(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Crise afetou economia goiana em 2015

Economia Comentários 01 de abril de 2016

Geração de riqueza em Goiás registrou queda, no ano passado, de 2,6%. Maior recuo foi no setor de indústria, que tem um peso importante no contexto da economia estadual


A crise econômica e política que vive o País nos últimos dois anos, com agravamento em 2015, refletiram nos resultados do Produto Interno Bruto (PIB) goiano, que registrou queda de -2,6%. Embora a soma das riquezas produzidas no Estado tenha diminuído no ano passado, na comparação com 2014, o índice ainda foi menor que a média nacional, que teve recuo de -3,8% no período, e de estados como São Paulo (-4,1%); Minas Gerais (-4,9%) e Bahia (-3,2%), de acordo com estimativas do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).
Segundo a superintendente do IMB, Lillian Maria Prado, desde quando se apura o resultado do PIB goiano, em 1985, esta foi a primeira vez que o Estado apresentou resultados negativos no fechamento do ano. O último trimestre pesou mais no resultado do ano, com queda de 6,6% no período na comparação com o mesmo trimestre de 2014.
O secretário de Gestão e Planejamento (Segplan), Joaquim Mesquita, estima que, este ano, o Produto Interno Bruto goiano apresentará números melhores do que os registrados no ano passado, embora ainda tendendo para índice negativo. Ele lembra que os indicadores relativos à agricultura goiana, já divulgados, mostram que as safras de soja e de milho foram recordes, o que impactará mais positivamente na economia. Além disso, ele cita a retomada das obras públicas que garantirá mais circulação de recursos no Estado e geração de mais empregos.

Setores
Todos os setores que compõem o Produto Interno Bruto goiano registraram desempenho negativo no último trimestre de 2015 e, por consequência, no fechamento do ano. Nos 12 meses, a indústria recuou 2,88%, o setor de serviços 2,19% e a agropecuária teve queda de -2%. Mesmo assim, no ano passado, de acordo com as primeiras estimativas do IMB/Segplan, mais de R$ 166,85 bilhões circularam pela economia goiana, contra os R$ 159,16 bilhões do ano anterior.
A queda da produção de soja (-3,8%), cultura de grande importância na pauta das exportações goiana, do algodão (-40,8%), do tomate (-16,7%) e da cana de açúcar (-0,4%) ajudou a puxar para baixo o desempenho da agropecuária goiana. Isso ocorreu devido às condições climáticas adversas manifestadas durante todo o ano passado.
De acordo com as estimativas do IMB/Segplan, o setor industrial goiano também recuou bem menos que o brasileiro (2,88%, diante de 6,2% na média do País). Isso ocorreu porque a construção civil registrou alta devido a grandes obras públicas de infraestrutura, como o Centro de Excelência do Esporte, rodovias, ferrovias e o aeroporto de Goiânia, entre outras.
Por outro lado, Lillian Prado chama a atenção para o recuo de 69,2% da produção do segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias. No quarto trimestre de 2015. Dos quatro grandes segmentos que compõem o setor industrial do Estado (indústria de transformação, indústria extrativa, produção e distribuição de eletricidade, gás e água) apenas a construção civil registrou crescimento.

O setor de serviços é o que tem o maior peso na formação do PIB goiano (61,8%). Assim, o seu resultado negativo registrado ao longo do ano passado, de -2,19%, influenciou o desempenho da economia goiana. O segmento que mais pesou negativamente foi o comércio varejista de veículos, motocicletas, partes e peças (-24,2%), seguido de móveis e eletrodomésticos (-17,8%) e hipermercados e supermercados (-12,8%).
O somatório de desemprego, queda da renda, aumento da inflação, decrescimento da economia, a desconfiança dos investidores quanto à solvência do governo federal justificam os resultados do PIB goiano e do brasileiro, no ano passado, de acordo com avaliações dos técnicos do IMB/Segplan.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Ministério Público quer implantar nova tecnologia para monitorar os preços dos combustíveis

21/09/2017

O projeto MP de Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público de Goiás em parceria com o governo estadual com o obje...

Preços dos combustíveis variam até mais de 36% nos postos

21/09/2017

O Procon de Anápolis realizou, entre os dias 12 e 14 de setembro, pesquisa para aferir a variação de preços dos combustí...

Balança comercial registra o 44º superávit consecutivo

21/09/2017

O secretário de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes comemorou na última quarta-feira, 13, o resultado da balança comer...

Anápolis é a cidade do Estado com mais vagas de emprego

21/09/2017

O Sistema Nacional de Emprego é uma instituição criada pelo Governo Federal, com objetivo de promover a interação entre ...