(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exportações e importações têm queda no quadrimestre

Economia Comentários 19 de junho de 2014

Embora o resultado dos negócios internacionais aponte um desaquecimento, no ranking nacional, Anápolis melhorou posições no ranking nacional dos municípios


Uma notícia ruim e uma boa para Anápolis, no cenário dos negócios internacionais. O Município registrou uma queda no volume de exportações e importações no primeiro quadrimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Mas, outros municípios tiveram uma performance mais aquém e, em função disso, Anápolis conseguiu galgar melhores posições no ranking nacional da balança comercial dos municípios, que é divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
Conforme a estatística divulgada para o período de janeiro a abril deste ano, o volume das exportações atingiu US$ 72,6 milhões, enquanto que no mesmo período de 2013, esse valor foi de US$ 79,9 milhões, com uma diferença em torno de 9%. Já, as importações somaram, este ano, nos quatro primeiro meses, um volume de US$ 743,5 milhões, contra US$ 870,9 milhões do mesmo período do ano passado, com uma diferença a menor na casa de 15%. Embora não seja uma queda alarmante, ela é significativa e acompanha, de certa forma, o quadro nacional. De acordo com a sondagem feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a produção industrial no Brasil vem registrando quedas consecutivas há sete meses. Em maio último, o índice de evolução ficou em 48,4 pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. Abaixo de 50, mostram queda na produção. A Sondagem Industrial de maio foi feita entre 02 e 11 de junho com 2.077 empresas, das quais 813 são pequenas, 758 são médias e 506 são grandes.
Por outro lado, em janeiro, Anápolis ocupava a 482ª posição entre os maiores exportadores em nível nacional, subiu neste mês de abril para a 158ª posição neste ranking. Em relação às importações, o Município avançou apenas uma posição, passando do 25º para o 24º lugar. Em Goiás, no ranking de abril, Anápolis ocupa a sétima posição entre os municípios que mais vendem para outros países, ficando atrás de Rio Verde; Itumbiara; Barro Alto; Alto Horizonte, Palmeiras de Goiás e Mozarlândia. E, é líder no ranking estadual de importações. Fato que se justifica pelo seu parque industrial que abriga cerca de 20 indústrias farmacêuticas e uma montadora de veículos. Assim, os principais itens relacionados de compras de outros países são de insumos industriais químicos, peças de veículos e veículos. Enquanto que a pauta de exportações é liderada por produtos do complexo soja, medicamentos e carnes e equipamentos industriais.

Ranking nacional
No ranking brasileiro, a cidade de Parauapebas (PA), onde se situa a maior reserva mineral do mundo, a Serra de Carajás, é líder nas exportações, desbancando São Paulo (SP), que está na segunda posição. O município que lidera as importações é Manaus (AM) que, aliás, deverá ampliar por mais 50 anos os benefícios tributários da Zona Franca. O prazo se encerraria em 2023 e deverá ir, agora, até 2073, conforme a Proposta de Emenda Constitucional do Governo Federal que está em tramitação no Senado e já foi aprovada na Câmara dos Deputados.

Autor(a): CLaudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...