(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Entreposto da Zona Franca deve sair do papel

Economia Comentários 18 de dezembro de 2015

Governadores de Goiás, Marconi Perillo, e do Amazonas, José Melo, anunciaram cooperação para implementar o modelo, proporcionando maior intercâmbio de negócios entre os dois estados da federação


Goiás deverá ter um entreposto da Zona Franca de Manaus na plataforma logística de Anápolis. Este é o principal item do protocolo de intenções definido na última quarta-feira, 16, pelos governadores Marconi Perillo e José Melo (AM), na capital amazonense. Pela manhã, na sede administrativa do Governo do Amazonas, eles discutiram a realização de parcerias entre os dois entes federativos. “Esse é um jogo ganha-ganha”, resumiu o governador José Melo, ao mostrar-se receptivo à cooperação mútua em áreas estratégicas como saúde, segurança pública e logística industrial.
Além do entreposto da Zona Franca de Manaus em Anápolis, os dois estados firmarão ainda parcerias na comercialização de medicamentos e administração de presídios por meio de cogestão com empresas privadas. Pelo acordo firmado, o Governo do Amazonas compraria, a preços abaixo dos de mercado, medicamentos produzidos pela Iquego.“Esse assunto é prioridade”, sinalizou José Melo, para quem Goiás tem muito a contribuir com o desenvolvimento do Amazonas. Ele se dispôs a vir a Goiás, no início de janeiro, para fechar o acordo sobre o entreposto, além de conhecer o modelo de gestão das unidades hospitalares de Goiás por Organizações Sociais.

Oferta
O governador Marconi Perillo se comprometeu a interceder para que o Governo do Amazonas também adquira medicamentos do polo farmoquímico de Anápolis, hoje referência para o País. Segundo Melo, a questão da oferta de medicamentos à população é um dos grandes problemas enfrentados pelo Amazonas na atualidade. “Em tempos de crise, é muito importante a cooperação federativa”, afirmou Marconi em entrevista à imprensa.
Depois de se reunir com o governador amazonense, a comitiva goiana seguiu para conhecer a experiência amazonense de terceirização do sistema prisional, visitando o presídio Anísio Jobim e o Centro de Detenção Penitenciário Feminino, na Região Metropolitana de Manaus, em companhia do vice-governador do Amazonas, Henrique Oliveira.
As unidades prisionais amazonenses estão sendo geridas pela empresa goiana Umanizzare, especializada em gestão prisional privada. Na visão do governador Marconi Perillo, o modelo a ser implantado em Goiás, ampliando o que já existe no Amazonas, deverá contemplar unidades prisionais recém construídas. Numa segunda etapa, as mudanças atingiriam os presídios mais antigos.
Os dois últimos compromissos da agenda de Marconi em Manaus foram um almoço com o governador José Melo, na sede administrativa, e uma visita ao prefeito Arthur Virgílio, no Palácio Rio Branco.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...