(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casos de Polícia - Ed. 432

Causos de Polícia Comentários 23 de agosto de 2013

Notas Gerais


A surpresa
Divino tem uma mercearia no Jardim Calixto. Esta semana ele estava todo descontraído, quando chegaram dois elementos e foram dando boa noite, com cara de quem iria comprar alguma coisa. Divino ficou animado. Mas, cinco segundos depois, quase caiu de susto. Os dois visitantes eram ladrões e estavam dispostos a levar tudo o que pudessem em uma moto vermelha. Tinham, como argumento, um revólver 38 cheinho de balas. O comerciante, tremendo mais do que vara verde, entregou R$ 300 e mais alguns objetos. Os bandidões desapareceram na escuridão.

Covardia
Elis Regina (xará da famosa cantora) é vendedora de porta em porta. Sozinha para cuidar de três filhos, ela anda por toda a Anápolis oferecendo perfumes, loções e cremes. Há um mês, Elis Regina chegou a uma casa na Vila Formosa e foi muito bem recebida pelo casal que ali estava. Marido e mulher compraram R$ 330,00 de produtos variados e assinaram uma duplicata. Esta semana, Elis Regina foi lá para receber e, cadê o casal? Tinha mudado e não deixou endereço. Ela foi indagar da vizinhança e ficou sabendo que todo dia uma fila de cobradores aparece lá à procura dos caloteiros que se identificaram como Orlando e Eliane. Mas, a vendedora suspeita, até, que estes não sejam os seus nomes verdadeiros. Fazer o quê?

Confusão familiar
Gustavo já foi casado com Guaraciaba. Vieram de Brasília para Anápolis. Aqui se separaram e ela ficou com os dois filhos, um casal. Esta semana “Guará”, como é mais conhecida, foi à casa do ex para “entregar” o filho que, segundo ela, é muito desobediente, malcriado e começou a andar em más companhias. Gustavo disse que não pode ficar com o garoto, porque trabalha e viaja. Foi aí que o pau quebrou. Os dois quase foram aos tapas e uma vizinha ameaçou chamar o 190. Não foi preciso. Isto aconteceu domingo, no Jardim Goiano.

Sem vagas
Ação civil pública proposta pela Promotora Silvana Antunes Vieira Nascimento, da 16ª Promotoria de Anápolis, contra o Estado de Goiás, a Agência Goiana de Transportes e Obras e a Agência Goiana do Sistema de Execução Penal, quer garantir instalações adequadas ao cumprimento de penas em regime aberto, com capacidade para 239 pessoas, destinado ao recolhimento noturno dos reeducandos e outro estabelecimento, com capacidade para 465 pessoas, para os presos do semiaberto, com recolhimento em tempo integral. Segundo ela, em Anápolis, cerca de 700 presos cumprem prisão em regime domiciliar, sem fiscalização, desde 2010. A mesma decisão determinou o recolhimento domiciliar dos reeducandos. Eles não estão cumprindo pena por ausência de dependências adequadas. O problema vai ser encontrar um local para que isto seja obedecido, pois até o novo presídio, em obras, só comportará pouco mais de 300 presos. Isto, quando ficar ponto, o que ninguém sabe quando.

Precoces
Dois garotos, um de 12 e um de 13 anos, estavam fumando e vendendo maconha no interior de uma escola municipal do Parque Calixtópolis. A polícia foi chamada e constatou o fato. O problema é que não há muito a fazer neste caso. Anápolis não dispõe de um local para colocar pessoas nesta faixa etária. Eles foram entregues aos pais e uma professora disse que, lamentavelmente, ambos têm grandes chances de voltarem ao mundo das drogas.

Vandalismo
Era só o que faltava... Sem mais nada para fazer, um grupo de vândalos destruiu um radar localizado no perímetro urbano da BR-153, em Anápolis, na quarta-feira (21). Além disso, roubaram a câmera fotográfica do aparelho que registra o excesso de velocidade dos motoristas. É a terceira vez que o mesmo radar é depredado. Como ele foi arrancado do chão, os policiais acreditam que o grupo contou com o auxílio de um carro. “Eles utilizaram uma corda ou um cabo de aço e fizeram a torção com o veículo, arrancando o equipamento do seu suporte”, disse o patrulheiro
Neilton Silva.

Saidinha
O crime que ficou conhecido como “saidinha de banco” quando pessoas incautas são abordadas por assaltantes após sacarem dinheiro, principalmente em caixas eletrônicos, deixou de ser ‘privilégio’ em cidades de grande porte. Agora, comunidades, até então, pacatas, sofrem o mesmo drama. Em Jaraguá (80 km de Anápolis), por exemplo, só esta semana foram dois casos registrados. Bandidos levaram R$ 10 mil em locais diferentes e de pessoas diferentes.

Assaltantes presos
Em Aparecida de Goiânia, a equipe do CPT 90, comandada pelo Subtenente Bittencourt avistou dois indivíduos em uma moto Honda CB 300 azul, placa OLL 2788, de Araguaína - TO. no exato momento em que praticavam roubo contra uma mulher e subtraíam dela sua bolsa, celular, carteira e outros pertences. Os policiais foram recebidos à bala e revidaram. Os assaltantes tentaram fugir, foram perseguidos e caíram da moto. Com um deles foram encontrados 07 (sete) telefones celulares, uma bolsa com objetos e documentos, provenientes dos vários roubos cometidos em Goiânia e em Aparecida de Goiânia. Com o outro, um menor de idade, foram encontrados um simulacro de arma de fogo e uma munição de calibre nove milímetros.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

19/01/2018

Depois de 2O anos Antônio matou uma pessoa em Várzea Alegre, no Ceará e deu no pé. Veio se esconder em Anápolis. “Aqu...

Causos de Polícia

12/01/2018

Boca de fumo Tarde ensolarada no pacato Vale das Laranjeiras, perto do Vivian Park. Uma viatura da PM fazia a ronda normal p...

Causos de Polícia

05/01/2018

Plano frustrado Com o objetivo de descolar uma grana fácil, o Antônio procurou o caminho mais errado que poderia procurar....

Causos de Polícia

29/12/2017

Sujeito complicado O Elias é velho conhecido das polícias Civil e Militar na região de Anápolis. Ele já nem sabe mais q...