(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

FECOMÉRCIO: Presidente analisa momento econômico nacional

Economia Comentários 21 de maio de 2015

José Evaristo dos Santos diz que a crise tende a aumentar, mas é preciso enfrentá-la


Presente em Anápolis para falar aos empresários locais sobre o atual momento por que passa a economia nacional, o Presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás, empresário José Evaristo dos Santos participou da Reunião Ordinária de Diretoria da ACIA, na noite de quarta-feira, 20, e fez um apanhado histórico sobre o desenvolvimento do País, sobre a crise que atinge variados setores e discorreu sobre a força da atividade comercial no Brasil. Ela representa um quarto de todo o Produto Interno Bruto e emprega 16 milhões de trabalhadores. Outro destaque do Presidente da FECOMERCIO foi quanto à atividade classista do setor. No País, segundo ele, existem quase mil sindicatos distribuídos em 34 federações que agregam 22 milhões de empresas.


Em sua palestra, o Presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás, assegurou que a crise internacional que eclodiu há alguns anos na Europa e nos Estados Unidos, de fato, afetou o Brasil. Mas, o dirigente classista disse que os países mais atingidos estão superando o problema e muitos deles já se recuperaram plenamente. O quadro no Brasil, segundo José Evaristo, é preocupante. Ele disse que o País está em situação muito pior do que a maioria das nações latino-americanas. De acordo com ele, o comércio exterior do Brasil é deficitário, a balança comercial está cada vez mais defasada e, o Real, mais desvalorizado frente a outras moedas. “Sem contar que existe uma crise política em paralelo”, justificou, ao abordar, também, os problemas enfrentados pelo Governo Federal junto aos partidos políticos, ao Congresso Nacional e outros setores importantes, assim como a baixa popularidade da Presidente da República e os escândalos econômicos e políticos, cujos autores estão demorando a ser punidos. Acabou por discorrer sobre o baixo grau de confiabilidade dos empresários face ao atual estado de coisas.


Soluções


Mesmo considerando a gravidade da crise econômica e política que se instalou no Brasil, o Presidente da Federação do Comércio de Goiás disse que nem tudo está perdido. Segundo ele, existem, hoje, sete milhões de desempregados e o índice continua aumentando.  Outro dado revelado dá conta de que 61 por cento das famílias brasileira estão endividadas de alguma maneira. Em Goiás, este índice é de 59 por cento. José Evaristo considera que o déficit fiscal do Brasil é “gigante e o déficit externo é enorme”. Sem contar que a inflação já beira os oito por cento, muito acima do previsto para o ano todo.


Mas, o Presidente da FECOMERCIO falou que o empresariado brasileiro defende algumas teses fundamentais para o soerguimento da economia nacional. “Queremos uma reforma tributária profunda; um reforma no processo de indicações de nomes para o Judiciário; uma reforma no Código de Processo Penal; menor carga tributária do governo sobre o contribuinte; transparência na aplicação de recursos e, principalmente, combate sistemático à corrupção”, destacou.


Disse, mais, que, para enfrentar a crise, os empresários precisam investir na diversificação de seus produtos; fazer promoções; desenvolver novas formas de prazos para pagamento; criar dispositivos para conseguir mudanças que possibilitem o aumento da produtividade, controlar custos e estoques e, principalmente, evitar endividamentos.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...