(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Criminosos se passam por agentes de saúde para roubar idosos

Violência Comentários 28 de agosto de 2015

De janeiro até agora já foram registrados 68 casos de golpes aplicados em idosos, a maioria com as mesmas características


Dezenas de idosos estão sendo vítimas de criminosos que se passam por agentes de saúde para lhes aplicar golpes, na maioria dos casos em suas próprias residência. Dados da Delegacia do Idoso revelam que desde janeiro já foram registrados 68 casos de golpes aplicados em idosos, denunciados por seus familiares ou pelas próprias vitimas, que preferem não ser identificadas publicamente, com medo de serem roubadas novamente, em suas casas.


O último caso desse tipo de golpes foi registrado na Delegacia do Idoso, na tarde da última quinta-feira, 27, segundo informou o titular desta especializada, Manoel Vanderic, antecipando, mesmo diante do grande número de registros, que ainda não dispõe de indícios que possam levar a identificação dos criminosos. “O que sabemos até agora é que duas duplas estão agindo na cidade, na maioria dos casos em bairros da periferia, em horários de pouca movimentação, quando as vítimas estão sós”, acrescentou o delegado, admitindo dificuldade para identificar os criminosos.


De acordo com relato feito pelas vítimas, ao serem abordadas. geralmente por duplas de criminosos que se identificam como agentes de saúde, um deles pede para fazer exame de glicemia e para medir a pressão arterial do idoso, enquanto o outro fica observando a casa, o quarto do idoso, o quintal e os produtos mais valiosos que as vítimas possuem, principalmente os mais fáceis de serem furtados.


Em algumas situações, o segundo elemento vai até o local onde o idoso guarda seu cartão de aposentado, apoderando-se do documento e de dinheiro que ele guardou no mesmo local. “A maioria das vítimas são de pessoas simples e carentes”, revelou Manoel Vanderic. Segundo ele, em alguns casos os criminosos pingam gota de um colírio nos olhos das vítimas, deixando-as com a visão embaçada, o que facilita a ação dos criminosos.


Ameaças


Em outros, quando as vitimas reagem, os criminosos os ameaçam ou partem para a agressão física. De acordo com o delegado, de posse do cartão e algum dinheiro que foi guardado junto em um mesmo local, os criminosos fazem saque na agência bancária onde o idoso recebe sua aposentadoria. “Isso ocorre porque muitos idosos anexam a senha ao cartão, o que facilita ainda mais a ação destes criminosos.


Para evitar este tipo de golpe, Manoel Vanderic está alertando os idosos a serem mais cautelosos, quando aparecer qualquer pessoa em suas residências, identificando-se como agentes de saúde. Ele lembrou que os agentes de saúde usam uniformes e crachás que os identifica. “No caso de alguma dúvida, sugiro aos idosos entrar em contato com qualquer pessoa de sua família ou com a própria Secretaria Municipal de Saúde para saber se a visita é verdadeira ou se não é um golpe”, disse o delegado reconhecendo que este tipo de golpe não é novidade, mas que sua freqüência aumentou muito nos últimos meses.


Na Secretaria Municipal de Saúde, o diretor de Estratégia de Saúde da Família, Ricardo Carvalho informou que o órgão orienta os idosos a tomar alguns cuidados antes de deixar um agente de saúde entrar em suas casas. Segundo ele, o agente tem que se identificar, estar uniformizado e ter um crachá. “Na dúvida, a pessoa pode ligar para a Secretaria Municipal de Saúde, dando o nome do agente que quer entrar em sua casa”, disse o diretor, alertando os idosos a serem mais criteriosos antes de permitir que um agente de saúde entre em sua residência. 

Autor(a): Ferreira Cunha

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Operação conjunta prende suspeitos de homicídios

10/08/2017

Operações realizadas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil, de Anápolis e Luziânia, cumprir...

O que mudou 11 anos depois de aprovada a Lei “Maria da Penha

03/08/2017

Embora se admita que o sexo feminino tenha experimentado mais poderes na última década, a Lei Maria da Penha, que completar...

Índice de mortes violentas ainda assusta a população anapolina

28/07/2017

A aparente tranquilidade que vinha sendo registrada no que diz respeito aos crimes contra a vida, em Anápolis, foi interromp...

Vereador do PSDB alerta sobre onda de assaltos em farmácias

06/07/2017

Os proprietários e funcionários de farmácias de Anápolis vivem com medo com a frequência de assaltos nos estabelecimento...