(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Ceramista desenvolvem projeto para área de proteção do João Leite

Geral Comentários 10 de junho de 2011

Na região da APA do ribeirão, que compreende Goiânia, Anápolis e mais cinco outros municípios, estão cerca de 40 empresas. O projeto visa a exploração sustentável na região


O Sindicato das Indústrias Cerâmicas do Estado de Goiás (Sindicer/GO) protocolou na Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EiaRima) das Atividades de Extração Mineral da Área de Proteção Ambiental (APA) do Ribeirão “João Leite”. O trabalho começou a ser elaborado a partir de outubro do ano passado, com o intuito de atender a exigências da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e o Ministério Público Estadual, através do Centro de Apoio do Meio Ambiente, para que as empresas que operam dentro da APA possam renovar as suas licenças de funcionamento.
O EIARima foi apresentado aos empresários do setor, recentemente, pela diretoria do Sindicato das Indústrias Cerâmicas do Estado de Goiás (SindicerGO), numa palestra com o diretor da CGR- Meio Ambiente - Consultoria, Assessoria e Projetos Ambientais, Carlos Gardel. A empresa dele foi contratada para o serviço e o resultado final resultou em três volumes encadernados em forma de livro, com um total de 800 páginas.
O objetivo do EiaRima, segundo explicou Gardel, é assegurar que as atividades extrativas na região, onde estão cerca de 40 empresas, atendam ao requisito da sustentabilidade, ou seja, de viabilidade econômica em consonância com a preservação ambiental e em conformidade com o Plano de Manejo elaborado pela Semarh, em vigor a partir de 2007. Todo EiaRima foi elaborado seguindo o Termo de Referência proposto pela Semarh.
O diretor da CGR Meio Ambiente ressaltou que a elaboração do EIARima foi um trabalho de grande complexidade e que envolveu uma equipe multiprofissional com biólogo; geógrafo; arqueólogo; engenheiro, advogado e vários técnicos que trabalharam na coleta de dados nas empresas e nas propriedades rurais localizadas dentro da APA. Além do aparato tecnológico para a obtenção de dados de satélite, confecção de mapas, dentre outros mecanismos. A APA do “João Leite” cobre uma área de 721,82 quilômetros quadrados que abrange sete municípios: Goiânia; Anápolis; Terezópolis de Goiás; Goianápolis; Nerópolis, Campo Limpo e Ouro Verde.
O vice-presidente do Sindicer/GO, Laerte Simão, conduziu a reunião com os empresários e ressaltou que a realização do trabalho exigiu muito esforço e dedicação da diretoria da entidade, em função da natureza e da complexidade do trabalho. “Estamos muito satisfeitos com o resultado”, destacou, acrescentando que os passos seguintes são a aprovação do estudo pela Semarh e a realização de uma audiência pública. “Procuramos trabalhar com rapidez para cumprirmos com os acordos e chegamos a um estudo muito bem feito e detalhado”, sintetizou.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Capitão Waldyr pode ser nome da Plataforma

13/07/2017

Decano da indústria, com uma folha de mais de 60 anos prestados aos classismo e, em especial, à Federação das Indústrias...

Prevista redução de construtores com novas exigências do MC

13/07/2017

A exigência do Ministério das Cidades para que todos os pequenos e médios construtores tenham o Cadastro Nacional da Pesso...

Anápolis presente no Conselho Nacional de Juventude

06/07/2017

A assessora de juventude da Secretaria Municipal de Cultura, Larissa Pereira, foi eleita para ocupar uma das três cadeiras d...

Ubiratan Lopes é empossado na presidência da FACIEG

29/06/2017

O empresário anapolino Ubiratan da Silva Lopes foi empossado na presidência da Federação das Associações Comerciais, In...