(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Expansão da UEG traz preocupação

Educação Comentários 27 de agosto de 2010

Ex-reitor da instituição defende que a comunidade acadêmica busque formas de cobrar a autonomia financeira e administrativa, como caminho para resgatar a universidade e o seu papel social


O ex-reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), José Izecias de Oliveira, participou na última quarta-feira, 25, de um debate promovido pela Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia), sobre a situação atual e os desafios da instituição para o próximo governo. O presidente da entidade, Ubiratan Lopes, ressaltou que o debate foi oportuno, porque a partir de setembro os governadoriáveis irão participar de encontros na própria Acia, onde serão questionados sobre as suas propostas para o Município.
De acordo com Ubiratan Lopes, a UEG é uma instituição estadual e tem “sua sede e a sua história em Anápolis” e, conforme observou, nos últimos anos houve um distanciamento entre a reitoria e os segmentos organizados, em especial os setores produtivos que têm interesse em colaborar com a instituição, que é formadora de mão-de-obra e de quadro para fomentar a pesquisa e a inovação tecnológica.
Em sua participação, o ex-reitor e atual diretor geral do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, José Izecias, apresentou estudos comparativos sobre a renda da população brasileira e o aumento dos níveis de escolaridade. Segundo ele, a UEG não está dissociada da realidade do País e tem muito a contribuir com o processo de redução das desigualdades sociais, que tem um caminho: a educação.
O ex-reitor lembrou que foi defensor da expansão da oferta de cursos pela UEG, mas ponderou que esse crescimento tem que ser assegurado por alguns princípios que foram iniciados em sua gestão, dentre eles, a autonomia financeira e administrativa. No primeiro caso, ele referiu-se à emenda na Constituição do Estado que assegurou recurso de 2% do orçamento para a universidade. E, em relação à autonomia administrativa para gerir os recursos, ele observou que, após deixar a reitoria, pouco se avançou e que esta é, em sua opinião, uma luta que deve fazer parte do dia-a-dia da comunidade acadêmica. Segundo Izecias, ainda em relação à destinação de 2% do orçamento do Estado para a UEG, o que daria em torno de R$ 200 milhões/ano, há ainda muita divergência sobre a aplicação desse índice, que estaria sendo vinculado a outras demandas. Mas, no seu entendimento, o texto constitucional é claro, assegurando a UEG como destinatária desta fonte orçamentária.
O professor da UEG, Nelson Abreu Júnior, adiantou que o Conselho Universitário da instituição deve se reunir na próxima semana para aprovar a criação de novas unidades. O que, para ele, é uma medida temerária pela situação da Universidade. “Essa expansão tem ocorrido em prejuízo à capacidade de investimentos”, ponderou, acrescentando que para se criar novas unidades deveria haver um planejamento de sustentabilidade.
Ainda de acordo com Nelson Abreu, a UEG está contratando 50 professores com nível de doutorado. Esse número, segundo Nelson, é insuficiente e ele acredita que poucos desses “doutores” ficarão na instituição por que não há uma política de atrativos para mantê-los, pois a UEG não tem conseguido ampliar o financiamento de pesquisas. E há, no mercado, uma forte demanda para esses profissionais de alta qualificação.

Apagão
O empresário Deocleciano Moreira Alves alertou que no Brasil e, especialmente em Goiás, há o risco iminente de um “apagão” de mão-de-obra qualificada e esse é, portanto, um momento crucial para que novos rumos sejam dados para a UEG. O professor João Asmar asseverou que, não só em relação à UEG, mas a todo ensino universitário do País, é preciso mudar valores, para que as instituições não se tornem “máquinas” de ganhar dinheiro, em detrimento de formar profissionais e cidadãos.
O presidente da Acia, Ubiratan Lopes, ao final da reunião, se comprometeu a inserir a questão da UEG no rol de perguntas que serão apresentadas pela entidade e o Fórum Empresarial de Anápolis, no encontro com os governadoriáveis.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

Câmpus do IFG Anápolis tem nova diretora eleita

30/11/2017

A Comissão Eleitoral Central publicou no final da noite desta quarta-feira, 29, o resultado preliminar da eleição para dir...

Associação Educativa Evangélica celebra os 500 anos da Reforma Protestante

03/11/2017

Serão necessários mais 500 anos para que as futuras gerações tenham a noção da importância da celebração realizada n...

Saúde na Escola atende a quase 40 mil estudantes

20/10/2017

A Prefeitura de Anápolis, em parceria com o Governo Federal, está desenvolvendo o Programa de Saúde na Escola (PSE), um co...

Oficinas gratuitas oferecidas no programa Semana Cidadã

06/10/2017

A 1ª edição da Semana Cidadã, uma parceria entre a UniEVANGÉLICA e a Prefeitura Municipal de Anápolis, através da Secr...