(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Dengue volta a ameaçar

Saúde Comentários 11 de outubro de 2009

Com a chegada antecipada do período chuvoso, a dengue se junta à Influenza A H1 N1 (gripe suína), como motivo de preocupação. Ações de combate e prevenção já estão em andamento. A Secretaria de Saúde acredita poder atender aos pacientes das duas enfermidades


A Secretaria Municipal de Saúde tem, agora, outra preocupação, além da gripe “A”. Com as chuvas, que, esse ano, chegaram mais cedo, a proliferação do Aedes aegyp (mosquito da dengue) e, consequentemente, o aumento do número de casos da doença tendem a ser um problema a mais. Objetivando conter o avanço da doença, desde agosto vêm sendo realizadas ações de prevenção, como a capacitação de agentes de saúde.
Segundo Edir Ramos Coimbra, coordenador do Centro de Doenças Transmitidas por Vetores - CDTV, teve início no mês de agosto, um projeto de capacitação que envolve agentes de saúde do Programa Saúde da família - PSF e do Programa de agentes comunitários de saúde - PACS, além dos fiscais da Vigilância Sanitária. Essa programação se estende até este mês de outubro, quando começarão a ser realizados manejos ambientais nos bairros onde há maior índice de infestação do mosquito e casos confirmados. Para isso, o Centro de Doenças contará, ainda, com a ajuda do Grupo de educação em saúde, ou Núcleo de informação, educação e comunicação, o NIEC.

Ações de conscientização e combate
Nas ações de manejo, serão distribuídos sacos para coleta de lixo durante a orientação aos moradores sobre os cuidados com a dengue. Uma equipe estará disponível para vedar caixas d’água, limpar calhas e recolher pneus velhos. Aliadas a esses trabalhos, acontecerão, também, palestras e encenação de peças teatrais relacionadas ao tema, nas escolas. “Entre os meses de outubro de 2009 e junho de 2010, será feita uma maciça divulgação através de carros de som”, explicou Edir. “Além disso, realizaremos uma campanha publicitária com outdoors, panfletos e informações na mídia local”. O coordenador afirmou, ainda, que a intenção é promover verdadeiros arrastões nos bairros com casos positivos através das visitações e do bloqueio UBV-pesada - o conhecido veículo “fumacê”.
O CDTV vai promover, também, um concurso de atividades artísticas (paródia, música, teatro) entre os alunos das escolas das redes Municipal e Estadual, nos meses de outubro e novembro. Já no ano que vem, de fevereiro a março, as categorias em destaque serão frase, desenhos, poesias e redações. Os vencedores receberão prêmios como bicicleta, celular e MP3 - que serão entregues no dia D contra a dengue, previsto para março de 2010.

Visitas domiciliares
Edir Ramos disse que a cobertura de visitas domiciliares, atualmente, gira em torno de 90%. Essas visitas são realizadas por ciclos, que têm, em média, 60 dias ou dois meses. Durante o ano, são realizados 6 ciclos - o que corresponde aos 12 meses do calendário. Participam dessas visitas 194 agentes, que atendem, por ciclo, 152 mil imóveis.
Mesmo com todas essas ações, no ano de 2008, foram registrados 266 casos de dengue em Anápolis. Até agosto desse ano, já foram 150 casos confirmados - uma redução de mais de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. A meta é reduzir em mais 25% de 2009 para 2010.
Os bairros Jardim Gonçalves, Vila Industrial, Vila Goiás, Jundiaí e Calixtolândia foram os que apresentaram maior número de casos até agora, neste ano de 2009. Mas o município como um todo pode comemorar. O índice de infestação predial - IIP se encontra abaixo de 1%, considerada uma porcentagem de baixo risco, segundo o Ministério da Saúde.

Dengue e Gripe “A”
A procura por atendimento para os casos suspeitos de gripe “A” e, também, nos casos de gripe comum, já vinha superlotando os hospitais da cidade. Com o período chuvoso começa um aumento acentuado de casos de dengue. “Passamos a lidar com duas graves doenças ao mesmo tempo” revelou a Diretora de Vigilância em saúde, Mara Marinho de Souza Barreto. Mas, segundo ela, os hospitais de Anápolis estão preparados para atenderem à demanda de pacientes. “A influenza A já era uma doença presente na comunidade, e, juntas, as duas doenças apresentam uma taxa de internação viável ao nosso serviço de saúde”, destacou.

O que é a Dengue
A dengue é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus da família Flaviridae e é transmitida através do mosquito Aedes aegypti, também infectado pelo vírus. Pode ser transmitida também pelo Aëdes albopictus, esses mosquitos picam tanto durante o dia, quanto à noite, ao contrário do mosquito comum, que só pica durante a noite. Os transmissores de dengue, principalmente o Aedes aegypti, proliferam-se dentro ou nas proximidades de habitações (casas, apartamentos, hotéis), em recipientes onde se acumula água limpa (vasos de plantas, pneus velhos, cisternas etc.).


Formas de apresentação
A doença pode se apresentar - clinicamente - de quatro formas diferentes: infecção inaparente - a pessoa está infectada pelo vírus, mas não apresenta nenhum sintoma (a grande maioria das infecções da dengue não apresenta sintomas); dengue clássica - é uma forma mais leve da doença e semelhante à gripe (geralmente, inicia de repente e dura entre 5 a 7 dias); febre hemorrágica da dengue - doença grave que se caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da pessoa infectada. Inicialmente ela se assemelha à Dengue Clássica, mas, após o terceiro ou quarto dias de evolução da doença surgem hemorragias; e síndrome de choque da dengue - a mais séria apresentação da dengue se caracteriza por uma grande queda ou ausência de pressão arterial (a pessoa acometida pela doença apresenta um pulso quase imperceptível, inquietação, palidez e perda de consciência).

Como tratar?
Não existe tratamento específico para dengue. Apenas tratamentos que aliviam os sintomas. Deve-se ingerir muito líquido como: água, sucos, chás, soros caseiros, etc. Os sintomas podem ser tratados com dipirona ou paracetamol. Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetil salicílico e antiinflamatórios, como aspirina e AAS, pois esses podem aumentar o risco de hemorragias.

Prevenção
A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Autor(a): Carolina Umbelino

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Mudanças no programa Farmácia Popular preocupam vereadores

22/06/2017

O Vereador Antônio Gomide (PT) falou na tribuna, na última segunda-feira, 19, sobre o possível fechamento da Farmácia Pop...

Município anuncia importantes reformulações na área da saúde

15/06/2017

Uma das áreas mais sensíveis da Administração, a pasta da Saúde, tem desafios que extrapolam os limites do Município. P...

Anvisa ouve reivindicações dos laboratórios goianos

15/06/2017

Anápolis recebeu, no último dia 09, a presença do médico sanitarista e epidemiologista, Jarbas Barbosa da Silva Júnior, ...

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...