(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exportações por Anápolis fecham 2017 com queda preocupante

Economia Comentários 12 de janeiro de 2018

Anápolis terminou 2017 no 22º lugar no ranking nacional dos importadores do País e em 293º lugar entre os exportadores


As exportações feitas por Anápolis fecharam o ano de 2017 com uma queda de 31,02% frente ao ano de 2016, conforme os dados da balança comercial dos municípios, divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Já, as importações tiveram uma situação inversa, crescendo, na avaliação do mesmo período: 38,19%. Esse resultado ajudou a alavancar a corrente de comércio, que é o resultado da soma das exportações e importações, que fechou com crescimento de 29,51% frente a 2016.
Conforme os dados do MDIC, no ano passado, as exportações feitas por Anápolis registraram um volume de US$ 115,4 milhões. Em 2016, havia fechado em US$ 167,4 milhões, pior resultado desde 2011. As importações alcançaram, no ano passado, volume de US$ 1,614 bilhão, contra US$ 1,168 de 2016, que foi o pior resultado da série histórica desde 2010. A reação das importações é um bom sinal, em razão de que o parque industrial do Município, que consome muitos insumos estrangeiros, está reagindo à crise. Se está comprando mais, deve, também, estar produzindo e vendendo mais. A corrente de comércio, no ano passado, graças à elevação das importações, fechou em US$ 1,730 bilhão, contra US$ 1,335 bilhão.
Os principais destinos das exportações feitas por Anápolis, em 2017, foram: Países Baixos/Holanda (85,61% de participação); China (1,85%); França (1,76%); Cuba (1,41%); Romênia (1,21%); Coréia do Sul (1,10%); Argentina (1,02%); Estados Unidos (0,90%) e Bolívia (0,73%).
Os principais fornecedores internacionais, em 2017, foram: Alemanha (25,58% de participação); Coréia do Sul (21,20%); Estados Unidos (16,96%); Suíça (9,79%); China (5,92%); Índia (5,45%); Japão (3,69%); Itália (2,51%); Canadá (1,21%) e México (1,05%).
No somatório das importações e importações, o maior volume de comércio exterior com Anápolis (a participação nas exportações feitas por blocos econômicos) estão na liderança a União Europeia - UE (89% de participação); Associação Latino Americana de Integração - ALADI (4,68%); Ásia - menos Oriente Médio (1,55% de participação); África (1,55%); sem agrupamento específico (1,30%) e demais blocos (0,35%). Já, com relação às importações por bloco, em primeiro lugar vem a Ásia - menos Oriente Médio (36,80% de participação); União Europeia - UE (30,99%); sem agrupamento específico (18,18%); Associação Europeia de Livre Comércio - AELC (9,79%) e demais blocos (1,66%).
O complexo soja lidera, disparado, a participação nas exportações feitas por Anápolis, com cerca de 90% do volume registrado no ano de 2017. A lista, também, tem medicamentos, adubos, materias de construção, entre outros produtos. Quanto às importações, a pauta é liderada pelos insumos para a indústria farmacêutica e, também, peças e partes de veículos, além de ferramentas e máquinas de diversos tipos, entre outros produtos.
RANKING
Os dados do MDIC permitem fazer um ranking entre os maiores exportadores e importadores. Em Goiás, os 10 municípios que tiveram maior volume de exportações foram: Rio Verde; Alto Horizonte; Barro Alto; Jataí; Itumbiara; Ouvidor; Palmeiras de Goiás; Luziânia, Mozarlândia e Catalão. Anápolis aparece na 18ª posição.
Os maiores importadores, foram: Anápolis; Catalão; Goiânia; Rio Verde; Itumbiara; Jataí; Senador Canedo; Cristalina, Nerópolis e Barro Alto.
No ranking nacional dos exportadores, Rio Verde, que é o primeiro da lista em Goiás, ocupa o 53º lugar. Anápolis aparece na 293º colocação. No ranking nacional dos importadores, Anápolis (primeiro no Estado) é o 22º na lista do País.


Evolução das exportações
por Anápolis

(US$-FOB)

2007 - 36.958.163
2008 - 17.038.234
2009 - 68.157.340
2010 - 51.441.404
2011 - 239.098.987
2012 - 245.777.146
2013 - 271.265.800
2014 - 288.029.886
2015 - 241.515.639
2016 - 167.415.459
2017 - 115.479.927
Evolução das importações
por Anápolis

(US$-FOB)

2007 - 771.125.350
2008 - 1.361.134.215
2009 - 1.504.176.570
2010 - 2.517.817.959
2011 - 3.168.242.230
2012 - 2.249.090.530
2013 - 2.312.386.954
2014 - 2.167.152.488
2015 - 1.697.052.383
2016 - 1.168.414.679
2017 - 1.614.610.271
Exportações/Ranking


Goiás-Brasil

1º Rio Verde - 53º
2º Alto Horizonte - 115º
3º Barro Alto - 133º
4º Jataí - 140º
5º Itumbiara - 146º
6º Ouvidor - 158º
7º Palmeiras de Goiás - 159º
8º Luziânia - 161º
9º Mozarlândia - 179º
10º Catalão - 225º

Importações/Ranking


Goiás-Brasil

1º Anápolis - 22º
2º Catalão - 56º
3º Goiânia - 161º
4º Rio Verde - 168º
5º Itumbiara - 211º
6º Jataí - 238º
7º Senador Canedo - 254º
8º Cristalina - 292º
9º Nerópolis - 310
10º Barro Alto - 410º

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Economia

Lançadas duas novas linhas de crédito

16/11/2018

A GoiásFomento está lançando duas novas linhas de crédito que serão oferecidas aos micro e pequenos empresários goianos...

Aplicativo de controle ‘Olho na Bomba’ já funciona em Anápolis

16/11/2018

Considerado uma ferramenta moderna que ajuda o consumidor a economizar na hora de abastecer o seu veículo, o aplicativo Olho...

Caoa Chery planeja produzir três modelos SUVs na planta de Anápolis

08/11/2018

O Polo Automotivo de Goiás dará um novo salto com os anúncios de investimentos para ampliação do parque industrial e o l...

Contribuintes podem quitar débitos com desconto até dia 19

02/11/2018

Vai até o dia 19 de novembro o prazo para os contribuintes em débito com o ICMS, IPVA e ITCD regularizem a situação fisc...