(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exportações batem recorde histórico

Economia Comentários 04 de setembro de 2009

Em apenas sete meses deste ano, as vendas para o exterior a partir de Anápolis, registraram um volume superior à marca histórica de 2006. Importações também estão elevadas


As exportações a partir de Anápolis, nos sete primeiros meses deste ano, já registra uma marca histórica: US$ 52,4 milhões. O recorde anterior era do ano de 2006, no acumulado de 12 meses, em que o volume de vendas para outros países foi de US$ 47,9 milhões. As importações também continuam registrando alta, embora, na comparação entre o volume de julho deste ano e o do ano passado, tenha havido uma pequena queda. Em 2008, as compras internacionais fecharam, em julho com volume de US$ 151,9 milhões. Este ano, ficou em US$ 132 milhões.
A balança comercial do município foi divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As exportações tiveram o melhor desempenho, este ano, no mês de junho, atingindo um volume de transações de US$ 13,1 milhões. Janeiro foi o mês mais fraco. As vendas internacionais foram de apenas US$ 1,6 milhão. Com relação as importações, o melhor desempenho foi registrado em julho: US$ 132 milhões. E o pior desempenho foi no mês de abril, quando as compras internacionais fecharam com volume de US$ 64 milhões.
Os bens intermediários como alimentos e bebidas destinados à indústria, os insumos industriais e peças e acessórios diversos, somaram o maior volume das exportações através de Anápolis, totalizando US% 50,3 milhões. As principais rotas das exportações foram a França, república Islâmica do Irã, e República da Coréia do Sul.
Quanto as importações, o maior volume apurado é de bens de consumo - US$ 416 milhões, seguido de bens intermediários, com destaque para os insumos industriais- US$ 211,8 milhões. Esse volume se deve ao abastecimento de matérias-primas para os laboratórios instalados no Distrito Agroindustrial. Também há um grande volume de importações de motores, peças e acessório, para a linha de montagem da CAOA/Hyundai. Os países que mais vendem para Anápolis são a República da Coréia do Sul, Estados Unidos e Suíça


Principais destinos das exportações
1. Franca
2. República Islâmica do Irã
3. República da Coréia do Sul
4. Eslovênia
5. Cuba
6. Países Baixos (Holanda)
7. China
8. Índia
9. Nigéria
10. Argentina

Principais origens das importações
1. Republica da Coréia do Sul
2. Estados Unidos
3. Suíça
4. Alemanha
5. Japão
6. Índia
7. China
8. França
9. Itália
10. Espanha

Evolução das exportações (US$)
2000 – 322,8 mil
2001 – 2,9 milhões
2002 – 621 mil
2003 – 2,6 milhões
2004 – 14,3 milhões
2005 – 38,7 milhões
2006 – 47,9 milhões
2007 – 36,9 milhões
2008 – 17 milhões
2009 – 52,4 milhões

Evolução das importações (US$)
2000 – 72,9 milhões
2001 – 69,1 milhões
2002 – 50,2 milhões
2003 – 52,6 milhões
2004 – 86 milhões
2005 – 160,9 milhões
2006 – 390,4 milhões
2007 – 771,1 milhões
2008 – 1,3 bilhão
2009 – 680,1 milhões

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Goiás terá maior aporte de recursos para o setor agropecuário em 2018

19/01/2018

O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) destinou em 2017 mais de R$ 7,7 bilhões para investimentos em ...

Receita Federal arrecada mais de R$ 4 bi em 2017 no Município

19/01/2018

Depois de resultados negativos nos dois últimos anos, as arrecadações fazendária e previdenciária acumuladas na área de...

Exportações por Anápolis fecham 2017 com queda preocupante

12/01/2018

As exportações feitas por Anápolis fecharam o ano de 2017 com uma queda de 31,02% frente ao ano de 2016, conforme os dados...

Anápolis termina 2017 com bom estoque de empregos formais

29/12/2017

Apesar da grande diferença na comparação com o mês de outubro, Anápolis manteve o saldo positivo na geração de emprego...