(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

CPMI da Violência contra a Mulher em Goiás

Geral Comentários 14 de dezembro de 2012

O Estado de Goiás ocupa a nona posição entre os estados brasileiros em assassinatos de mulheres


A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional que investiga a violência contra a mulher realiza, nesta sexta-feira (14/12), audiência pública no Estado do Goiás. O evento está programado para a partir das 13:30 horas, no Auditório Solón Amaral da Assembleia Legislativa. A programação da comissão em Goiânia, entretanto, começa pela manhã, com a entrega de relatório do movimento social de mulheres / Fórum Goiano de Mulheres à CPMI, no Centro Cultural Cara Vídeo, no setor Sul. Por volta das 13 horas, haverá entrevista com a imprensa, também no auditório da Assembleia.
A CPMI é presidida pela deputada federal Jô Moraes (PCdoB-MG), tem em sua relatoria a senadora Ana Rita (PT-ES) e na vice-presidência, a deputada Keiko Ota (PSB-SP). A audiência no Estado de Goiás é objeto de requerimento da deputada federal Marina Sant’Anna (PT-GO).
Foram convidados a prestar depoimentos à CPMI as seguintes autoridades: Joaquim Cláudio Figueiredo Mesquita, Secretário de Segurança Pública de Goiás; João Paulo Brzezinski da Cunha, Defensor Público do Estado de Goiás; Antônio Faleiros Filho, Secretário de Saúde do Estado de Goiás; Gláucia Theodoro Reis, Secretária da Mulher do Estado de Goiás; Benedito Torres Neto, Procurador de Justiça do Estado de Goiás; Leobino Valente Chaves, Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, entre outras.
O estado de Goiás ocupa a 9ª posição entre os estados brasileiros em assassinatos de mulheres, com taxa de 5,7 para grupo de 100 mil mulheres. O primeiro colocado é o estado do Espírito Santo (9,8), o segundo Alagoas (8,3) e o Paraná aparece na terceira colocação (6,4). Em Goiânia, a taxa cresce e sinaliza 6,8 assassinatos para grupo de 100 mil mulheres. A cidade é a 9ª entre as capitais do País em homicídios de mulheres.
Os dados são do Mapa da Violência 2012, elaborado pelo Instituto Sangari/Ministério da Justiça. O relatório completo do Mapa da Violência atualizado em 2012 pode ser acessado no site www.mapadaviolencia.org.br.
O Brasil é o 7º país que mais mata mulheres no mundo. El Salvador com taxa de 10,3, Trinidad e Tobago e a Guatemala, ambos com taxa de 7,9 aparecem nas posições seguintes.O Mapa da Violência mostra que nos últimos 30 anos foram assassinadas mais de 92 mil mulheres, 43,7 mil só na última década, sendo que 68,8% dos homicídios ocorrem dentro de casa e são praticados pelos cônjuges.
No mês de outubro foram realizadas diligências da CPMI da Violência contra a Mulher no Distrito Federal e entorno. Segundo a relatora, senadora Ana Rita, foi possível verificar nessas diligências que a rede de assistência às vítimas de violência doméstica e familiar está longe do ideal. Entre os locais visitados estiveram delegacias especializadas no atendimento a mulher (DEAMs), Vara Especializadas, Instituto Médico Legal (IML) de Formosa e Brasília.
Em Goiás, a cidade de Formosa lidera o ranking entre as mais violentas do País com taxa de 14,4 assassinatos a cada 100 mil mulheres. É seguida de perto por Valparaíso de Goiás (10,2) e Águas Lindas de Goiás (8,8).

Roteiro
Em funcionamento no Congresso Nacional desde fevereiro, a CPMI tem como objetivo investigar a situação da violência contra a mulher no Brasil e apurar denúncias de omissão do poder público.
Em seu plano de trabalho a comissão previu visitas aos Estados mais violentos do Brasil para as mulheres, além dos quatro mais populosos do país. A CPMI já esteve no Distrito Federal e em 17 estados: Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Alagoas, Paraná, São Paulo, Bahia, Paraíba, Goiás, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Pará, Roraima e Ceará.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Município quita dívidas trabalhistas de ex-servidores comissionados

19/04/2017

A Prefeitura de Anápolis começa a quitar dívidas trabalhistas do município, que estão pendentes desde 2011, para ex-serv...

Ovos de chocolate com diferenças salgadas, aponta pesquisa do Procon

12/04/2017

O Procon de Anápolis divulgou a pesquisa sobre os preços de produtos para a páscoa- ovos de chocolate e caixas de bombons....

Projeto da sede do MP tem significativo avanço

12/04/2017

A proposta de se definir uma nova sede para as promotorias de Justiça em Anápolis (hoje funcionando em um edifício da Aven...

Advogados receberam a Caravana Nacional de Prerrogativas

07/04/2017

Morosidade do Poder Judiciário; desrespeito por parte de autoridades policiais, juízes, promotores; porte de arma; e até o...