(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

“Fogo amigo” é disparado contra diretor da CMTT

Política Comentários 17 de maro de 2012

Clima esquentou no parlamento anapolino, por conta de declaração feita pelo diretor da autarquia, dizendo que obra na Avenida Universitária não atendeu pedido de vereador


A sessão ordinária da Câmara Municipal, realizada na última quarta-feira, 14, iria terminar de forma tranquila. Mas, o clima foi quebrado por declarações de vereadores que compõem a base de sustentação do Prefeito Antônio Gomide, que reclamaram da atuação do diretor da Companhia Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), Tenente Coronel Sidney Pontes.
O caso foi levantado por que, em entrevista à Rádio São Francisco, o diretor da CMTT, ao falar sobre as melhorias que serão executadas na Avenida Universitária para melhorar as condições de tráfego na região, onde estão algumas instituições de ensino superior, disse que o benefício não seria para atender, especificamente a nenhum vereador e, sim à comunidade, mas que não via nenhum problema em ver a atuação política reivindicando tal benefício. Há alguns dias, o vereador Mauro do INPS, como é mais conhecido, já havia se pronunciado sobre os problemas estruturais da Avenida Universitária que, segundo ele, não está comportando o grande fluxo de veículos, além de outros problemas.
O presidente da Casa, vereador Amilton Batista (PTB), também da base governista, elevou ainda mais o tom das críticas, dizendo que o diretor agiu de maneira desrespeitosa com os vereadores que, segundo ele, têm instrumentos oficiais de fazer as reivindicações em nome da comunidade, citando o que fora relatado pelo colega Maurão, que disse ter sido autor de alguns pedidos para que a autarquia realizasse melhorias na Avenida Universitária.
“Ele (o diretor da CMTT) está equivocado e muito mais o Prefeito. O diretor não serviu para ser comandante na Polícia Militar, foi reprovado na sua corporação”, disparou Amilton Batista, acrescentando que o Prefeito Antônio Gomide, nesta área, ou seja, na CMTT, não teria acertado nas indicações dos dois diretores: o atual, Sidney Pontes e o anterior, Edson Perez. E, por fim, criticou o fato de que as nomeações para a autarquia serem de pessoas ligadas à Polícia Militar. “Isso não é está certo, parece uma coisa combinada, casada”, frisou.
O vereador Valmir Jacinto (PTC), que é militar e conhecido por sua atuação na área de segurança pública, afirmou concordar em parte com as críticas feitas pelos colegas e observou que a CMTT, hoje, estaria com uma divisão de forças entre a Administração, a Engenharia de Tráfego e a Fiscalização (Agentes de Trânsito), o que seria um empecilho à realização de um bom trabalho no órgão. Ele saiu em defesa de Sidney Pontes, dizendo que o mesmo “tem relevantes serviços prestados à Polícia Militar e à segurança pública no Município, já colocando a vida em risco”. Mas, segundo ressaltou, não está encontrando o apoio necessário para uma boa gestão no cargo.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Política

Ronaldo Caiado acusa Governo de usar dados para mascarar crise do Estado

08/11/2018

O governador eleito Ronaldo Caiado (Democratas) cobrou maior transparência nos dados repassados à equipe de transição pel...

Partido realiza ação social em prol da Casa Joana

08/11/2018

O Democratas Mulher Anápolis irá realizar nesta sexta-feira, 09, a partir das 09 horas, em Anápolis, uma manhã odontológ...

Vereador exige explicações para aumento da energia elétrica em Goiás

08/11/2018

O vereador João da Luz (PHS) informou na tribuna, durante a sessão ordinária da última quarta-feira,07, que esteve em Bra...

Ronaldo Caiado terá muitos desafios para enfrentar em sua terra natal

02/11/2018

Não dá para falar que se trata de uma “herança maldita”. Mas, dá para dizer que os “gargalos” de Anápolis vão o...