(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Cruzada completa dois anos de ação

Comportamento Comentários 18 de dezembro de 2009

Ao completar o segundo ano de fundação, o movimento procura ampliar a participação da comunidade para prevenir a violência, as drogas e a desestruturação das famílias


A Cruzada Pela Dignidade completou dois anos de fundação. O movimento foi criado pelo juiz da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Anápolis, Carlos Limongi Sterse, com o objetivo de unir a sociedade civil organizada contra a violência, atuando num dos principais focos do problema: a desestruturação familiar. No último dia 14, a Câmara Municipal promoveu uma sessão especial para homenagear e reconhecer o trabalho desenvolvido pela Cruzada, hoje transformada em uma Organização Não-Governamental, que já arregimentou em torno de 300 voluntários.
Apesar do número expressivo de colaboradores, o juiz Carlos Sterse - presidente de honra da ONG - ressalta que é necessária uma participação ainda maior. Ele lembrou que a idéia surgiu há 12 anos, quando atuava na Comarca de Orizona, Goiás. “Nós identificamos ali muitos jovens enfrentando problemas com o alcoolismo, desagregação familiar e violência doméstica. Então, chamamos a comunidade à responsabilidade e o trabalho rendeu frutos”, disse, acrescentando que em Anápolis encontrou problemas semelhantes, mas de forma potencializada. “Lançamos, então, a semente da Cruzada pela Dignidade e, hoje, estamos começando a colher os frutos. A Cruzada é uma resposta da sociedade à necessidade de se promover o bem”, assegurou.
O presidente da ONG, professor João Francisco Mendes, destacou que o trabalho hoje é dividido em 12 comissões. Segundo ele, toda atividade é voluntária e o objetivo maior é dar amparo às famílias que têm problemas relacionados a drogas, alcoolismo e violência doméstica. Ou que sejam vulneráveis a uma dessas ocorrências. A principal arma da Cruzada é a conscientização da população, por meio de palestras e participação em eventos públicos.
Atualmente, uma das maiores preocupações da ONG é com o crack. A droga, um subproduto da cocaína, se alastra rapidamente por ser barata. Muitos usuários se tornam traficantes, para conseguir mais dinheiro para sustentar o vício, o que faz com que haja vários focos espalhados pela cidade, dificultando o trabalho da polícia em acabar com os pontos de venda. O crack também preocupa pelo fato de penetrar entre crianças. Daí, a importância de reforçar o trabalho de conscientização nas escolas. “A necessidade da Cruzada é de um exército para que as famílias sejam auxiliadas. Nós temos de garantir que as nossas crianças e os nossos jovens recebam uma educação cristã, séria e que valorize também os seus anseios”, completou o vice-presidente da Cruzada, pastor Leordino Lopes.
Durante a sessão especial, foi exibido um vídeo institucional, mostrando boa parte da trajetória da Cruzada Pela Dignidade, cujo trabalho já foi reconhecido internacionalmente pela UPF (sigla em inglês da Federação Universal da Paz).
(Matéria publicada na edição 244 do Jornal CONTEXTO.)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Comportamento

Registros de casamentos caem e os de divórcios aumentam, mostra IBGE

02/11/2018

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística acaba de divulgar a estatística de registro civil. Os números trazem dad...

Palmadas estimulam agressividade em crianças, diz estudo

29/04/2016

A criança que apanha (leves palmadas no bumbum ou em outra extremidade) é mais propensa a desafiar seus pais, ter um compor...

Brasileiras iniciam vida sexual na adolescência

02/10/2015

etade (53%) das mulheres inicia a vida sexual entre 16 e os 18 anos no Brasil. A pesquisa, reali...

Qual é a melhor idade para conversar com os filhos sobre o álcool?

14/09/2015

ara evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica entre pré-adolescentes e jovens...