(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Comando de Missões Especiais faz operações na região

Segurança Comentários 06 de julho de 2017

Ações visam a apreensão de foragidos da justiça e de armas, com o objetivo de reduzir a estatística de homicídios e outros ilícitos


Na manhã da última quarta-feira, 05, foi deflagrada a “Operação Bairro Seguro”, da Polícia Militar, com o objetivo de prevenir e combater a criminalidade em Anápolis. A ação, que se prolongará por cerca de 20 a 30 dias, conta com reforço do Comando de Missões Especiais, apoiado pelos grupos especializados do BOPE; GIRO, Choque e GRAER, além das equipes dos batalhões operacionais sob a jurisdição do 3º Comando Regional da PM.
O comandante geral da corporação, Coronel Divino Alves de Oliveira, veio para dar o início à operação e fazer a entrega de cinco novas viaturas. Segundo ele, trata-se de um resgate de compromisso do Comando, em razão de algumas viaturas da Cidade haverem sido retiradas para atenderem a outras demandas. Ele, também, anunciou que, em breve, a Companhia de Policiamento Especializado, a CPE, receberá novas viaturas. Elas só não foram entregues agora porque ainda não estavam totalmente equipadas.
O comandante, em sua fala às autoridades civis e militares que compareceram à Praça Dom Emanuel para o lançamento da “Operação Bairro Seguro”, adiantou que Anápolis deverá receber, em breve, reforço de efetivo, com cerca de 200 policiais que estão sendo formados na Academia da PM e, futuramente outros 120 ou 130 do concurso que foi autorizado pelo Governo do Estado.
Sobre a operação, o comandante da Polícia Militar enfatizou - se dirigindo à tropa - que a mesma busque resultados efetivos quanto à apreensão de foragidos da Justiça, apreensão de armas e ações para combater o tráfico, crimes de homicídio, dentre outros. Ele citou que, no mês de junho, a estatística se apresentou favorável. Enquanto este ano foram 06 homicídios registrados oficialmente, no ano passado, também no mês de junho, foram 19.
O comandante disse desejar que a população sinta-se “incomodada” e que serão feitas muitas abordagens, mas que este incômodo é necessário e, ao mesmo tempo, também conclamou a comunidade a colaborar com a polícia, fazendo denúncias. Ele estima que a operação deva durar em torno de 20 a 30 dias e que não haverá disposição integral de toda a estrutura, que incluiu um helicóptero do GRAER. Mas, conforme frisou, as ações do Comando de Missões Especiais serão pontuais, “cirúrgicas” e planejadas com as unidades operacionais do 3º CRPM. Ele também defendeu uma maior integração da ação com a Polícia Civil e com o Ministério Público.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Segurança

Comitiva do Ministério da Ciência e Tecnologia visita a ALA 2

12/10/2017

Na última terça-feira,11, uma comitiva do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) visitou...

Implantação do Polo de Defesa poderá ter linha de crédito federal

12/10/2017

Resultado da reunião ocorrida na última terça-feira, 10, com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o projeto de implantaç...

Fugas expõem fragilidade na segurança da Cadeia Pública

06/10/2017

No domingo, primeiro de outubro, quatro presos conseguiram escapar do Centro de Inserção Social “Monsenhor Luiz Ilc” ap...

ALA 2 começa a se preparar para receber os primeiros caças Gripen

08/09/2017

Denominada de Base Aérea de Anápolis até dezembro do ano passado e, a partir de então, de ALA 2, a unidade local da Forç...