(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casos de Polícia - Ed. 466

Causos de Polícia Comentários 24 de abril de 2014

Notas Gerais


Briga feia
O Sargento Anivaldo e o Soldado Herik foram acionados pelo COPOM para atenderem a uma ocorrência na Rua Nova Capital, Vila Jaiara. Ao chegarem foram informados que estava tudo bem e que teria havido, apenas, uma discussão familiar. Conversa... Teve foi tiroteio. Os policiais foram advertidos pelo SAMU que um homem havia sido baleado na tal residência. Voltaram lá e descobriram que Sebastião, com um rosário de passagens pela polícia, havia levado uns tiros de Lindomar, irmão de sua namorada. O tal Lindomar sumiu no mundo.

Casal problema
Wallace, que tem o apelido de “Zé Pequeno” e sua namorada Jocilene são velhos conhecidos da Polícia. Esta semana eles resolveram aprontar mais uma e visitaram a casa do Wallace, na Avenida Tiradentes. Isto no meio da tarde. O Wallace deu a pista e o Cabo Frederik foi atrás. Acabou prendendo o casal e recuperando os objetos furtados. Mas, a esta altura, eles já devem estar soltos, preparados para mais uma.

Encrenqueiro
Quatro e meia da tarde e Pedro Henrique já estava aprontando. Chamava todo mundo para a briga, isto no Parque da Pecuária. O Subtenente Willian que estava no local, fez a abordagem. Mas, o Pedro Henrique arrepiou. “Tenho medo de polícia não, cara, pode vir...”. O policial chamou reforço e o Sargento Holanda foi em seu socorro. Acabaram por acalmar o Pedro Henrique. Este foi levado para o distrito policial. Lá, ele ficou bonzinho. Registrou-se um Termo Circunstanciado de Ocorrência e ele foi liberado.

Bate em mulher
Em Bramápolis, Sadir resolveu tirar a situação a limpo. E, mais uma vez, escolheu sua esposa Vera para ‘jirau de pancada’. E, desceu o braço. Foi preciso chamar a PM e o Cabo Romes esteve no local. Lá chegando ficou sabendo que Sadir gosta, mesmo, de bater na companheira. Então, o Cabo o convidou para bater um papo com o pessoal da Delegacia da Mulher. Ele foi...

Assaltadas na rua
Onze e pouco da noite e Maria Eduarda, em companhia da Laíza Cristina seguiam pelas ruas do Bairro JK. Nisto, chegaram dois elementos em uma moto branca e encostaram. “Vamo corrê, Laíza”, disse Maria Eduarda. “Simbora...”, disse a colega. Mas, não adiantou. Os dois eram assaltantes e levaram as bolsas com celulares, documentos e outros objetos pessoais. Foi o que elas relataram aos policiais voluntários Marcos e Costa Vale.

A pedrada
Isabel vai fazer 64 anos. Edwiges fez 52. Não se sabe, direto, os motivos, mas ele resolveu praticar “pedra ao alvo” nela. E, foi certeiro. A pedrada atingiu a perna de Isabel que, inconformada, chamou a polícia. O Cabo Santana levou todo mundo para a delegacia. Isto quatro e vinte da tarde.

A enxada
Oito e pouco da noite e o pessoal que estava na Rua 10, Santo André, viu um sujeito passando igual a uma bala. E, atrás dele, vinha uma mulher com uma enxada na mão gritando: “Paraí se você for homem...”. Qual nada. O sujeito aumentou a velocidade. Ele é o Edson José e ela é a Leliane. Os dois haviam se desentendido minutos antes e partiram para os finalmentes. Ela, em desvantagem, apanhou a ferramenta agrícola e disse que ia “capinar” a cabeça do sujeito. O Soldado Adilson chegou bem na hora de evitar uma tragédia. Foi todo mundo para a delegacia.

Aperto danado
O Vítor vinha todo descontraído pelas ruas do Jundiaí Industrial, assoviando uma música de Chitãozinho & Xororó. Onze e meia da noite em ponto. Foi quando, do nada, apareceram três marmanjões e foram logo iniciando a conversa: “Perdeu playboy... Vai passando a carteira; documento, correntinha de ouro, tudo de valor” disse o mais exaltado. Vítor tremeu dos pés à cabeça. “Num me mata não moço, eu entrego...” E, de fato, passou carteira, celular e R$ 80 em dinheiro vivo. O trio agradeceu e sumiu na escuridão. Vítor, refeito do susto, chamou a polícia e foi socorrido pelo Sargento Tomé.

Noite inesquecível
Loucos de amor, Eniovânio e Franciele resolveram passar a noite juntos. E, foram para o motel do Edson, no Bairro Calixtolândia. Na manhã seguinte, ele pediu a conta. “São R$ 90,00 chefia...”, disse o Edson. Eniovânio deu um balanço no bolso e só tinha R$ 50,00. “Cê tem 40 real aí, amor?”. Ela disse: “Tem nem um centavo, gatinho...”. O galã voltou-se para o comerciante e perguntou: “Não dá pra fazer por R$ 50,00?”. Ao que Edson respondeu: “Dá não, amigo, é R$ 90,00. E, paga logo, se não eu vou chamar a polícia”. E, de fato, chamou. Quem foi lá? Soldado Francielly. Quando a chapa esquentou, Eniovânio pediu arrego e se comprometeu a voltar lá e quitar o restante. Edson aceitou...

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

16/11/2017

Moto complicada O Gabriel estava todo prosa, circulando em uma moto novinha pelas ruas do Jardim dos Ipês. Mas, foi inter...

Causos de Polícia

09/11/2017

Bateu na mãe O Roberto, morador da Vila Jaiara, tem 45 anos, mas é muito esquentado. Qualquer coisinha ele quer bater. E,...

Causos de Polícia

03/11/2017

Maldade pura I O Eurípedes tinha uma perua FIAT Elba que era o seu maior xodó. Era, porque, esta semana, um embaixador do ...

Causos de Polícia

26/10/2017

Ladrão folgado Um homem (identidade preservada) foi assaltado por dois elementos que estavam em um Celta preto. Ele chamou ...