(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Falta de planejamento é o maior desafio do trânsito

Trânsito Comentários 28 de julho de 2009

Problema comum às médias e grandes cidades brasileiras, o crescimento no número de veículos em circulação é um dos principais desafios da Administração Municipal


O trânsito caótico nas ruas e avenidas, principalmente da região central em Anápolis, tem se tornado um desafio para sucessivas administrações. A cidade, que nasceu sem ser planejada, sofre, hoje, um dos males das grandes comunidades: engarrafamentos e muitos acidentes. Para a falta de planejamento do passado, só há um remédio agora: planejar para o futuro.
Em entrevista ao CONTEXTO, o diretor da Companhia Municipal de Trânsito e Transporte, Tenente Edson Perez, disse que uma alternativa que está sendo buscada é a elaboração do Plano de Mobilidade, que contará com técnicos especializados em engenharia de tráfego. Entretanto, ele ressaltou que só fazer intervenções para melhorar o fluxo de veículos nas vias não é suficiente. Segundo ele, é necessário, sobretudo, muito investimento na educação de base. Ou seja, para formar motoristas e pedestres mais conscientes.
Aliás, o prefeito Antônio Gomide, na entrevista concedida ao Jornal Contexto, para fazer um balanço dos seis primeiros meses de sua gestão, adiantou que o mote do Plano de Mobilidade Urbana será o pedestre. Conforme relatou, a cidade carece de uma sinalização mais adequada e, também, de meios para garantir acessibilidade aos portadores de deficiência física.
O chefe do Executivo, entretanto, não estabeleceu prazo para o início das ações. Gomide salientou que antes de qualquer mudança, é necessário discutir a mesma com as partes interessadas. No setor central, por exemplo, debater com os comerciantes quais as medidas mais adequadas para que a intervenção contribua na sua revitalização.
Atualmente, de acordo com o IBGE - com base em informações do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) - a frota circulante em Anápolis é de é de 133.300. Mas, para a CMTT, esse número deve chegar bem próximo de 150.000. Só motocicletas, também conforme dados do IBGE, são 30.523. E a quantidade tem aumentado, na mesma proporção em que aumenta a preocupação das autoridades de trânsito com o número crescente de acidentes envolvendo este tipo de veículo. E o que é pior, com um índice maior de letalidade em relação ao automóvel.


Frota de Anápolis (IBGE/2008)

72.528
Automóvel

7.946
Caminhão

1.392
Caminhão/Trator

10.096
Caminhonete

227
Micro-ônibus

30.523
Motocicleta

9.431
Motoneta

1.154
Ônibus

3
Trator de rodas

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Trânsito

Veículo clonado pode trocar de placa

02/11/2018

A portaria nº 854/2018 do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) estabelece a substituição dos caractere...

Plano para a redução de mortes e lesões no trânsito

27/09/2018

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, apresentou, na última terça-feira,25, em Brasília (DF), o Plano Nacional de Redu...

Semana Nacional do Trânsito tem simulador de impacto em Anápolis

20/09/2018

Pode parecer pouco, mas se um condutor que dirige um veículo sem cinto de segurança a 6 km/h, sofre uma colisão, com o imp...

Justiça móvel já atendeu a mais de 100 mil casos

05/07/2018

De acordo com dados do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do Tribunal de Justiça do Estado...