(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Compre seu imóvel de maneira segura

Geral Comentários 14 de maio de 2010

Comprar um imóvel nem sempre é tarefa fácil. Com o número de opções disponíveis, é necessária a ajuda de um corretor para escolher corretamente o seu empreendimento. Entretanto, é preciso ficar atento para não ser enganado pelos contraventores.


O crescimento do setor imobiliário em Anápolis aumentou o leque de opções para os interessados em adquirir imóveis. Dessa maneira, surgem propostas diversas visando atrair a quem procura apartamento, casa ou terrenos para construir. Embora não exista nada que impeça uma transação entre particulares, é sempre bom que a venda seja feita com a intermediação ou com a orientação de um corretor credenciado. Nesse sentido, antes de fechar um negócio, deve-se saber se o profissional que vai intermediar o negócio está credenciado no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci). Isso pode ser feito por meio da apresentação de carteira de identificação, expedida pelo órgão. Além disso, é importante verificar se não constam processos administrativos contra este corretor junto aos juizados e cartórios competentes.
Dados do Creci - Anápolis indicam que existem, no município, 395 corretores de imóveis, de um total de aproximadamente 15 mil no Estado de Goiás. O número deve aumentar para 431, pois 36 profissionais obtiveram o registro no último dia 11 de maio. Para o delegado do órgão municipal, Francisco Carlos Lobo, “o corretor de imóveis é um profissional preparado para atender ao cliente. Caso ele infrinja a lei, pode ser notificado, e até mesmo, preso”.
O número de profissionais contraventores, ou seja, que vendem imóveis à revelia do Creci, é de aproximadamente 5%. Nesse sentido, 20 profissionais ainda se encontram irregulares no comércio de imóveis de Anápolis. De acordo com Francisco Lobo, “os contraventores usam das mais diversas técnicas para enganar os compradores. Muitas das vezes, dizem que trabalham para determinada empresa, quando na verdade estão irregulares”.

Fiscalização
A fiscalização do Creci se dá no sentido de aproximar o órgão do contraventor, em um primeiro momento. Caso haja reincidência na venda ilegal de imóveis, o profissional que estiver irregular poderá ser preso, em caso de flagrante.
Para se regularizar, o profissional deve fazer curso específico. Nesse sentido, são aceitos os cursos de Técnico em Transações Imobiliárias ou Gestão Imobiliária. É obrigatória a conclusão do 2º grau. Para auxiliar os interessados em ter a carteira do Creci, há o estabelecimento de convênios entre escolas de ensino médio. “O nosso objetivo maior não é punir o clandestino, mas regularizar sua situação. O grande problema é que muitas vezes, eles têm medo de nos procurar”.
As imobiliárias também devem estar atentas à legislação. A Lei dos Corretores de Imóveis estabelece que os empreendimentos só podem ter em seu corpo de vendedores, profissionais credenciados ou em fase de estágio. “Quando um empresário abre suas portas aos contraventores, sua licença para compra e venda de imóveis pode ser cassada”, afirmou Francisco Lobo. Ao todo, Anápolis conta com 68 imobiliárias.
O delegado do Creci entende que não há mais espaço no Município para os ilegais. Ele acredita que, com o aumento da oferta de imóveis, promovida em grande parte por programas habitacionais do Governo Federal, o setor se profissionalizou. “Só vai sobreviver nesse mercado, o profissional que for ético e conhecer o seu trabalho. Os contraventores serão excluídos”.

Mercado
O mercado imobiliário também tem procurado contribuir no combate à venda irregular de imóveis. De acordo com Idelvan Silvestre Costa, proprietário da Imobiliária Residência, “antes da atuação intensiva do Creci, há aproximadamente dez anos, a situação era incontrolável. Hoje, a maioria das imobiliárias e dos corretores está regularizada”.
Para ele, o principal problema é que os ilegais não têm conhecimento da área em que atuam. “Eles estão enganando os compradores, pois não conhecem a legislação específica nem os procedimentos de compra e venda legal. Além disso, o profissional irregular faz diminuir o valor de mercado das comissões pagas aos corretores”. De acordo com Idelvan, “o valor médio de uma comissão é de 6%. Os corretores ilegais negociam muitas vezes a 3%. Dessa maneira, acabam prejudicando a quem trabalha honestamente”.

Procedimentos
Antes de se concluir a negociação de um imóvel, alguns procedimentos são aconselhados. Para saber o valor de um bem, deve ser feita avaliação por um corretor. Caso haja dúvidas, outros profissionais do setor devem ser consultados, buscando-se achar um valor médio de preço entre as avaliações. O valor de um imóvel leva em conta a sua localização, finalidade (comercial, moradia) e a lei da oferta e da procura.

Como se habilitar
Possuir curso de Técnico em Transações Imobiliárias ou Gestão Imobiliária
Certificado de aprovação no exame de proficiência
Formação escolar de nível médio
Inscrição no Conselho Regional de Corretores de Imóveis

Autor(a): Felipe Homsi

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Ampliado o alcance do Portal do Cidadão

20/10/2017

O Portal do Cidadão, lançado em julho pela Prefeitura, já apresenta resultados efetivos e se confirma como facilitador na ...

Audiência vai discutir o Estatuto do Desarmamento

20/10/2017

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF) prorrogou o prazo das inscrições para os interessados em assistir à audiên...

Donos de postos e funcionário do Inmetro são presos pela PF

20/10/2017

Até a manhã desta quinta-feira,19, dois empresários de Anápolis se encontravam presos na carceragem da Polícia Federal, ...

Vereador quer melhorar transporte interestadual

20/10/2017

vereador Lisieux José Borges (PT), se reuniu com o presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR), Ridoval Chiareloto, p...