(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Como evitar a temida barriguinha dos 40?

Saúde Comentários 01 de novembro de 2013

Gordura abdominal aumenta riscos de problemas cardíacos, câncer e diabetes; é preciso se manter ativo e não aumentar o consumo de calorias.


A barriga protuberante após os 40 anos faz com que alguns homens e mulheres se desesperem: é um dos primeiros sinais da meia-idade se aproximando.
De alguma forma, parece quase garantido que, nessa idade, aquele pneuzinho vai se formar na cintura, levando muitos a recorrerem a novas estratégias de dietas.
Empregos estressantes, que deixam pouco tempo para praticar as 2,5 horas de exercícios físicos semanais recomendadas, e diversas refeições feitas na rua, que muitas vezes têm alto conteúdo calórico – estilo de vida comum a muita gente – fazem com que aumente a gordura abdominal no corpo.
A má notícia é que o excesso de peso, especialmente na cintura, eleva os riscos de problemas cardíacos, derrames, alguns tipos de câncer e diabetes tipo 2.

Comida, hobbies e dança
A maneira de prevenir isso é adotar um estilo de vida mais saudável ou encontrar um hobby que resulte em alto gasto de energia, destaca o professor de desenvolvimento fisiológico Michael Symonds, da Universidade de Nottingham, no Reino Unido.
Ele próprio diz que mantém o peso que tinha aos 20 anos, apesar da grande quantidade de trabalho e dos seis filhos. Seu segredo é pedalar 32 km por dia.
Symonds também recomenda distância de comidas processadas, com alto teor de açúcar e gorduras – a sugestão é trocá-las por vegetais frescos –, e que, na medida do possível, evite-se o estresse no trabalho.
O professor também acrescenta: “Pesquisas mostram que padrões inconstantes de sono têm um impacto (no sobrepeso). Por causa disso, a propensão à obesidade é maior entre trabalhadores que têm turnos em horários diferentes”.
A pesquisadora sênior Katya Mileva, da Academia do Esporte da Universidade de Suth Bank, em Londres, sugere a dança como forma de pessoas entre 50 e 60 anos se manterem saudáveis.
“Danças energéticas latinas (como samba e salsa) são atividades aeróbicas bastante dinâmicas, que também servem como distração”, aponta Katya. Ewla também recomenda atividades que exercitam a mente, como tai chi chuan e ioga.

Medida da cintura
Muitas dessas dicas são senso comum, mas a grande questão é saber quando agir – fotos muitas vezes são uma ferramenta útil, por evidenciarem as diferenças na barriguinha em diferentes períodos da vida.
O passo seguinte é medir a circunferência abdominal, um importante indicativo de quão saudável estamos. O Fórum Nacional de Obesidade britânico diz que uma cintura com mais de 88,9 cm em mulheres e 102 cm em homens representa “um risco substancialmente maior” de desenvolver problemas do coração e diabetes tipo 2.
Mas, mesmo uma circunferência abdominal de 81,3 cm para mulheres e de 94 cm para homens, já traz riscos à saúde. O motivo, segundo especialistas, é que o acúmulo de gordura na barriga faz com que as artérias se estreitem, algo que a gordura dos quadris não faz.

Cintura x peso
Pesquisadores indicam, portanto, que todas as pessoas mantenham sua medida de cintura em menos da metade de seu peso. Isso significa que um homem de 1,82 m de altura deve ter uma cintura menor que 91 cm; e uma mulher de 1,62 m não deve ter cintura maior do que 81 cm. Ao mesmo tempo, à medida que envelhecemos, fica mais difícil perder peso, já que nossa composição corporal muda. Isso é parte de um processo natural, diz Michael Symonds.
“Entre os 30 e 40 anos, as pessoas tendem a se exercitar menos, e mudanças no metabolismo causam uma predisposição para maior acúmulo de gordura.”

Músculos
A “gordura boa”, que todos temos quando somos bebês, diminui periodicamente ao longo da infância. Ao chegarmos à meia-idade, ela é substituída pela “gordura ruim”, que se acumula na cintura e nos quadris.
A idade também leva à perda de massa muscular, o que faz com que se reduza nosso consumo de energia. Isso porque o tecido adiposo (de gordura) precisa de menos calorias para manter suas funções em comparação com os músculos. É aí que começam os problemas, diz Emma Williams, da Fundação Nutricional Britânica.
“Muitas pessoas se tornam menos ativas nessa idade. Se você está queimando menos calorias e não muda sua dieta, vai ganhar peso”, ressalta.
“Mudanças hormonais também influenciam na distribuição de gordura pelo corpo, e se torna mais provável seu acúmulo no meio (cintura e quadril).”
Pais de meia-idade, que chegaram a ser muito ativos cuidando de crianças pequenas, podem ficar tentados a descansar o corpo durante a adolescência dos filhos e aproveitar mais churrascos regados a cerveja – talvez em excesso.
Mas a verdade é que não precisamos comer tanto nessa fase da vida e devemos nos manter sempre ativos.

Autor(a): Bem Estar

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Goiás registra queda nos casos de catapora

05/10/2017

A catapora, cientificamente chamada varicela, é uma infecção viral primária, aguda, altamente contagiosa, caracterizada p...

Protesto contra a falta de insulinas

28/09/2017

A falta de regularidade na dispensação de insulinas e insumos aos diabéticos cadastrados em um programa mantido pela Prefe...

Região de Anápolis mantém baixa em novos casos de dengue

21/09/2017

Anápolis pode fechar 2017 com bons indicadores em relação à dengue. Desde o início do ano, o Município mantém uma baix...

Hospital de Urgências capta coração para transplante pela primeira vez

31/08/2017

Pela primeira vez em sua história, o Hospital de Urgências de Anápolis “Doutor Henrique Santillo” promoveu o transplan...