(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Disputa por cadeiras na Câmara Municipal deve ser acirrada

Política Comentários 26 de agosto de 2011

No pleito de 2012, serão oito vagas a mais colocadas para a disputa, sem contar que em cada eleição sempre há uma renovação que varia de 40 a 50 por cento


O alvo da cobiça nas eleições municipais do ano que vem, deve ser mesmo a Câmara Municipal. Lógico que a disputa para o Executivo sempre chama a atenção pela sua importância. Mas, aqui e ali se fala que se for candidato à reeleição, o Prefeito Antônio Gomide seria praticamente imbatível. Não é bem assim. Mas,também não se pode dizer que ele não esteja bem cotado e, se o pleito fosse hoje, teria condições de carimbar o passaporte para mais um período de quatro anos.
No entanto, as atenções dos partidos, neste momento, estão mais focadas nas oito vagas que serão abertas na Câmara Municipal, que passará de 15 para 23 cadeiras. Considerando que sempre há uma renovação próxima de 40 a 50 por cento, então, seriam ai 17 vagas a serem preenchidas. Até o momento, pelo que se sabe, todos os atuais vereadores devem se candidatar à reeleição. E, mesmo se todos fossem reeleitos, ainda haveria um bom número de cadeiras. Por isso mesmo é que os partidos estão num verdadeiro frenesi, pois os mesmos têm a chance de aumentarem a sua representação naquela Casa de Leis.
Os partidos já estão trabalhando nos bastidores, mas ainda há muitas dúvidas sobre possíveis mudanças que podem ocorrer caso a reforma política seja aprovada, ou pelo menos parte dela, para valer já para o próximo pleito. Uma das teses muito discutida é acabar com as coligações proporcionais, o que já seria uma mudança significativa para a eleição de vereador. E se for adotado o sistema de listas fechadas, então. Aí seria uma mudança bem radical e que tornaria o processo numa verdadeira loteria. Mas as chances de que essas reformas aconteçam para vigorarem na eleição próxima, é uma possibilidade remota. Não é impossível.
A eleição municipal ganha um contorno maior, porque à medida em que os partidos se fortalecem nos principais colégios eleitorais, como é o caso de Anápolis, Goiânia e Aparecida de Goiânia, começa-se a construir o cenário para a sucessão estadual. E, em política, o que vale é voto e poder. Portanto, a conquista de cadeiras na Câmara Municipal tem um significado, do ponto de vista político, que vai além da escolha que o eleitor faz para aquele que quer ver representando a sua região.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Política

Ronaldo Caiado acusa Governo de usar dados para mascarar crise do Estado

08/11/2018

O governador eleito Ronaldo Caiado (Democratas) cobrou maior transparência nos dados repassados à equipe de transição pel...

Partido realiza ação social em prol da Casa Joana

08/11/2018

O Democratas Mulher Anápolis irá realizar nesta sexta-feira, 09, a partir das 09 horas, em Anápolis, uma manhã odontológ...

Vereador exige explicações para aumento da energia elétrica em Goiás

08/11/2018

O vereador João da Luz (PHS) informou na tribuna, durante a sessão ordinária da última quarta-feira,07, que esteve em Bra...

Ronaldo Caiado terá muitos desafios para enfrentar em sua terra natal

02/11/2018

Não dá para falar que se trata de uma “herança maldita”. Mas, dá para dizer que os “gargalos” de Anápolis vão o...