(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Exclusão do Simples alcança 1,1 mil contribuintes

Tributos Comentários 30 de novembro de 2017

O principal motivo apontado foi a existência de débitos contraídos junto à Fazenda Pública Estadual


A secretaria da Fazenda registrou a exclusão de 1.128 contribuintes do Simples Nacional em Goiás, com efeitos a partir de 1º de janeiro de 2018. O motivo é a existência de débitos junto à Fazenda Pública Estadual. O pagamento da dívida, contudo, não garante a continuidade no programa. “Uma vez excluído, o contribuinte deve fazer novo agendamento para enquadramento no Simples, caso contrário permanecerá fora em 2018”, alertou o coordenador do programa em Goiás, Norton Pinheiro.
Os débitos de ICMS identificados e autuados são relativos ao período até dezembro de 2015, liberados recentemente pela Receita Federal para autuação pela Receita Estadual. Para proceder a regularização, o contribuinte deve procurar uma das delegacias regionais de Fiscalização da Sefaz do interior do Estado, ou na capital.
Após a quitação do débito, o contribuinte poderá agendar a opção pelo Simples Nacional até 28 de dezembro (veja mais detalhes na matéria: Clique aqui) e verificar se há mais pendências. Passado esse prazo, poderá requerer o enquadramento entre 1º e 31 de janeiro, desde que esteja com todos os impedimentos resolvidos.
O coordenador dos Simples ressaltou que “após o último dia útil de janeiro de 2018, o ingresso de empresas com mais de seis meses de existência só será possível no ano seguinte”. Todos os prazos citados estão descritos na Lei Complementar 123/2006.

Cupom fiscal
A Secretaria da Fazenda alerta os contribuintes do Simples Nacional que, em 1º de janeiro de 2018, devem emitir a Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor (NFC-e), arquivando de forma definitiva o bloco de nota fiscal de venda ao consumidor modelo 2 e o Cupom Fiscal (ECF). A exigência consta da Instrução Normativa 1278, de 2016, e não haverá prorrogação no prazo. Dessa forma, os contribuintes têm praticamente só um mês para se preparar para a emissão do novo documento fiscal.
A exigência da NFC-e começou a vigorar em janeiro de 2017 para o comércio varejista de combustível e lubrificantes e em julho deste ano, para os demais contribuintes, com exceção do Simples. Agora chegou a vez das micros e pequenas empresas optantes do Simples Nacional. São aproximadamente 80 mil empresas.
O Emissor de Cupom Fiscal passará a ser documento fiscal inválido para as operações fiscais, com a adoção da NFC-e em janeiro e o contribuinte ficará sujeito à penalidades e ao pagamento de multas se insistir em usar o ECF. Os blocos de notas fiscais utilizados pelos contribuintes em dezembro devem ser entregues nas Delegacias Fiscais da circunscrição dos empresários. O alerta é da Coordenação de Documentos Fiscais da Superintendência de Informações Fiscais.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Tributos

Decisão do STF pode prejudicar os cofres do Município

25/10/2018

No dia 17 último, o Supremo Tribunal Federal definiu que imóveis financiados pelo Programa de Arrendamento Residencial, que...

Quase 5 mil contribuintes em atraso com a Prefeitura estão no protesto

25/10/2018

Encerrar 2018 sem dívidas em atraso com o município e com crédito liberado na praça. Se essa é uma das suas metas, é ho...

Arrecadação aumentou 25% em Anápolis

19/07/2018

A arrecadação de tributos e contribuições federais na área de atuação da Delegacia da Receita Federal de Anápolis aum...

Receita Federal fiscaliza dinheiro guardado em domicílios no Estado

28/06/2018

Em uma ação conjunta das delegacias de Anápolis e de Goiânia, a Receita Federal iniciou, no último dia 26, a operação ...