(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Câmara foi convocada para sessões extras

Política Comentários 23 de dezembro de 2015

Solicitação partiu do Prefeito João Gomes. Pauta inclui projeto que penaliza quem não ajuda combater focos de dengue e deixam lotes abandonados


O presidente da Câmara Municipal, Lisieux José Borges (PT), convocou sessão extraordinária para às 9 horas da próxima segunda-feira, 28, no Plenário “Teotônio Vilela”. A convocação ocorre por solicitação do prefeito João Gomes (PT), com o intuito de que os vereadores apreciem e votem quatro projetos de interesse do Poder Executivo.
O primeiro deles trata do Projeto de Lei Complementar nº 011/2015, que altera a Lei Complementar nº 136/2006 - Código Tributário do Município de Anápolis. Neste caso, em relação à concessão de licenças e definição de taxas e tarifas. A Prefeitura quer instituir a cobrança pelo serviço de limpeza em áreas particulares, que porventura estejam servindo de criadouros do mosquito da dengue, o Aegypri, também vetor da febre amarela, da chikungunya e do Zika vírus.
A segunda matéria é o Projeto de Lei Ordinária nº 018/2015, que altera a Lei Nº 3.124, de 18 de abril de 2005, relacionada ao convênio estabelecido pelo Município de Anápolis com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). O projeto possibilita a ampliação da cessão de ônibus e motoristas para a entidade.
Os vereadores também vão apreciar o Projeto de Lei Ordinária nº 019/2015, que reedita a Lei Nº 2.795, de 26 de novembro de 2001, que cria a Bolsa de Publicações Literárias, e a Lei Nº 3.664, de 21 de novembro de 2012, que institui a Bolsa Cultura. Essas leis referem-se ao apoio para publicação de obras literárias e para qualificação de escritores anapolinos. E, para fechar a pauta, serão apreciados os autos das contas do governo de Antônio Roberto Gomide, do exercício financeiro de 2013. O processo, remetido pelo Tribunal de Contas dos Municípios, segundo informa o presidente Lisieux José Borges, tem parecer favorável para aprovação.

Plano Diretor
O Prefeito João Gomes não incluiu na convocação, o projeto de revisão do Plano Diretor Participativo. A matéria- bastante complexa e polêmica- deve chegar à Casa somente no ano que vem, já com expectativa de um grande debate em torno do texto a ser encaminhado pelo Poder Executivo. As discussões começaram a ser travadas no início do ano. Foram realizadas várias audiências públicas. Mas, muitas questões que envolvem, por exemplo, o uso e parcelamento do solo não agradam alguns setores, como o imobiliário, em relação às novas exigências para implantação de loteamentos. Também polêmica é a questão da expansão urbana.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Daniel se compromete a reduzir IPVA em até 15%

20/09/2018

O candidato ao governo de Goiás pela Coligação Novas Ideias, Novo Goiás (MDB, PP, PRB e PHS), Daniel Vilela (MDB), afirmo...

Candidatura de Caiado ganha mais reforços de lideranças evangélicas

20/09/2018

O respeito e a credibilidade do Bispo Abigail (PSC) junto à sociedade goiana trouxeram um novo peso político à campanha el...

Zé Eliton diz que educação será prioridade em seu novo governo, caso seja reeleito

20/09/2018

O governador Zé Eliton (PSDB) afirmou que avançar mais na Educação é a máxima prioridade de seu novo governo e que a li...

Samuel Gemus: “Trago um novo jeito de fazer política nesta eleição”

20/09/2018

Aos 36 anos de idade e já dono de um extenso currículo na área médica, Samuel Fayad Gemus, ou Dr. Samuel, como muitos o c...