(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Consórcio criará mercado comum para operar no Brasil Central

Economia Comentários 02 de fevereiro de 2017

O colegiado conta com representantes de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e do Distrito Federal.


Uma reunião do Conselho Administrativo abriu a programação da primeira agenda do Consórcio Brasil Central (CBC) de 2017, nesta quinta-feira,02, em Goiânia. A principal pauta do encontro será a criação do Mercado Comum do Brasil Central, proposta idealizada pelo governador Marconi Perillo. As reuniões serão no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.
Criado em 2015 pelo governador Marconi Perillo, o Consórcio do Brasil Central (BrC) começa seu terceiro ano de atividades consolidado como instituição de referência para o País em áreas prioritárias de desenvolvimento entre os estados brasileiros, como Economia, Educação, Saúde e Segurança Pública. O Consórcio, que engloba o Fórum de Governadores, reúne representantes de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e do Distrito Federal.
O bloco de chefes dos executivos estaduais iniciou uma série de compromissos e audiências nos estados integrantes, ainda em 2015, com forte peso político e habilidade de ampliação, que foi sendo confirmada ao decorrer dos meses. Unidos em prol de busca por soluções para a crise econômica nacional enfrentada pelos estados brasileiros, ao Consórcio acabaram aderindo novos membros e, assim, foi conquistando espaço de relevante influência no cenário político-econômico do País.
Goiânia
Os governadores deverão aprovar neste encontro do Consórcio Brasil Central, o contrato com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), convidada para estruturar o projeto, para dar início à formação do Mercado Comum, que funcionará aos moldes da Zona do Euro, com circulação de mercadorias com tarifas diferenciadas. Após a efetivação do contrato, a consultoria definirá com os estados a formação das alíquotas comuns. Para consolidação do Mercado Comum, os estados deverão ter a aprovação das tributações por suas Assembleias Legislativas.
Os governadores também devem aprovar o Selo de Qualidade do CBC, desenvolvido em parceria com o Movimento Brasil Competitivo (MBC). A aprovação do selo é o passo inicial para um amplo e detalhado estudo das relações dos estados que compõem o Consórcio Brasil Central com mercados internacionais.
Além dos seis governadores, vão participar também o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Alckmin participará da reunião do fórum dos governadores, última agenda do segundo dia de reuniões do Consórcio. O Maranhão participa do Consórcio como membro associado.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...