(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Em cenário de crise, Anápolis registra crescimento do seu PIB

Economia Comentários 16 de dezembro de 2016

Município manteve a segunda posição no ranking de geração de riquezas em Goiás e, no nacional, caiu uma posição. Incremento em 2014, em relação a 2013, foi de cerca de 7,0%


Uma boa notícia para fechar o ano. Segundo dados divulgados pelo IBGE, Anápolis registrou um crescimento na ordem de 7,0% no seu Produto Interno Bruto de 2014, comparativamente aos dados consolidados de 2013. É um fato relevante, em razão do cenário negativo da economia brasileira e do próprio Município que, nos últimos anos, tem ressentido a falta de novos investimentos, sobretudo, no setor industrial.
A preços correntes, o PIB de Anápolis fechou 2014 em R$ 12,714 bilhões, contra R$ 11.881 bilhões em 2013. Por setor, ou Valor Adicionado, o de maior destaque nominalmente, é o de serviços, com R$ 5,508 bilhões; seguido do VA da indústria, R$ 3,677 bilhões e VA Agropecuário, R$ 51,3 milhões. São, ainda, computados no Valor Adicionado o de impostos (R$ 2,208 bilhões) e Administração, Saúde e Segurança e Seguridade (R$ 1,268 bilhão). O VA da indústria de 2014, em relação ao de 2013, teve decréscimo de 5,87%. O de serviços cresceu 19,94%. O de agricultura, caiu 8,44% e o de administração, saúde e educação públicas e seguridade, cresceu 12,58 na mesma análise.
Os 10 municípios com melhor desempenho em relação ao VA da Agropecuária são: Rio Verde; Jataí; Cristalina; Mineiros; Chapadão do Céu; Catalão; Ipameri; Montividiu, Paraúna e Caiapônia.
Os 10 municípios que mais se destacam com o VA da indústria, são: Goiânia; Anápolis; Aparecida de Goiânia; Rio Verde; Catalão; São Simão; Itumbiara; Luziânia, Senador Canedo e Jataí.
Nos serviços, o ranking goiano tem como destaques: Goiânia; Aparecida de Goiânia; Anápolis; Rio Verde; Catalão; Itumbiara; Jataí; Luziânia, Valparaíso de Goiás e Caldas Novas.
Conforme os dados do (IBGE), Anápolis se configura, ainda, como o segundo maior gerador de riquezas do Estado de Goiás. Seu PIB, de R$ 12,714 bilhões representa uma participação de 7,7% na conformação do PIB de Goiás, que é de R$ 98,557 bilhões. Em primeiro lugar está a Capital, Goiânia, cujo PIB é de R$ 46,094 bilhões e participação de 27,9%. Aparecida de Goiânia vem na terceira posição, com PIB de R$ 11,664 bilhões e participação de 7,1%. Os 10 municípios com maior PIB em Goiás, vale reportar, representam 59,7% de toda a riqueza gerada no Estado. (Veja o ranking no box)
Em relação ao PIB per capita, os dados de consolidados de 2014 divulgados pelo IBGE, apontam que em Anápolis, o valor chegou a R$ 35.123,67, superior ao valor de 2013, que foi de R$ 33.245,37. Só lembrando que este recorde do PIB não é o mesmo que distribuição de renda. Significa o que seria se toda riqueza gerada no Município, fosse distribuída igualmente para cada habitante.
Os 10 municípios com maior PIB per Capita de Goiás, são: Cristianópolis; Perolândia; Chapadão do Céu; São Simão; Alto Horizonte; Davinópolis; Cachoeira Dourada; Rio Quente, Turvelândia e Catalão.

Ranking Nacional
Apenas três municípios goianos aparecem entre os 100 maiores PIBs do País, em 2014. Goiânia é o melhor posicionado, ficando em 17º lugar. Manteve a posição do ano de 2013. Anápolis ocupa o 64º lugar, caindo uma posição apenas, em relação ao ano anterior. Já Aparecida de Goiânia aparece em 70º lugar. Ganhou nove posições em relação a 2013, quando era o 79º lugar.
Quanto ao PIB per capita, no ranking dos 100 maiores, aparecem os municípios goianos: Cristianópolis, 24; Perolândia, 41º; Chapadão do Céu, 43º; São Simão, 44º e Alto Horizonte, 52º.


Evolução do PIB de Anápolis
2010 - R$ 11,060 bilhões
2011 - R$ 11,753 bilhões
2012 - R$ 11,547 bilhões
2013 - R$ 11,881 bilhões
2014 - R$ 12,714 bilhões

Evolução do PIB per capita
2010 - R$ 33.013,34
2011 - R$ 34.716,64
2012 - R$ 33.728,93
2013 - R$ 33.245,37
2014 - R$ 35.123,67

Os 10 maiores do PIB em Goiás/ Participação
Goiânia - R$ 46,094 bi (27,9%)
Anápolis - R$ 12,714 bi (7,7%)
Aparecida de Goiânia - R$ 11,664 bi (7,1%)
Rio Verde - R$ 7,377 bi (4,5%)
Catalão - R$ 5,714 bi (3,5%)
Itumbiara - R$ 3,854 bi (2,3%)
Jataí - R$ 3,578 bi (2,2%)
Luziânia - R$ 3,116 bi (1,9%)
Senador Canedo - R$ 2,392 bi (1,4%)
Caldas Novas - R$ 2,049 bi (1,2%)
Total - R$ 98,557 bi (59,7%)

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...