(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Empreender e inovar: Projeto para o fortalecimento da economia

Economia Comentários 04 de junho de 2015

Mesmo com a tal crise que é manchete nos jornais, em Anápolis e região surgem projetos e ideias inovadoras que vão ajudar na expansão do mercado regional


O PROIN-UEG é um Programa de Incubadoras vinculado à Pro Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis da Universidade Estadual de Goiás. Ele existe para incentivar e buscar subsídios para empresas/projetos inovadores interessados em empreender novos processos ou produtos no mercado. O Coordenador Geral de Empreendedorismo e Inovação do PROIN, Bruno Alencar Pereira, diz que o programa oferece infraestrutura básica para funcionamento e um conjunto de suportes operacionais, administrativos, estratégicos e tecnológicos, para que empreendimentos/projetos sejam incubados.


Segundo Bruno, o PROIN atua como elemento indutor do chamado empreendedorismo inovador. “A ideia é como se simulássemos um habitat de inovação dos projetos dentro da estrutura da UEG, e passamos a ser corresponsáveis pela interação do empreendedor entre núcleos, pesquisa e extensão. A incubadora de empresas da UEG prioriza o uso racional de infraestrutura econômica, científica e tecnológica, de forma compartilhada, fato que proporciona elementos básicos à viabilização, operacionalização e desenvolvimento de novas empresas, produtos e serviços com vistas ao desenvolvimento local, regional e nacional.”


Objetivos


Bruno Alencar Pereira diz que a PROIN tem como objetivo implantar a infraestrutura física de serviços e tecnologia para atender às demandas de pré-incubação e de incubação de empresas residentes e não residentes na UEG, assim como, nos Munícipios onde houver unidades universitárias. “Nosso trabalho é formar parcerias com universidades, sociedade, órgãos governamentais, empresariado em geral e outras entidades representativas nos Municípios onde houver UEG, e, regiões circunvizinhas”. Outro objetivo, segundo o coordenador, é fazer pesquisas de mercado de forma a identificar as potencialidades de empreendimentos inovadores dos municípios e regiões próximas, além de capacitar gestores e toda a equipe da UEG para auxiliar os projetos e os empreendedores. E, ainda, promover cursos e treinamentos especializados com foco no empreendedorismo, organizar equipes de consultores para atender às necessidades dos projetos pré-incubados e incubados.


Também, fazem parte do projeto, ações para buscar fontes de financiamento e captação de recursos para o PROIN e para os projetos incubados, bem como, auxiliar na elaboração de projetos para a captação de recursos; criar projetos que possibilitem a sustentabilidade do PROIN, gerar novos negócios, empregos e renda e, contribuir com o desenvolvimento socioeconômico dos Municípios e região. Pretende-se, de igual forma, contribuir para o desenvolvimento rápido de microempresas e pequenas empresas em dificuldades, bem como impulsionar e revitalizar as economias locais envolvidas e estimular a transversalidade e a interdisciplinaridade entre os cursos envolvidos no Programa. Finalmente, o programa prevê a participação em seleção de editais públicos nacionais e estaduais relacionados à implementação, ao custeio e investimento em incubadoras.


Como é


O Programa foi criado em junho de 2011 pela resolução CsU N.005/2014, Lei Goiana de Inovação - Lei Nº 16.922, de 08 de Fevereiro de 2010, Lei Nacional de Inovação - Lei Nº 10.973, de 02 de Dezembro de 2004, Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas - Lei Complementar Nº 123, de 14 de Dezembro de 2006 e Lei do Bem - Lei Nº 11.196, de 21 de Dezembro de 2005. Este ano completa quatro anos com um portfólio relevante. São quatro empreendimentos pré-incubados, três incubações residentes e quatro não residentes.


O Coordenador Geral de Empreendedorismo e Inovação do PROIN ressalta que a incubadora é a organização que incentiva a criação e o desenvolvimento de pequenas e microempresas industriais ou de prestação de serviços de base tecnológica ou de manufaturas leves, por meio do provimento de infraestrutura básica e da qualificação técnica e gerencial do empreendedor, em caráter complementar, para viabilizar seu acesso à inovação tecnológica e sua inserção competitiva no mercado.


Como participar


Bruno Alencar Pereira explica que o ingresso ao PROIN se dá por meio de processo seletivo e Contrato de Utilização do Sistema Compartilhado de Incubação. “Será aberto um processo seletivo no mês de julho e ele é composto por: abertura de edital; formulário de inscrição; curso de Plano de negócios; desenvolvimento e avaliação do Plano de Negócios do empreendimento, viabilidade técnica da proposta e dos proponentes.”


O público alvo da Incubadora de Empresas é constituído de alunos dos cursos de graduação e de pós-graduação da UEG e de outras instituições de ensino superior; membros do corpo técnico e administrativo da UEG; empreendedores da iniciativa privada, docentes e pesquisadores da UEG e de outras instituições de ensino e pesquisa e, comunidade em geral. Podem participar, ainda, indivíduos empreendedores que tenham ideias de produto, processo ou serviço com caráter inovador e que necessitam de orientação para transformá-los em negócios.

Autor(a): Mariana Lourenço

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Goiás terá maior aporte de recursos para o setor agropecuário em 2018

19/01/2018

O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) destinou em 2017 mais de R$ 7,7 bilhões para investimentos em ...

Receita Federal arrecada mais de R$ 4 bi em 2017 no Município

19/01/2018

Depois de resultados negativos nos dois últimos anos, as arrecadações fazendária e previdenciária acumuladas na área de...

Exportações por Anápolis fecham 2017 com queda preocupante

12/01/2018

As exportações feitas por Anápolis fecharam o ano de 2017 com uma queda de 31,02% frente ao ano de 2016, conforme os dados...

Anápolis termina 2017 com bom estoque de empregos formais

29/12/2017

Apesar da grande diferença na comparação com o mês de outubro, Anápolis manteve o saldo positivo na geração de emprego...