(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Dia das Mães injetará cerca de R$ 14 bi em comércio e serviços

Economia Comentários 11 de maio de 2017

Cerca de 109 milhões de brasileiros devem comprar algum presente na segunda data mais importante para o comércio no ano


Conforme ocorre em todo o Brasil, o comércio lojista de Anápolis se preparou efetivamente para as vendas alusivas ao Dia das Mães, segunda melhor data para o setor varejista, segmento de lojas. Em Anápolis a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), como sempre faz em datas marcantes para o setor, promoveu uma série de ações no sentido de conscientizar o empresariado a se preparar melhor para receber a clientela. A ideia é criar nichos de vendas alicerçados com na divulgação dos produtos, qualidade em atendimento e a facilitação nas operações de compra.
A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas estima que o Dia das Mães (domingo, dia 14) pode servir de termômetro para a atividade varejista. De acordo coma entidade, ‘há alguns sinais ainda incipientes de que o varejo deve iniciar uma trajetória lenta de recuperação a partir deste semestre. De modo geral, a pesquisa demonstra que o brasileiro está cauteloso, mas ainda disposto a não deixar a data passar em branco. A pesquisa do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) Brasil e da CNDL mostra, ainda, que 73% dos brasileiros devem comprar no Dia das Mães, mas apenas 10% disseram que pretendem gastar mais do que no ano passado. A maior parte (38%) planeja desembolsar a mesma quantia que em 2016, enquanto 27% pensam em diminuir. Os consumidores que não vão comprar presentes representam 25% da amostra e os indecisos são 2%.
A necessidade de economizar é a razão mais mencionada por aqueles que pretendem gastar menos no Dia das Mães (46%), mas as dificuldades financeiras também são citadas por 29% dos entrevistados. De acordo com a pesquisa, 28% dos entrevistados declararam ter atualmente alguma conta em atraso. Dentre a minoria que quer comprar um presente mais caro este ano, o principal argumento é o desejo de adquirir um produto melhor (43%), seguido da percepção de que os itens estão com preços mais elevados (40%).
Para evitar que uma data comemorativa leve o consumidor ao descontrole das finanças, ele precisa ser um consumidor planejado. A pesquisa de preços é uma grande aliada nesses momentos e será realizada por 75% dos compradores neste ano, pelo que apontou o nosso estudo, aconselha a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
Segundo o levantamento, o gasto médio com os presentes será de cerca de R$ 127 e a principal forma de pagamento será à vista (65%). As instituições informaram que foram ouvidos, pessoalmente, 849 consumidores de ambos os gêneros, acima de 18 anos e de todas as classes sociais nas 27 capitais do País. Para avaliar o perfil de compra, foram considerados 600 casos da amostra inicial que têm a intenção de comprar presentes. A margem de erro desta amostra é de no máximo 4 pontos porcentuais e a margem de confiança, de 95%.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Exportações goianas batem recorde em seis meses

12/07/2018

Uma boa notícia para a economia de Goiás. As exportações do Estado, no primeiro semestre deste ano, bateram recorde e som...

Preço do combustível cai em Goiás e derruba pauta do ICMS

12/07/2018

Informações da Secretaria Estadual da Fazenda dão conta de que houve queda no valor médio dos combustíveis praticado nos...

Anapolinos pagam menos pela cesta básica, segundo o PROCON

05/07/2018

O custo médio da cesta básica em Anápolis apresentou redução de 5,9% em um mês, de acordo com levantamento apresentado ...

Secretário anuncia novo modelo de desenvolvimento

05/07/2018

O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Leandro Ribeiro, anunciou que o Governo quer estabelecer um novo modelo do Progr...