(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Centro de Convenções pode abrir novo cenário à economia regional

Geral Comentários 05 de abril de 2018

Centro de Convenções pode abrir novo cenário à economia regional


Um dos últimos atos do Governador Marconi Perillo, a inauguração do Centro de Convenções de Anápolis marca o fim de uma longa espera pelaobra, que promete mexer com a economia local, sobretudo, com os segmentos ligados ao lazer, turismo e eventos. A obra, toda ela realizada com recursos do Tesouro Estadual, tem custo estimado em quase R$ 140 milhões.
O Centro de Convenções Idelfonso Limirio Gonçalves ocupa uma área de 32 mil metros quadrados, localizada próxima ao Distrito Agro Industrial de Anápolis (DAIA), na saída para Goiânia. O espaço conta com dois auditórios com capacidade para 720 e 2.260 lugares, equipados com camarotes e camarins. Dois minis auditórios com capacidade para 145 lugares cada. Além disso, possui três blocos para exposições que podem ser utilizados separadamente ou juntos com uma área de 13 mil metros quadrados, 11 salas de apoio e ou reuniões, um teatro de arena com capacidade para 500 pessoas, área para restaurante para 200 pessoas, além de áreas de circulação.
“Ao entrar para compor o Governo Estadual, assumindo a Secretaria de Desenvolvimento, tive como uma das minhas prioridades a entrega deste Centro de Convenções concluído e tive total apoio do governador Marconi Perillo que sempre olhou por Anápolis e sempre soube reconhecer a importância desta cidade para Goiás”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento, Francisco Pontes, numa das recentes vistorias às obras do Centro de Convenções.
Francisco Pontes ressalta que o Centro de Convenções de Anápolis, um dos maiores do Centro-Ostes, deverá atrair eventos de grande porte em diversas modalidades e, com isso, movimentar diversos segmentos produtivos, em especial, o setor hoteleiro.
Em princípio, o Governo de Goiás estuda deixar a gestão do espaço com a Universidade Estadual de Goiás (UEG), mas, há também a possibilidade de que possa haver uma gestão compartilhada ou somente através da iniciativa privada, através de uma concorrência pública.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

UniEVANGÉLICA - Seminários destacam direitos da pessoa com deficiência

20/09/2018

Foi promovido nesta semana na UniEVANGÉLICA o Seminário dos Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, uma iniciativa d...

Regulamenta lei que proíbe fabricação e uso do cerol

20/09/2018

O governo de Goiás editou o Decreto n° 9.316, de 18 de setembro de 2018, que regulamenta a Lei n° 17.700/2012, que dispõe...

Comarca de Anápolis fica de fora do plano para a expansão de novas varas

20/09/2018

A Comarca de Anápolis ficou de fora da primeira fase do plano de reestrutura judiciária, definido pela Lei 20.254/18, que d...

Vereador destaca do Dia do Vicentino

20/09/2018

Em discurso no pequeno expediente, durante a sessão ordinária da última quarta-feira,19, o vereador Lisieux José Borges (...