(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Comércio exterior registra crescimento acelerado em Anápolis

Economia Comentários 29 de julho de 2014

Município ocupa, hoje, posições de destaque no comércio internacional. Crescimento da indústria é um ponto forte para a economia


Numa lista de 2.352 municípios brasileiros (do total de 5.570) que têm seus dados de importação e exportação registrados e divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), através da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), Anápolis figura no 25º lugar entre os maiores importadores; no 140º lugar entre os maiores exportadores e no 44º lugar em corrente de comércio (soma dos valores alcançados com as exportações e importações). Essas posições são atualizadas e referem-se ao período de janeiro a junho de 2014.
Entre os municípios goianos, Anápolis detém as melhores posições em relação à corrente de comércio e às importações. Nas exportações, fica atrás, apenas, das cidades de Rio Verde; Itumbiara, Alto Horizonte e Barro Alto.
Os dados da balança comercial evidenciam o que a história vem contando ao longo de sua existência, desde que a região tornou-se um ponto de referência dos tropeiros. Veio o comércio, a indústria e, hoje, a economia continua dinâmica depois de passar por vários ciclos e muitos períodos de dificuldades. Mas, a abertura econômica proporcionou ao País e, em especial para Anápolis, com a sua vocação mercantil, abrir as fronteiras do mercado. E, se hoje a Cidade mais compra do que vende para outros países, é porque o seu parque industrial assim o determina, sobretudo, em função do polo farmacêutico e da indústria automobilística.
Uma análise sobre os dados do MDIC permite constatar que o crescimento, tanto das exportações como das importações, tem sido vertiginoso. No primeiro ano da série estatística (2000), as vendas externas foram de apenas US$ 322 mil. No ano de 2005, já saltou para US$ 38,7 milhões; em 2010, para US$ 51,4 milhões e, em 2013, chegou à marca recorde de US$ 271,2 milhões. As compras internacionais começaram o primeiro ano da série com um volume de negócios de US$ 72,9 milhões; em 2005, chegou a US$ 160,9 milhões e, o melhor resultado foi registrado em 2011, US$ 3,168 bilhões. No ano passado, fechou em US$ 2,316 milhões.
Vale lembrar que o polo farmacêutico começou a ser implantado a partir de 1999 e a indústria automotiva se instalou no Município a partir de 2007, período em que as importações sofreram uma grande alta, devido à importação de veículos, peças, motores e outros componentes de montagem. Estes dois segmentos, também, utilizam tecnologia de ponta e equipamentos importados.

Semestre
No primeiro semestre deste ano - janeiro a junho - conforme os dados mais recentes do MDIC, as exportações feitas por US$ 147 milhões e as importações pouco mais de US$ 1,068 bilhão. O saldo da balança, devido ao grande volume de compras externas - que se justifica pelo fato de o parque industrial local importar muitos insumos - fechou negativo em US$ 921,6 milhões.
Na série histórica, as exportações tiveram, no ano passado, o maior volume desde 2000, quando foram divulgados os primeiros dados da balança comercial do Município. As vendas internacionais, em 2013, chegaram a US$ 271,2 milhões, com incremento de 10,37% em relação a 2012 que, até então era a melhor marca da séria, com o volume de US$ 245,7 milhões.
Em relação às importações, a melhor marca na série histórica foi registrada em 2011, quando as compras externas somaram US$ 3,168 bilhões. Em 2013, as importações registraram o volume de negócios de US$ 2,316 bilhões.

Parceiros
Os principais mercados de destino das exportações feitas por Anápolis, são: Países Baixos - Holanda (67,82% de participação); França (12,08%); Espanha (3,96%); China (3,66%); Hong Kong (3,20%); Coréia do Sul (2,76%); Estados Unidos (1,28%); Geórgia (0,87%) e Cuba (0,78%). Já os principais fornecedores internacionais, são: Coréia do Sul (41,18% de participação); Alemanha (25,20%); Estados Unidos (7,91%); China (4,88%); Suíça (4,28%); Índia (4,00%); Japão (2,35%); México (2,10%) e Canadá (0,66%). Os principais produtos exportados por Anápolis são: grãos e derivados do complexo soja, medicamentos e carnes. Os produtos mais comprados são automóveis, peças e componentes de veículos e insumos para medicamentos.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...