(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Dengue recua, mas população não deve baixar a guarda

Saúde Comentários 26 de maio de 2017

Este ano, até o dia 13 de maio, foram notiificados 2.122 casos. Em 2016 foram mais de 10 mil, redução de quase 80%.


Em que pese as estatísticas demonstrem um recuo bastante significativo de casos de dengue em Goiás e, particularmente, em Anápolis, as autoridades de alertam que a população deve manter as medidas de prevenção aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, que é também o vetor do vírus zika e da febre chikungunya.
O último boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES-GO), aponta que em Goiás, até a semana 19, que vai do período de 1º de janeiro até 13 de maio, o número de casos notificados de dengue foi de 39.985. Em 2016, no mesmo período, este número chegou a 149.118. O número de óbitos chegou a 40 no ano passado, sendo 11 em Goiânia, 06 em Anápolis, 05 em Aparecida de Goiânia e o restante espalhados em outras 12 cidades. Ainda há 40 casos sob investigação. Já este ano, em todo o Estado, foram registrados 07 óbitos sendo: 05 em Goiânia, 01 em Águas Lindas de Goiás e um em Planaltina. Em Anápolis, não houve registro de óbitos. Há 02 casos sob investigação.
No município, este ano, o número de casos notificados de dengue até agora é de 2.122, contra 10.406 do ano passado. Portanto, uma redução de 79,61%.
De acordo ainda com os dados do boletim epidemiológico da SES-GO, os 10 municípios com maior número de casos notificados de dengue, são: Goiânia (14.864); Aparecida de Goiânia (5.179); Anápolis (2.122); Goianésia (1.564); Águas Lindas de Goiás (882); Santa Helena de Goiás (882); Trindade (854); Jataí (780); Rio Verde (767) e Valparaíso de Goiás (764). Há 05 municípios goianos na classificação de alto risco; 56 na classificação de médio risco (Anápolis se encontra nesta classificaçao) e 185 na classificação de baixo risco.
COMBATE NO FRIO
O fato de o mosquito Aedes aegypti se proliferar com mais intensidade durante as estações mais quentes do ano faz com que boa parte das pessoas só se lembre de eliminar os criadouros nesses períodos. Entretanto, de acordo com pesquisa da Fiocruz, é quando caem as temperaturas que as medidas de controle podem ser mais eficazes, já que o ciclo reprodutivo do mosquito fica mais lento e, dessa forma, as ações voltadas para o combate terão um impacto maior.
O ciclo de vida do mosquito compreende quatro fases - ovo, larva, pupa e adulto - e, segundo os pesquisadores, é no primeiro estágio que reside uma das principais razões de sucesso do inseto. O ovo do Aedes aegypti é extremamente resistente, podendo durar por mais de um ano, quando as condições são desfavoráveis.
A eliminação dos criadouros é uma das principais formas de controle do mosquito. Entre as ações de prevenção estão a vedação dos reservatórios de água; limpeza de calhas, remoção de pratinhos dos vasos de plantas; manter garrafas, latas e outros recipientes virados para baixo de forma que não acumulem água. Cuidados especiais também devem ser tomados com locais de reprodução menos óbvios, como ralos em locais pouco usados, bandejas atrás de refrigeradores e outros espaços do ambiente doméstico pouco utilizados, como, por exemplo, os banheiros da área de churrasqueira.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Hospital de Urgências capta coração para transplante pela primeira vez

31/08/2017

Pela primeira vez em sua história, o Hospital de Urgências de Anápolis “Doutor Henrique Santillo” promoveu o transplan...

Oferta de leitos de UTI será ampliada

24/08/2017

A falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Anápolis está sendo enfrentada de forma prioritária. A secretá...

Saúde da Família integra programa contra o tabagismo

24/08/2017

O programa Estratégia de Saúde da Família, da Secretaria Municipal de Saúde já conta com a adesão de 100% das equipes d...

Cirurgias pediátricas tem fila de espera reduzida

18/08/2017

Já medicado, o garoto J.B.N., 4, demonstrava tranquilidade, ao entrar no centro cirúrgico do Hospital Evangélico, para rea...