(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Contabilista esclarece serviços oferecidos

Geral Comentários 21 de outubro de 2010

De acordo com Paulo Roberto, atividade que exerce em imóvel alugado ao lado da Polícia Federal é legal. Ele também afirma que jamais se passou por policial ou servidor da PF


O contabilista Paulo Roberto Ferreira procurou a redação do CONTEXTO para esclarecer alguns pontos sobre a notícia publicada na última edição, sob o título: “Falso funcionário investigado pela Polícia Federal” (Página 6, primeiro caderno), em que o Ministério Público Federal (MPF), através da Procuradoria da República em Anápolis, informou sobre a abertura de inquérito civil público para averiguar os serviços por ele realizados em um imóvel alugado ao lado da sede da Polícia Federal.
Segundo foi divulgado pela assessoria do MPF, o escritório tem as mesmas cores e características do prédio oficial. Paulo Roberto ressaltou que não consta na legislação, nenhum impeditivo, uma vez que, conforme observa, não há nada que determine que as cores preto e amarelo sejam exclusividade da PF. Ainda assim, ele reconheceu que pode haver confusão e que irá mudar a fachada, acabando com o mal-entendido.
O contabilista explicou, ainda, que não tem funcionários fazendo abordagens de pessoas e que em momento algum se fez passar por policial ou por servidor da PF. Ele disse que o serviço que faz é o de agendamento de passaporte que, conforme disse, pode, realmente, ser feito gratuitamente por qualquer pessoa, inclusive pela internet. “Acontece que muitas pessoas não têm domínio de informática ou não possuem impressora para baixar o formulário. O contabilista pondera que faz o serviço dando toda a orientação sobre documentos, evitando perda de tempo para as pessoas”, argumentou, acrescentando que o mesmo serviço é feito em agências de viagem, que chegam a cobrar R$ 50. No seu caso, é cobrado o valor de R$ 30.
Paulo Roberto fez um comparativo com o Imposto de Renda, em que as pessoas podem, se quiserem, baixar o programa da Receita Federal e fazerem as declarações por conta própria. No entanto, se acharem complexo, podem, também, optar em fazer através de um contador sendo que, neste caso, os preços praticados são variados. Dessa forma, enfatizou que não há nenhuma irregularidade na atividade que exerce.
O contador relatou que na quarta-feira, 20, haveria uma audiência no Ministério Público para tratar da questão e adiantou que a mudança da fachada já seria uma proposta para um eventual termo de ajustamento de conduta e que não teve a intenção de causar nenhuma afronta, reafirmando que está apenas fazendo o seu trabalho. Ele lembrou, ainda, que o mesmo serviço era realizado pelo Sindicado dos Policiais, no mesmo imóvel, sendo que depois a entidade mudou-se para um prédio ao lado da Delegacia. Conforme observou, há alguns anos vinha desenvolvendo a atividade sem nenhum problema e procurando atender aos seus clientes da melhor forma possível e de maneira honesta. “Não fico iludindo ninguém”, frisou, dizendo que no caso de certidão negativa, apenas baixa o formulário, quando é solicitado, mas esse serviço nem é cobrado porque o volume é insignificante.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Adoção de selo eletrônico é adiada

22/06/2017

A Secretaria da Fazenda informa que a obrigatoriedade de uso do Selo Fiscal Eletrônico para as embalagens descartáveis de ...

Jovem anapolino abre portas para o difícil universo das fragrâncias

15/06/2017

O jovem anapolino Helder Machado Owner é um exemplo de que o empreendedorismo não tem barreiras. A primeira coisa para aven...

Subseção da OAB entrega Moção a juíza de Anápolis

09/06/2017

A juíza titular da 2ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Anápolis, Aline Vieira Tomás, recebeu, na segunda-feira...

Controle da folha de pagamento é um desafio para a Prefeitura

02/06/2017

Dentro do que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Prefeito Roberto Naves e a equipe econômica apresentaram, ...