(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Donos de postos e funcionário do Inmetro são presos pela PF

Geral Comentários 20 de outubro de 2017

Operação ganhou repercussão por ter como alvo funcionários públicos que deveriam fiscalizar fraudes.


Até a manhã desta quinta-feira,19, dois empresários de Anápolis se encontravam presos na carceragem da Polícia Federal, em Goiânia. Eles são alvos da Operação Pesos e Medidas, deflagrada na terça-feira,17, com o objetivo de desarticular um suposto esquema criminoso ligado ao comércio de combustíveis. Um terceiro empresário, também investigado pela PF, foi solto pelo Judiciário.
O grupo tinha em seu núcleo funcionário do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Estado de Goiás, sendo que dois dos investigados estavam lotados em Anápolis, além de outros cinco lotados em Goiânia. No total, 10 pessoas foram presas.
Segundo o delegado Antônio José dos Santos, chefe da PF em Anápolis, os fiscais verificavam irregularidades nos postos de combustíveis e diziam que o valor da multa (podendo variar entre R$ 200 a R$ 6 mil), poderia cair para metade ou menos do valor da autuação. Ou, ainda, poderia nem haver autuação dependendo do acerto da propina. Também foi apurado que empresários estariam orientando os fiscais do Inmetro para fiscalizarem os postos concorrentes.
O Inmetro é responsável, dentre outras coisas, por fazer testes de volumetris nos bicos das bombas de combustíveis. Este teste mostra a diferença entre a quantidade mostrada na bomba e a efetivamente fornecida.
Ao todo, 90 policiais participam da operação, para cumprir sete mandados de prisão preventiva e três mandados de prisão temporária nas cidades goianas de Anápolis e Goiânia, além de Brasília. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Goiás.
Os investigados foram indiciados e responderão pela prática de crimes de corrupção passiva, corrupção ativa e alinhamento de preços. As penas podem chegar a 12 anos de reclusão. Eles serão encaminhados à Superintendência da PF em Goiás e, de lá, serão encaminhados para o sistema penitenciário, onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

Nota
O Inmetro divulgou, em sua página internet, uma nota se posicionando em relação à operação da Polícia Federal. Diz a nota:
“Com relação à Operação Pesos e Medidas, deflagrada pela Polícia Federal no estado de Goiás, o Inmetro informa que vem colaborando efetivamente com as investigações, iniciadas em 2015. O Instituto reitera, inclusive, que a Procuradoria Federal do Inmetro acompanhou a ação da PF operacionalizada em 17/10.
O Inmetro acompanha o desenrolar das investigações e, administrativamente, já apura os fatos sob a coordenação da Corregedoria do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, pasta à qual o Inmetro é vinculado”.(Com informações da Agência Brasil e do Inmetro)

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Cartões do Renda Cidadã estão no radar do MPF

20/04/2018

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), por meio de sua Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), instaurou, na últi...

Memorial resgata parte da história do classismo e da economia local

20/04/2018

Um acontecimento casual levou à descoberta de um acervo importante para o resgate da história da Associação Comercial e I...

Mãe se diz punida, apenas, pelo seu inconformismo

20/04/2018

Desde a morte do filho, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, ocorrida em novembro de 2014, quando o mesmo contava, então, com 24 ano...

PRF se engaja em campanha “Eu sou do bem, Eu sou de Deus”

20/04/2018

Na manhã da última quarta-feira, 18, mais um passo importante foi dado para tornar nacionalmente difundida a campanha “Eu...