(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casos de Polícia - Ed. 445

Causos de Polícia Comentários 22 de novembro de 2013

Notas Gerais


Roubo na noite
Sebastião e seu pai, Nelson, contaram ao Cabo Rodrigues e ao Soldado Jefferson que estacionaram um carro Cross Fox na Rua Tonico de Pina, centro da Cidade. Isto nove e pouco da noite. O pai, Nelson, ficou no interior do veículo e Sebastião saiu para ir a um supermercado. De repente, não mais que de repente, surgiu um elemento desconhecido e arrancou Sebastião à força, de dentro do carro, tomou-lhe as chaves e desapareceu com o citado veículo. É audácia demais...

Pego na flagra
Lindeane já andava desconfiada de seu marido Willian. E, intuição de mulher não falha. Esta semana Lindeane foi a uma residência na Vila Nossa Senhora D’Abadia e chamou no interfone. Adivinhem quem estava lá e saiu na maior carreira? Ele mesmo, o Willian. Só que o cidadão saiu correndo, acompanhado de outra mulher. Lindeane disse que não fez escândalo e que somente foi ao local para resguardar seus direitos. Confusão formada e que teve o relato do Cabo Moisés e do Soldado Ederson.

No posto
Uarlete é frentista de um posto de gasolina no Parque Calixtópolis. Esta semana chegou por lá um camarada todo desajeitado, descalço, sem camisa e trajando, apenas, uma calça jeans. Tinha um pano verde, parecendo uma camiseta, amarrado na cabeça e disse que era assaltante. Disse mais que queria o dinheiro. Uarlete não teve saída, senão entregar toda a grana que estava em seu poder. O Cabo Francione e o Soldado Neto atenderam a esta ocorrência.

Briga feia
O Sargento Santos e o Soldado George foram à Vila São Joaquim, a chamado de Rosimeire. Ela disse que seu esposo, Ian, chegou bêbado e queria sair de moto. Rosimeire argumentou que era perigoso e que ele poderia se envolver em acidente. Mas, Ian, além de não concordar, ainda deu-lhe uns catiripapos. Mas, quando ele viu a polícia, tratou de ficar bonzinho. Foi todo mundo para o distrito, mas como os policiais civis estrão em greve, nada se resolveu.

Outro posto
Afonso, que trabalha em um posto de gasolina na Rua Coronel Batista, estava todo tranquilo, quando apareceu um sujeito ato, magro, boné preto e blusa de frio azul. “Boa noite, moço...”. Disse ele todo educado. “Boa noite”, respondeu o visitante. “O senhor deseja alguma coisa?” perguntou Afonso. “Claro, desejo que você me entregue todo o dinheiro que está em seu poder e fique bem quietinho se não quiser levar um tiro na cara”. Rebateu o intruso. O que Afonso fez? Entregou R$ 400, um celular, documentos e, depois, chamou a polícia e foi socorrido pelo Cabo Célio e pela Soldado Sarah.

Assaltado em casa
Yoseyki mora no Jundiaí, bairro nobre de Anápolis. Acreditava estar seguro. Qual nada! Esta semana ele recebeu a visita de dois camaradas dos mais estranhos que lhe apontaram um revólver e uma faca. Queriam dinheiro. E, levaram R$ 6 mil. Os bandidos demonstraram muita calma e deixavam transparecer que sabiam que havia dinheiro ali. A ocorrência foi atendida pelo Sargento Amarildo e pelo Soldado Marcos.

Surpresa no portão
Renato ia saindo da garagem de sua residência, no Conjunto Filostro, em seu carro Gol, quando dois indivíduos aparentando serem menores de idade, o abordaram. Ele pensou que os ditos cujos queriam uma carona até o centro e ainda sorriu para a dupla. Todavia, os dois queriam mais que uma carona. Queriam era o carro inteiro e obrigaram Renato a passar para o banco traseiro. Ato seguinte, tomaram o rumo da BR 060, e ao chegarem nas proximidades da UEG, mandaram que Renato descesse e foram embora com o carro. Foi o que ele contou ao Cabo Osvair e ao Soldado Gleydson.

Na padaria
Moacyr, sujeito dos mais legais, tem uma panificadora no Setor Sul, onde atende aos clientes e amigos com a maior cortesia. Mas, esta semana, ele foi visitado por um sujeito muito esquisito. Era assaltante e exigiu que Moacyr lhe entregasse todo o dinheiro do caixa. E, ele, coitado, entregou. Foram R$ 30. O bandido foi embora na maior calma, isto às três e meia da tarde.

Roubo na noite
Meia noite e meia, no Jardim Arcoverde e Jéssica foi abordada por dois indivíduos que estavam em um carro de cor prata. Ela não sabe a marca, nem o modelo. Mas sabe que eram assaltantes, pois lhe tomaram a bolsa com documentos pessoais, R$ 30 em dinheiro vivo e um aparelho celular. Toda chorosa, ela telefonou para o 190 e foi socorrida pelo Soldado Rahion.

Caiu da cavalo
Jonathan tem 22 anos e cultiva o péssimo hábito de roubar coisas alheias. Mas, esta semana ele se deu mal. Foi assaltar um comércio na Avenida Pedro Ludovico e, para tanto, utilizou-se de uma faca peixeira. Só que, não contava com a astúcia de Wender e Allison que o imobilizaram e chamaram a polícia. O Sargento Rosonei chegou bem na hora e levou o assaltante frustrado para conversar com o doutor delegado

Fizeram a feira
Cleonice, dona de um estabelecimento comercial no Bairro Paraíso, contou aos soldados Roberto e Félix que dois elementos portando arma de fogo entraram gritando que era um assalto. Em seguida, tomaram-lhe R$ 200 em dinheiro e, ainda, levaram cigarros, chicletes um aparelho celular e outras mercadorias de menor valor. Logo após, fugiram em uma moto de cor vermelha que estava em frente ao estabelecimento.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

08/11/2018

Droga na praça I A Auxiliadora, que não anda auxiliando a ninguém ultimamente, foi abordada por policiais militares (Patr...

CAUSOS DE POLÍCIA

02/11/2018

Comércio ilícito Dois elementos, cujas identidades não foram reveladas, estavam no que a Polícia chama de “em atitude ...

Causos de Polícia

25/10/2018

Bananas da discórdia Os integrantes da viatura 8892 foram acionados para atenderem a um caso de violência doméstica, ist...

Causos de Polícia

11/10/2018

Mau começo O Adson, na companhia do menor de inicial G, andava dando a maior sopa nas ruas de Anápolis. Nem parecia que os...