(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Demolição do Terminal Urbano seria um golpe contra Anápolis

Transporte Comentários 23 de novembro de 2013

Diante da gravidade da ameaça de demolição de uma ala do Terminal Urbano de Anápolis, o bom senso exige uma reviravolta jurídica através da adequação ao processo de desobstrução do prédio tombado da antiga Estação Ferroviária


A sentença que dá 120 dias de prazo para a demolição da ala sul do Terminal Urbano de Anápolis, “até a sua destruição total”, para desobstruir o prédio tombado da antiga Estação Ferroviária, como determinara o Ministério Público, é tão absurda quanto nefasta para o futuro da cidade. É simplesmente uma “espetacularização” midiática sustentada no dispositivo que protege o patrimônio cultural em menosprezo ao bem social. Anápolis está sob o risco substantivo da lei, quando o patrimônio público que garante um serviço essencial à 75 mil pessoas/dia pode ser dilacerado pela norma jurídica cega e injusta, que despreza o sentimento social ante a ameaça de um retrocesso de 20 anos no sistema de transporte coletivo urbano local.
A proteção do prédio tombado é tutelada pelo Iphan, mas o terminal deve ser garantido pelo princípio da relevância social. Enquanto não for encontrada uma solução para a preservação da integração das linhas do transporte coletivo, o cumprimento da sentença seria um episódio trágico de consequências desastrosas para a economia da cidade. Pelo menos até a implementação do passe temporal para o segundo embarque gratuito, fora do terminal, demolição, nem pensar.
É simplesmente impossível manter a logística da operação da frota ativa de 220 ônibus da TCA, unicamente na ala norte do terminal. Até porque a integração é garantida pela articulação das duas alas, um sistema controlado por computador, que garante a efetiva realização de todas as viagens nos horários programados. Derrubar a ala sul do terminal seria destruir a moderna tecnologia troca-linha, única no mundo, que é pesquisada pelo TCB para implantação de projeto similar na Capital da República.
Neste momento em que Anápolis dá a maior arrancada de desenvolvimento de sua história, ao priorizar projetos voltados para a sustentabilidade e a acessibilidade, é incongruência mutilar o cérebro da sua mobilidade urbana. Milhares de trabalhadores e estudantes e centenas de empresas seriam atingidos por uma crise sem precedentes no sistema de transportes da cidade. No limiar das operações do Aeroporto de Cargas, do Terminal da Ferrovia Norte-Sul, do Centro de Convenções, do Parque Tecnológico, do viaduto do Daia e da Plataforma Multimodal, para se consolidar o polo logístico, o transporte da cidade, principalmente na região central, poderá ser ferido de morte por um golpe brutal. Quando Anápolis prepara-se para pousar/decolar através da exportação/importação para os mercados interno/externo recrudesce a ameaça de destruição do DNA da logística do Terminal Urbano. Se a economia cresce, a qualidade de vida não pode ficar atrás.
Enquanto na maioria das cidades o centro morre, em Anápolis ele aflora. Não é por acaso que as grandes lojas e serviços migram, cada vez mais, para as proximidades do ponto de convergência das intenções de viagem das pessoas que usam o transporte coletivo.
Diante da gravidade da ameaça de demolição de uma ala do terminal, o bom senso exige uma reviravolta jurídica através da adequação ao processo de desobstrução do prédio tombado da antiga Estação Ferroviária. A fim de resguardar o interesse social e restaurar a imagem da autoridade, porquanto o substantivo da lei não é mais a cega expressão da verdade.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Transporte

Frota terá gestão inteligente em breve

30/11/2017

O vereador João da Luz (PHS) repercutiu durante a sessão da Câmara Municipal realizada na última segunda-feira, 27, a vi...

Passagem reajustada após 18 meses

03/11/2017

Depois de, exatamente, um ano e meio, o valor da tarifa do transporte coletivo, em Anápolis, sofreu novo reajuste. A passage...

Passe livre estudantil para 15 mil estudantes em Anápolis

03/08/2017

Centenas de jovens lotaram o auditório do Senac, na tarde desta quinta-feira,03, para acompanhar a solenidade oficial de lan...

Gratuidade no transporte público ganha nova regulamentação

20/07/2017

Foi publicado no Diário Oficial da última quarta-feira,19, o Decreto nº 41.699, regulamentando a Lei Municipal nº 3.824, ...