(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Estudo derruba mito da “barriga de cerveja” quando existe moderação

Saúde Comentários 21 de novembro de 2014

O aumento no ganho de peso é consequência do excesso de calorias e ocorre por causa do desequilíbrio entre a ingestão e o gasto energético


No mês de Outubro deste ano, aconteceu o “7th European Beer and Health Symposium” (7º simpósio europeu de cerveja e saúde), em Bruxelas, na Bélgica, e o Eu Atleta esteve lá. Cientistas Europeus mostraram os benefícios do uso moderado e dos ingredientes contidos nos diferentes tipos de cervejas (cada cereal com sua propriedade) e efeitos na saúde.
De acordo com a nutricionista inglesa Kathryn O’Sullivan, estudos científicos derrubaram o mito da “barriga de cerveja” quando ela é consumida com moderação. O excesso de ganho de peso e o acúmulo de gordura abdominal é consequência da ingestão excessiva de calorias, um desequilíbrio entre a ingestão e o gasto energético (maior ingestão calórica e menor gasto energético).
A cerveja é composta por água, malte de cevada ou outros cereais, lúpulo e levedura de cerveja. Existe grande variedade de cervejas no mundo, variando a matéria-prima (tipo de cereal), processo de fabricação, composição e teor alcóolico. Contém diversas vitaminas e fibras.
Segundo a pesquisadora Rosa Lamuela (Universidade de Barcelona), a cerveja contém mais de 70 tipos de compostos polifenóicos (flavonoides: catequinas e epicatequinas) onde 70 a 80% são provenientes do malte e 20 a 30% do lúpulo. Possuem ação antioxidante e anti-inflamatória, oferecendo efeitos benéficos na redução do risco de doenças cardiovasculares, na pressão arterial, lipídeos séricos, resistência à insulina e marcadores inflamatórios.

Quantidade de polifenóis em cada bebida:
- Cerveja 330 ml = 92 mg
- Vinho branco 150 ml = 48 mg
- Vinho tinto 150 ml = 300 mg
A ingestão moderada de até 30g de álcooldia, não tem correlação com aumento da gordura abdominal, apenas o consumo maior do que 48g de alcooldia de qualquer bebida alcóolica tem correlação positiva com aumento da circunferência abdominal.
Estudo romeno, apresentado pela Dra. Corina Zugravu, confirmou que não há relação entre circunferência abdominal e consumo moderado de cerveja. O aumento da circunferência abdominal e do Índice de massa corporal (IMC) está relacionado com o consumo excessivo de qualquer tipo de bebida alcóolica.
O consumo moderado de cerveja, 330ml para mulheres e 660ml para homens, associado à prática esportiva, alimentação equilibrada e abandono do tabagismo pode fazer parte de um estilo de vida saudável. O importante é ter MODERAÇÃO.

Comparação do valor calórico da cerveja em relação ao vinho:
- 330 ml cerveja (4% teor alcóolico) = 112 calorias
- 175 ml de vinho tinto (13% teor alcóolico) = 139 calorias
- 175 ml de vinho branco (11,8% teor alcóolico) = 130 calorias

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Cirurgias pediátricas tem fila de espera reduzida

18/08/2017

Já medicado, o garoto J.B.N., 4, demonstrava tranquilidade, ao entrar no centro cirúrgico do Hospital Evangélico, para rea...

Goiás ocupa a terceira posição no ranking nacional em transplante de córneas

18/08/2017

Em Goiás, são realizados transplantes de córneas, rins, coração e medula óssea, sendo que o de córneas é o mais comum...

Franquia Oral Sin se instala em Anápolis

10/08/2017

Acaba de chegar em Anápolis a primeira franquia Oral Sin Implantes. O empresário e odontólogo Leonardo Lara recebe convida...

Município deve receber mais recursos para medicamentos

03/08/2017

Definido no último dia 31 de março, o fechamento das unidades próprias do programa Farmácia Popular deve otimizar a utili...