(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exportações e importações fecham ano com recordes animadores

Economia Comentários 30 de dezembro de 2011

Desempenho das exportações feitas através de Anápolis, foi o melhor desde o primeiro registro da balança comercial, divulgado no ano de 2000. Importações podem bater US$ 3 bi


Anápolis terá, este ano, a quebra de recordes na série histórica da balança comercial, desde a sua primeira divulgação, em 2000, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Isso mesmo, recordes, tanto nas exportações, como nas importações feitas pelo Município.
Conforme os números obtidos pelo CONTEXTO, de janeiro a novembro deste ano, as exportações realizadas por Anápolis, somam US$ 234,6 milhões e as importações US$ 2,730 bilhões. O saldo da balança comercial fechará negativo em US$ 2,496 bilhões, mas, particularmente, esse não é um resultado ruim para uma cidade com as características de Anápolis, que concentra grande número de indústrias. É sinal de que elas estão comprando muita matéria-prima e agregando valor aos seus produtos. Além de contribuir com os cofres municipais com boa parte do imposto oriundo das operações de importação.
Para se ter uma ideia, em 2010 (janeiro a dezembro), as exportações somaram US$ 51 milhões e as importações, US$ 2,517 milhões. Fazendo o comparativo entre o período de janeiro a novembro do ano passado com o mesmo período deste ano, as exportações registraram um crescimento de 383,03%, enquanto que as importações tiveram um crescimento menor, de 19,87%.
Os principais países de destino das exportações feitas por Anápolis, este ano, são: Países Baixos (Holanda), com participação de 48,14%, seguido da China (20,76%); Alemanha (15,14%); Tailândia (2,151%); Irã (2,08%); França (01,74%); Hong Kong (01,73%); Bélgica (01,51%); Eslovênia (0,61%) e Coréia do Sul (0,57%). Já, os principais fornecedores internacionais, são: Coréia do Sul (57,72% de participação); Estados Unidos (12,05%); Suíça (08,91%); Alemanha (06,63%); China (03,28%); Japão (02,75%); Índia (01,61%); México (01,19%) e, Belarus (01%).
Os principais produtos da pauta das exportações feitas através de Anápolis são a soja e seus derivados; carnes, milho e medicamentos. Por outro lado, os principais itens importados são os veículos; peças de veículos, medicamentos e insumos. As principais demandas são da montadora de veículos CAOA Hyundai e do Pólo Farmacêutico, que já é considerado o segundo maior do País.
Já com os recordes na marca histórica já batidos, a expectativa, agora, é saber se as importações vão chegar à casa dos US$ 03 bilhões. As exportações tiveram um ano extraordinário, considerando-se o cenário da crise internacional que abateu, principalmente, alguns países europeus.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...