(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casos de Polícia - Ed. 480

Causos de Polícia Comentários 08 de agosto de 2014

Notas Gerais


Pego na praça
“É um cara de bermuda escura e boné vermelho”. Foi esta a descrição de uma denúncia anônima feita ao 190, que levou à detenção de Renato, um conhecido fornecedor de drogas para uma vasta clientela em Anápolis. De posse dos dados, o Cabo Abenildo e o soldado Wanderban se deslocaram até o Parque da Liberdade, Vila União, onde depararam com o denunciado, que se fazia acompanhar de um, menor de idade, seu “cliente”. Não houve dificuldade alguma para os dois serem conduzidos ao plantão policial.

Papo amargo
Oséias e Ana Amélia batiam o maior papo na Rua Francisco Fontes, Bairro Maracanã. Isto, antes de oito e meia da noite. Falavam sobre tudo. Foi quando apareceu, ninguém sabe de onde, um elemento mal encarado e foi logo afirmando que era assaltante e que não tinha tempo a perder. Levou a bolsa de Ana Amélia com três celulares, cartões de banco e documentos pessoais. Refeito do susto, o casal chamou a polícia e foi socorrido pelo Sargento Westerley e pelo Soldado Jardim.

Assalto ousado
Valmir Gláucia e Valdirene estavam em um supermercado do Bairro Paraíso, no começo da manhã. Faziam planos sobre o movimento do dia e esperavam uma boa clientela. E, os primeiros a chegar foram dois elementos armados com revólveres. Não queriam comprar nada. Queriam o dinheiro do caixa. Levaram R$ 400 em grana viva e dois telefones celulares. O Sargento Alessandro Martins atendeu a esta ocorrência. Os bandidos desapareceram pelas ruas do bairro.

Visita maldita
No Residencial Copacabana, pouco antes de uma da tarde, Dely recebeu a visita inoportuna de dois elementos. Eles eram assaltantes e sabiam que havia dinheiro na casa. Para conseguirem o intento, agrediram a vítima que não teve saída que não fosse entregar R$ 280. Depois do assalto, os bandidos desapareceram. Quando o Sargento Rosonei chegou, eles já haviam sumido. Foi questão de minutos.

Dupla do barulho
Carlos e Lucas, que não formam nenhuma dupla sertaneja universitária, estavam em um Ford Fiesta, no Bairro Jundiaí. Passava de duas da manhã, um dos motivos pelos quais o Cabo Santos resolveu abordar os dois. E não é que ambos estavam portando drogas? Dez pedras de crack e duas porções de maconha com Lucas, além de nove pedras de crack e uma grande porção de maconha com Carlos. Resultado? Ambos foram levados ao plantão policial.

Rebu no DAIA
Marco e Rafael estavam nas proximidades do trevo do DAIA. De repente, se estranharam e resolveram decidir a questão no braço. Foi pancada pra todo lado. Cada um bateu o quanto podia. Até que a polícia chegou, sob o comando dos soldados Patrick e Martins. Os militares levaram os brigões para o plantão. O interessante foi que eles chegaram calminhos da silva para uma conversa com o delegado.

O genérico
Michael Douglas, que não é aquele famoso ator de filmes policiais, mora em Anápolis, mais precisamente, no Residencial Itália. Esta semana ele chamou a polícia para denunciar o arrombamento de sua casa, de onde foram levados um note book, um telefone celular e um aparelho de som. Quem atendeu a ocorrência o Sargento Anderson. Era pouco mais de duas da tarde.

Carona complicada
Edson, que se identificou como suboficial da FAB, disse ao Soldado Félix que deu carona a dois travestis que estavam na região do Bairro Calixtolândia. Já passava de meia noite. Ele contou que, no trajeto, sentiu a falta da carteira e dos documentos, incluindo cartões bancários. Como ia descendo a Avenida Brasil Sul, entrou abruptamente no pátio do Quarto Batalhão de Polícia Militar e deu a parte. Como já estavam dentro do quartel, não houve maiores dificuldades em encaminhar Edson e os dois travestis de nomes Carlos e Weverton para o plantão de polícia, onde foram feitas as devidas explicações.

Brigas de amor?
“Some daqui!!!” gritou Lindeane para Willian. “Daqui não saio, daqui ninguém me tira!”, respondeu o Willian. Mais uma briga de casal, isto no Setor Aeroporto. Então, ela pegou as roupas de Willian e jogou sobre o capô do carro dele. Willian, indignado, começou a chutar o carro de Lindeane. Foi preciso chamar a polícia e, lá esteve o Soldado Flávio, que levou todo mundo para a delegacia. O relógio marcava nove da noite.

O atirador
Seis e pouco da tarde e Deusmar estava atirando contra alguns pombos, com uma espingarda de pressão, isto no Residencial Flamboyant. Egídio foi chamar a atenção dele e quase entra no chumbinho. “Atiro nos pombos e se você empombar, eu atiro em você”, disse o desaforado Deusmar. Egídio, que não é besta nem nada, não quis pagar para ver. Fez foi chamar a polícia e lá esteve o Soldado Flávio. Este levou os brigões para o plantão de polícia.

Colchão da discórdia
Ludivino colocou fogo no colchão de Valdeth, fato registrado no Residencial Morumbi às dez da noite. Valdeth chamou a polícia e foi atendido pelo Cabo Santana. Quando este chegou, Ludivino se irritou e partiu para cima dele, xingando-o e agredindo-o. Perdeu...

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

08/11/2018

Droga na praça I A Auxiliadora, que não anda auxiliando a ninguém ultimamente, foi abordada por policiais militares (Patr...

CAUSOS DE POLÍCIA

02/11/2018

Comércio ilícito Dois elementos, cujas identidades não foram reveladas, estavam no que a Polícia chama de “em atitude ...

Causos de Polícia

25/10/2018

Bananas da discórdia Os integrantes da viatura 8892 foram acionados para atenderem a um caso de violência doméstica, ist...

Causos de Polícia

11/10/2018

Mau começo O Adson, na companhia do menor de inicial G, andava dando a maior sopa nas ruas de Anápolis. Nem parecia que os...