(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Dengue: Goiás registra 465 óbitos de 2010 a 2016. Em Anápolis, foram 18 mortes

Saúde Comentários 05 de fevereiro de 2016

O Município de Anápolis, que estava na zona de classificação de baixo risco, agora já está na de alto risco. Alerta para a população


Dados do Boletim da Dengue, de responsabilidade da Superintendência Estadual de Vigilância em Saúde e da Gerência de Vigilância Epidemiológica, apontam que, 2010 até 2016, 465 pessoas morreram no Estado, em decorrência da dengue e suas complicações. A média é de 66,43 óbitos/ano. Em Anápolis, no mesmo período, os registros oficiais apontaram 18 mortes, média de 2,57 ao ano.
O ano de 2013 foi o que registrou maior número de mortes em Goiás e, também, em Anápolis, conforme os registros da SES. Foram 95 mortes no Estado e 07 no Município. Este ano, na terceira semana epidemiológica, há suspeita de dois óbitos: um em Anápolis e outro em Senador Canedo.
Os dados parciais deste ano mostram, ainda, que em Goiás neste ano já somam 9.355 casos notificados de dengue, com um total de 653 já confirmados. O Município de Goiânia é o que apresenta maior número de casos notificados: 2.420. A lista segue com Anápolis, no segundo lugar, com 951 casos notificados de dengue; Luziânia (656); Rio Verde (577); Aparecida de Goiânia (545); Valparaíso de Goiás (376); São Miguel do Passa Quatro (220); Senador Canedo (220); Trindade (182) e Santo Antônio do Descoberto (166). Sendo estes, portanto, os 10 municípios goianos com maior número de casos notificados.
Em relação a Anápolis, os dados sugerem que pode estar faltando um maior cuidado para se evitar a proliferação dos focos do mosquito Aedes aegypti, que, além da dengue, transmite a febre chikungunya e o Zika vírus, que estão associados aos casos de microcefalia ocorridos no País (bebês que nascem com má formação do cérebro e que podem comprometer o seu desenvolvimento motor). No ano passado foi registrado o maior número de casos na série histórica, de 2010 para cá: 11.421 incidências. Este ano, em três semanas foram, apenas, 951.
Atualmente, conforme o boletim oficial da dengue em Goiás, 173 municípios estão na classificação de baixo risco; 45 na classificação de médio risco e 28 municípios - dentre eles Anápolis - na classificação de alto risco. Lideram a lista dos 10 municípios com maior incidência (número de caso por 100 mil habitantes): São Miguel do Passa Quatro (5.605 de incidência); Goiandira (1.594); Marzagão (1.465); Cristianópolis (1.258); Campestre de Goiás (1.152); Hidrolândia (939); São Simão (702); São João da Paraúna (616); Padre Bernardo (414) e Turvânia (574). Anápolis registrou 303 casos/100 mil habitantes.

Números da dengue em Goiás

Casos notificados
2013 - 163.8094
2014(**) - 124.764
2015 (*) - 189.417
2016 (*) - 9.355

Casos confirmados
2013 - 91.684
2014(**) - 76.778
2015 (*) - 95.700
2016 (*) - 653



Óbitos em Goiás
2010 - 93
2011 - 51
2012 - 52
2013 - 95
2014 - 93
2015 - 81
2016 - 0

Números da dengue em Anápolis

Casos notificados
2010 - 5.656
2011 - 3.396
2012 - 2.199
2013 - 8.723
2014 - 7.885
2015 - 11.421
2016 - 951

Óbitos
2010 - 3
2011 - 2
2012 - 0
2013 - 7
2014 - 3
2015 - 3
2016 - 0

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Hospital de Urgências capta coração para transplante pela primeira vez

31/08/2017

Pela primeira vez em sua história, o Hospital de Urgências de Anápolis “Doutor Henrique Santillo” promoveu o transplan...

Oferta de leitos de UTI será ampliada

24/08/2017

A falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Anápolis está sendo enfrentada de forma prioritária. A secretá...

Saúde da Família integra programa contra o tabagismo

24/08/2017

O programa Estratégia de Saúde da Família, da Secretaria Municipal de Saúde já conta com a adesão de 100% das equipes d...

Cirurgias pediátricas tem fila de espera reduzida

18/08/2017

Já medicado, o garoto J.B.N., 4, demonstrava tranquilidade, ao entrar no centro cirúrgico do Hospital Evangélico, para rea...