(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Cuidados contra a dengue devem ser reforçados

Saúde Comentários 11 de setembro de 2014

Secretaria da Saúde registra 58 mortes ligadas à dengue e suas complicações no Estado de Goiás este ano


Com previsão de chuvas esporádicas em Goiás nos próximos dias, aumenta a preocupação com os possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue que se formam em água parada. Segundo o coordenador de Controle da Dengue, o Estado registra até o momento pouco mais de 100 mil casos da doença este ano. Apesar do volume significativo, ele representa uma redução de 33%, comparado ao mesmo período do ano passado. Ainda assim, 58 mortes foram confirmadas e outras 24 estão sob investigação em Goiás.
A redução do quadro epidemiológico pode ser atribuída a uma série de fatores, explica o coordenador. Primeiramente pela estiagem precipitada observada este ano em todo o País. “Meses como fevereiro e março, reconhecidos pela chuva, foram marcados por uma seca inesperada. O País vivenciou uma alteração climática em 2014, com menores volumes de chuva”, recorda.
Ações de conscientização promovidas pelo poder público e a consequente contribuição da população nas medidas preventivas também reforçaram os meios de conter a transmissão. No entanto, no ano passado, o Brasil foi atingido pela circulação inicial do vírus tipo 4. “Muitas pessoas foram vítimas dessa virologia no último ano, o que as tornou imunes neste novo ciclo”, explica o especialista. O que significa que quando temos uma predominância de um novo vírus, o seu retorno acaba afetando menos pessoas.
As dicas do coordenador para se evitar a proliferação do mosquito da dengue são tanto para o tempo seco quanto para o de chuva. “Em tempos secos também temos algumas condutas que levam à geração de focos como distribuir vasilhames com água pela casa para contribuir com a umidade do ar, não se preocupar com a vazão do ar condicionado, aguar o jardim sem se preocupar com o acúmulo de água, entre outras que devem ser evitadas, ou contidas. O que é preciso que as pessoas saibam é que, independente do período, é preciso evitar qualquer mecanismo que possa acumular água e essa prevenção deve ser permanente, em qualquer período do ano”, alerta.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Nova unidade atenderá a cerca de 7 mil pessoas na Região Oeste de Anápolis

15/03/2019

Um espaço próprio que acabou de ser construído vai dar lugar a dois postos que funcionavam em locais alugados e precários...

Mitos e verdades sobre a enxaqueca

15/03/2019

Dor de cabeça forte, enjoo e sensibilidade à luz e ao barulho. Esses são os principais sintomas da enxaqueca, doença neur...

Aulas de Hiit são oferecidas gratuitamente em Anápolis

07/03/2019

São 30 minutos a 40 minutos de uma aula intensa: corrida, bicicleta, peso, abdominal. O céu é o limite para as variações...

Saúde intensifica ações de combate à dengue no Município

07/03/2019

De um lado, um batalhão formado por cerca de 400 agentes –250 comunitários de saúde e 150 de endemias. De outro, o Aedes...