramenta de política monetária utilizada pelo Banco Central do Brasil para atingir a meta das taxas de juros estabelecida pelo Comitê de Política Monetária (Copom)” declarou José Alves Filho. Seu posicionamento foi corroborado pelos demais participantes do Fórum que, com base em farta documentação, foram informados dos rumos e das tendências da economia brasileira a partir de agora.
A principal novidade desta fase do Fórum é que os trabalhadores, através de seus sindicatos e outras representações, estão sendo chamados à discussão. Segundo o Presidente do Fórum, empresário José Alves Filho, o fracasso das empresas é, também, o fracasso dos trabalhadores. “Empresas fracas diminuem a produtividade e, consequentemente, demitem trabalhadores. Por isso, é importante que eles estejam juntos conosco nesta luta” sentenciou.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ministério Público quer implantar nova tecnologia para monitorar os preços dos combustíveis

21/09/2017

O projeto MP de Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás em parceria com o governo estadual com o obje...

Preços dos combustíveis variam até mais de 36% nos postos

21/09/2017

O Procon de Anápolis realizou, entre os dias 12 e 14 de setembro, pesquisa para aferir a variação de preços dos combustí...

Balança comercial registra o 44º superávit consecutivo

21/09/2017

O secretário de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes comemorou na última quarta-feira, 13, o resultado da balança comer...

Anápolis é a cidade do Estado com mais vagas de emprego

21/09/2017

O Sistema Nacional de Emprego é uma instituição criada pelo Governo Federal, com objetivo de promover a interação entre ...