(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Especialista alerta para os cuidados durante o tempo frio e seco

Saúde Comentários 10 de julho de 2009

Nesta época do ano, o tempo frio e a baixa umidade relativa do ar ocasionam o aparecimento de doenças como asma, bronquite e alergias respiratórias. Para esclarecer sobre o que são e como prevenir esses males, o CONTEXTO ouviu a opinião de um especialista, médico otorrinolaringologista Samuel Fayad Gemus. Na entrevista, ele aborda como fazer para prevenir e reconhecer os sintomas das chamadas doenças de inverno e, ainda, ressalta o crescimento pela procura de atendimento. O profissional também aproveita para fazer um alerta, para que a população não faça a automedicação, que ao invés de ajudar pode em algumas situações, agravar ainda mais o quadro do paciente.


Quais as principais doenças trazidas pela baixa umidade relativa do ar?
É notório que as infecções respiratórias podem ocorrer em qualquer época do ano. Porém, no inverno, com o tempo mais seco, as mucosas ficam ressecadas, diminuindo as defesas locais do organismo e favorecendo infecções respiratórias como gripe, resfriado, amigdalites, faringites, sinusite e pneumonia. Também devemos lembrar que esta época do ano é propícia ao desencadeamento de doenças alérgicas como rinites e asma, por exemplo.

O que é asma, quais os principais sintomas?
A asma é uma doença pulmonar obstrutiva crônica que pode ou não durar por toda a vida. Ela pode iniciar em qualquer etapa da vida, mas na maioria das vezes ocorre na infância. A asma se manifesta por tosse (principal sintoma na infância), falta de ar, cansaço e chiado. Em algumas crianças maiores e em adultos, ela aparece por meio de uma forte dor no peito (opressão torácica). Os sintomas podem aparecer durante todo o dia, sendo mais freqüentes durante a manhã e/ou durante à noite. Não há como prevenir a existência da doença, mas sim suas exacerbações e seus sintomas diários.

O que é bronquite, como reconhecê-la?
De uma forma bem simplificada, bronquite é a inflamação dos brônquios, geralmente causada por vírus ou bactérias, sendo caracterizada por tosse , expectoração, dificuldade de respiração e chiados. O tratamento, sempre orientado por um médico, é medicamentoso, a base de antibióticos ou broncodilatadores.

Quais os perigos das chamadas alergias respiratórias?
Os maiores perigos são as complicações no próprio o sistema respiratório. Existem várias, porém, as mais comuns são os casos de pneumonias, gripes, sinusites, otites, amigdalites e faringites - que crescem cerca de até 25% nessa época do ano. Outras complicações seriam: sangramento nasal, mal-estar, tontura, pele seca, olhos vermelhos, boca seca e lábios rachados - sintomas comuns nessas condições climáticas. O que pode resultar em desmaios e altos níveis de desidratação. Hidratar o corpo, ingerindo água, sucos naturais, consumir muitas frutas e verduras e evitar os alimentos do tipo fast food são alguns procedimentos importantes na prevenção desses males.

As crianças e os idosos são mesmo as principais vítimas do tempo seco? Por quê?
Sim. As crianças pequenas apresentam as vias respiratórias mais estreitas e delicadas, portanto mais sensíveis aos agressores do ambiente. São exemplos os alérgenos, vírus e bactérias causadores de doenças respiratórias, como resfriados, gripes, asma e broquiolite. Já os idosos, apresentam uma imunidade (defesa do organismo) um pouco mais debilitada, deficiente, além de, muitas vezes, já possuírem uma doença de base, facilitando e aumentando a incidência nestes pacientes.

O movimento no consultório aumenta nesta época do ano?
Com certeza. Principalmente nos consultórios de pediatras, pneumologistas e otorrinolaringologistas, pois essas três especialidades acabam englobando as principais áreas de acometimento dessas doenças. Não podemos esquecer as unidades de pronto socorro, onde muitas vezes é feito o diagnóstico e o paciente é tratado ou encaminhado. Há um aumento médio de cerca de 25 a 50% nos consultórios médicos.

Como se dá o tratamento das doenças respiratórias, principalmente alergias, asma e bronquite?
Devo lembrar que é indispensável um diagnóstico correto e um profissional de saúde qualificado para indicar o tratamento adequado, visto que algumas dessas doenças podem ser fatais. Falando especificamente dos processos alérgicos, devemos fazer, desde o início do quadro, higiene nasal, para evitar suas complicações. Muitas vezes devemos abrir mão de medidas de suporte: medicações como analgésicos, anti-térmicos, broncodilatadores e antibióticos - mas sempre orientados por um especialista.

Quais os perigos da auto-medicação?
Primeiramente, devemos lembrar que toda medicação é uma droga, e toda droga tem efeitos colaterais. O uso de um medicamento inadequado não envolve somente reações alérgicas, mas a substância pode interagir com outras medicações e gerar efeitos inesperados. Uma droga pode aumentar, diminuir ou anular o efeito de um segundo medicamento. Um outro grande problema com a auto-medicação é que ela pode, ainda, ocasionar resistência a medicamentos. E quando houver a real necessidade de administrá-los, eles não terão o efeito desejado. Isso acontece muito com a gripe e resfriado - em que as pessoas tomam antibióticos indicados para a infecções bacterianas, quando esses quadros são, ao menos inicialmente, virais, necessitando apenas de medicação de suporte.

Como prevenir essas doenças durante o período seco e frio
Algumas medidas simples podem fazer com que passemos melhor por este período. Entre elas destacam-se:
1. Agasalhar-se bem, evitando roupas leves nos dias mais frios, e fugir da chuva - recomendações fundamentais. O choque térmico agride as vias aéreas, facilitando as infecções;
2. Alimentação equilibrada, horas regulares de sono e atividades físicas são imprescindíveis para melhora da defesa do organismo. Seguindo esses hábitos, mesmo em contato com o vírus, a pessoa pode não desenvolver a infecção;
3. Nos dias mais secos, coloque uma bacia com água ou uma toalha úmida dentro do quarto antes de dormir;
4. O ambiente deve estar sempre ventilado e se possível, com uma temperatura agradável;
5. Não deixe de ingerir líquidos, além de hidratar, eles ajudam a manter a temperatura normal do corpo;
6. Lave as mãos com freqüência, pois elas têm um grande poder de transmissão de agentes infecciosos;
7. Se tiver mais que 60 anos ou for portador de doença pulmonar crônica, vacine-se contra a gripe, de preferência, dois meses antes do inverno, para uma melhor reação do organismo e criação de anticorpos.

Autor(a): Carolina Umbelino

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...

Dengue recua, mas população não deve baixar a guarda

26/05/2017

Em que pese as estatísticas demonstrem um recuo bastante significativo de casos de dengue em Goiás e, particularmente, em A...

Infectologia tem jornada sábado

18/05/2017

A Sociedade Goiana de infectologia realiza neste sábado, 20, a I Jornana de Infectologia de Anápolis. As palestras têm por...

Como superar o fim de um relacionamento?

27/04/2017

Ter o ‘coração partido‘ é uma das experiências mais traumáticas da vida. No entanto, de acordo com um estudo da Univ...