(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

CDL: Crise deixa consumidor está mais cauteloso

Geral Comentários 18 de dezembro de 2015

Câmara de Dirigentes Lojistas prevê queda, mas avalia que mesmo assim o segmento tem expectativa positiva nesta reta final das vendas de Natal


O presidente da CDL, Wilmar Jardim de Carvalho, analisou que a expectativa do setor este ano é manter os mesmos patamares de vendas em relação ao Natal de 2014, quando se iniciou o cenário de crise econômica. Ele avalia que, a tendência é que haja uma retração na ordem de 20 até 25%, dependendo do segmento. Mas, mesmo assim, disse, não há clima de pessimismo, em razão de que o consumidor sempre dá uma resposta positiva na reta final, ou seja, às vésperas do Natal, pois é uma tradição entre as pessoas trocarem presentes. “Sem dúvida, as vendas vão acontecer, um pouco menores, pela crise, mas acreditamos que vamos ter um bom resultado”, enfatizou.
Questionado a respeito de muitas lojas no centro estarem demorando a abrir suas portas em horário especial, o presidente da CDL destacou que este fato tem sido verificado, em função de alguns fatores, como a questão da segurança e uma mudança de comportamento dos próprios consumidores. Ele não enxerga uma anormalidade, embora lembrando que, no passado, vários dias antes do Natal, o comércio fechava mais tarde as portas.
O Sindicato do Comércio Varejista elaborou um calendário para servir de referência para os lojistas e para ser pactuado, junto com o sindicato dos trabalhadores. O calendário prevê que do dia 14 ao dia 23, o comércio nos centros e nos bairros poderão abrir suas portas das 08 às 23 horas; nos shoppings, das 10 às 23 horas. Do dia 24 a 31, das 08 às 18 horas no comércio tradicional e das 10 às 18 horas nos shoppings. Nos dias 25 e 31, todos deverão fechar as portas. Neste domingo, a proposta é abrir das 09 às 15 horas o comércio normal e, nos shoppings, das 10 às 22 horas.


Pesquisa mostra intenção de compras

Uma pesquisa encomendada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Anápolis, com uma amostra de 400 consumidores entrevistados em diversos pontos da Cidade, revela a intenção de gastos para este Natal. As entrevistas aconteceram no período de 28 de novembro ao dia 03 último, sendo que a margem de confiança dos resultados é de 95%, segundo divulgado pela assessoria da entidade.
Mesmo com a crise, 33% dos entrevistados disseram que pretendem presentear os filhos; 24% o cônjuge; 16% os pais; 12% não pretendem presentear ninguém no Natal deste ano. Ainda: 7% pretendem presentear o namorado (a); 3% presentearão os netos; os sobrinhos perfazem 3% das intenções de presentear; as demais categorias ficaram com 2% ou menos da preferência.
Em relação ao número de presentes: 29% das pessoas vão comprar três presentes; 22% comprarão dois presentes; 17% comprarão quatro presentes; 13% comprarão sete ou mais presentes, 11% afirmam que vão comprar cinco presentes; 5% seis presentes e apenas 3% comprarão apenas um presente. Este dado mostra uma grande propensão a se presentear nesta data comemorativa, demonstrando mais uma vez que, apesar da crise, o natal ainda será bom para o comércio.
Quanto ao valor gasto com os presentes de Natal, a pesquisa demonstra que 50% dos consumidores gastarão entre R$ 100,01 e R$ 200,00; 21% gastarão mais de R$ 300,00; 14% entre R$ 50,01 e R$ 100,00; 11% gastarão entre R$200,01 e R$300,00; já 2% gastarão até R$ 20,00 com presentes e apenas 1% gastará entre R$ 20,01 e R$ 50,00 com presentes para o natal.
Questionando os consumidores que pretendem presentear alguém neste natal; 36% presentearão com itens de vestuário; 30% com brinquedos; 21% com calçados; 6% com outros tipos de presente; 5% com eletrônicos (onde se incluem os celulares); 2% com dinheiro - tais como perfumes, dinheiro ou viagens; e a mesma porcentagem ainda não sabe o que darão de presente.
Local de compra do presente: 55% pretendem comprar os presentes em lojas localizadas nas ruas de Anápolis; 29% comprarão os presentes em shoppings; 10% comprarão os presentes em camelódromos, 3% pretendem presentear com presentes comprados em galerias, finalmente, 3% comprarão na internet.
Forma de pagamentos dos presentes: 60% dos consumidores pretendem pagar em dinheiro; 18% usarão cartões de crédito; 10% utilizarão cartões de lojas varejistas; 6% recorrerão ao crediário; e 6% procurarão o bom e velho crediário.
O que as pessoas gostariam de ganhar no natal: 43% dos entrevistados disseram que não sabem o que querem ganhar e afirmaram ainda que se sentiriam felizes com qualquer coisa ganha; 23% querem ganhar calçados; 18% - algum tipo de aparelho eletrônico, destacando-se as TVs e os celulares; 14% dos consumidores preferem ganhar algum tipo de roupa no natal; 2% gostariam de ganhar uma viagem nesta data comemorativa.
Para calcular a média de gastos, entre os 400 entrevistados, 44% são do sexo masculino e 56% do sexo feminino. Baseado neste dado foi feita uma análise, concluindo que o público feminino gastará em média, R$ 196,00 com presentes para o Natal – valor médio 24% inferior ao do ano passado. Já os consumidores do sexo masculino, gastarão em média, R$ 258,00 com o presente de natal, 22% a menos que o ano passado. (Fonte: CDL)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Município quita dívidas trabalhistas de ex-servidores comissionados

19/04/2017

A Prefeitura de Anápolis começa a quitar dívidas trabalhistas do município, que estão pendentes desde 2011, para ex-serv...

Ovos de chocolate com diferenças salgadas, aponta pesquisa do Procon

12/04/2017

O Procon de Anápolis divulgou a pesquisa sobre os preços de produtos para a páscoa- ovos de chocolate e caixas de bombons....

Projeto da sede do MP tem significativo avanço

12/04/2017

A proposta de se definir uma nova sede para as promotorias de Justiça em Anápolis (hoje funcionando em um edifício da Aven...

Advogados receberam a Caravana Nacional de Prerrogativas

07/04/2017

Morosidade do Poder Judiciário; desrespeito por parte de autoridades policiais, juízes, promotores; porte de arma; e até o...