(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Estudo feito na Inglaterra identifica gene associado aos cabelos grisalhos

Saúde Comentários 10 de maro de 2016

A descoberta representa um passo importante para o desenvolvimento de um tratamento de prevenção ou reversão da perda de coloração dos fios


Pesquisadores ingleses descobriram um gene associado aos cabelos grisalhos. De acordo com um estudo publicado na revista científica Nature Communications, pessoas com uma versão específica do gene IRF4, responsável por regular a melanina, o pigmento que dá cor ao cabelo, à pele e aos olhos - teriam predisposição a ter cabelos brancos.
“Já conhecíamos diversos genes associados à calvície ou à cor do cabelo, mas essa é a primeira vez que identificamos um gene relacionado ao aparecimento dos cabelos brancos em humanos. Isso só foi possível graças à diversidade de pessoas da amostra”, afirmou o geneticista Kaustubh Adhikari, principal autor do estudo.
Para chegar à conclusão, pesquisadores da Universidade College London, na Grã-Bretanha, analisaram o DNA de mais de 6.300 pessoas de cinco países latino-americanos - Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru. De acordo com os autores, a população dessas regiões é particularmente interessante para estudos de DNA devido à combinação de antepassados europeus, indígenas e africanos.
No trabalho, os pesquisadores identificaram 18 genes associados a diversas variações dos cabelos como liso, enrolado, grisalho, calvo, grosso e fino. Destes, 10 foram identificados pela primeira vez. Entre eles está a versão do IRF4 que predispõe ao aparecimento de cabelos brancos e o PRSS53, associado à ondulação dos fios.
Outra descoberta que só foi possível graças à diversidade da amostra de participantes, revere-se à variação do gene que deixa as pessoas predispostas a ter cabelo grisalho mais cedo. A característica só foi observada entre os descendentes dos europeus.
A cor do cabelo vem de um pigmento produzido pelos melanócitos, uma célula que fica no folículo (raiz) do cabelo. Conforme envelhecemos, essas células param de produzir pigmentos. Isso faz com que os fios percam sua cor natural e fiquem grisalhos. Entretanto, os autores ressaltam que o “embranquecimento” dos fios não é causado exclusivamente pela genética, e fatores como estresse ou passar por um evento traumático também desempenham um papel importante neste processo.
“É pouco provável que os genes identificados sejam os únicos responsáveis pelo embranquecimento ou forma do cabelo, mas eles certamente têm um papel importante”, disse Adhikari.
Para os autores, a identificação destes genes representa um passo importante para o desenvolvimento de um tratamento de prevenção ou reversão da perda de coloração dos fios.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Obras do Centro Pediátrico 24 horas seguem o cronograma

12/01/2018

A obra do Centro Pediátrico 24h, construída ao lado do Cais Mulher, no Bairro Maracanã, iniciou o ano de 2018 se preparand...

Ambulatório de Queimados registra aumento de demanda

29/12/2017

No Ambulatório de Queimados do Hospital Municipal Jamel Cecílio são atendidos, em média, 80 pacientes por dia, vítimas d...

Casos de AIDS têm aumento de 70% no Município

29/12/2017

O número de pacientes soropositivos para a Aids, teve um aumento de cerca de 70 por centro este ano, comparado aos anos ante...

SAMU promove simulação de acidentes no Parque da Cidade

22/12/2017

Visando capacitar e avaliar a atuação dos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a Prefeitura...