(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exportações quebram recorde histórico para o mês de fevereiro

Economia Comentários 09 de maro de 2012

Os números da balança comercial, segundo a Secretaria de Indústria e Comércio, mostram que a economia goiana continua com bom nível de desempenho


As exportações goianas de fevereiro atingiram a marca de US$ 380,526 milhões, configurando recorde no histórico das exportações goianas para o período. O valor representa crescimento de 30,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. As importações chegaram a US$ 421,773 milhões e também representaram o maior valor para o mês. Com isso, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) chegou a US$ 800,299 milhões. O aumento das importações gerou saldo comercial deficitário de US$ 41,426 milhões.
As carnes (bovinas, aves e suínas) continuam liderando os produtos exportados por Goiás representando 25,5% das vendas, soja (19,5%), sulfeto de cobre (17,2%), ferroligas (12,7%), couros e derivados (4,7%), açúcar (3,8%), amianto (2,4%), algodão (1,9%), preparações alimentícias (1,6%), outros produtos de origem animal (1,4%), ouro (1%), seguidos de milho, produtos químicos orgânicos e aparelhos de precisão. A China, sexta colocada no ranking de janeiro, voltou a liderar o destino dos produtos goianos com participação de 20,66% do total exportado. Na sequência vem a Índia, Espanha, Rússia, Países Baixos (Holanda), Reino Unido, Hong Kong, Estados Unidos, Tailândia e Arábia Saudita.
O secretário de Estado de Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, ressalta a importância das exportações voltarem crescer, mesmo se comparadas com o ano passado, que teve o melhor desempenho na história da balança comercial goiana. “Precisamos continuar trabalhando muito para conseguirmos manter esse crescimento de forma consistente. O governador Marconi Perillo tem nos apoiado incondicionalmente para que, em conjunto com o segmento empresarial, continuemos a buscar novos mercados para os produtos goianos”, afirma.
Nas importações, os produtos que mais se destacaram foram veículos automóveis e suas partes, medicamentos, colheitadeiras de algodão, outras partes e acessórios de carrocerias para veículos automóveis, anticorpo humano com antígeno transmembranal, motores diesel, tratores e cloreto de potássio, fornecidos pela Coreia do Sul, Japão, Alemanha, Estados Unidos, Tailândia, Suiça, China, Holanda, Argentina e França.
Sobre as importações, o secretário cita o exemplo dos principais produtos comprados no mercado externo, para demonstrar que são importantes na composição do nosso setor produtivo.

Acumulado
Nos dois primeiros meses do ano, Goiás exportou US$ 761,227 milhões e importou US$ 697,085 milhões, resultando em superávit (saldo positivo) de US$ 64,142 milhões. As exportações goianas obtiveram crescimento de 5,1% em relação ao ano passado, enquanto as importações caíram 11,3%.
Baldy destaca que o equilíbrio entre os dois pratos da balança é a demonstração de que a balança comercial goiana se solidifica a cada dia. “O equilíbrio em qualquer situação comercial é o que mais se aproxima do ideal”, finaliza o secretário.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Prazo para quitar os parcelamentos de dívidas com a Receita Estadual acaba na próxima segunda-feira

22/02/2018

Na segunda-feira, dia 26, termina o prazo para os contribuintes que parcelaram o ICMS, ITCD e IPVA quitarem seus débitos jun...

Balança comercial de Goiás tem o melhor mês de janeiro em 10 anos

22/02/2018

A balança comercial do mês de janeiro, divulgada pelo governo de Goiás por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômic...

Polo de defesa foi apresentado na embaixada da Suécia no DF

22/02/2018

O projeto de implantação do polo de defesa em Anápolis foi apresentado na embaixada da Suécia, em Brasília, na última t...

Inadimplência das micro e pequenas cresce no Brasil

16/02/2018

Em dezembro/2017 o número de micro e pequenas empresas inadimplentes chegou a 4,937 milhões, de acordo com estudo da Serasa...