(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casos de Polícia - Ed. 600

Causos de Polícia Comentários 09 de dezembro de 2016

Notas Gerais


Vacilou, dançou
Uma equipe do 28º Batalhão fazia a ronda na Vila Jaiara, quando deparou com uma moto preta. O condutor, ao ver a viatura, saiu louco. A viatura seguiu atrás. Era o Paulo Henrique. Ele foi cercado logo adiante. Cumprimentos de praxe e a pergunta clássica: “Fazendo o quê aqui a essa hora, chefia?”. Ao que ele respondeu: “Nada não, só estou dando um rolé”. O policial votou a falar: “Posso fazer uma revistinha no senhor?”. O Paulo Henrique tremeu todo. É que, no bolso dele estava uma porção de maconha. “Tem mais?”, indagou o PM. “Aqui não, mas lá em casa tem”, disse o Paulo. E tinha mesmo. Resultado: foi preso.

Dois homens e duas motos
No Setor São Jorge os policiais abordaram o Bruno e o menor de inicial R. Eles estavam em uma moto suspeita. E, era, de fato, uma moto roubada. Dentro da casa, mais surpresa: outra moto com o chassi raspado. “Quem é o dono das motos?”, perguntou o militar. “Sou eu”, disse o Bruno. “Cadê os documentos?”, disse o policial. “Tem não”, disse o Bruno. “Então, tá preso!”, disse o PM. E, levou o Bruno e o menor para as devidas providências.

Fora de circulação
Sem medo de ninguém, o Vandilson e o Willian, a bordo de um Gol branco, estavam tocando o terror na região do Jundiaí JK. Estavam, porque, agora, se acham recolhidos ao hotel do Governo no Jardim das Américas. Eles foram abordados por uma equipe do 38º Batalhão (Sargento J. Silva, Cabo Sodré e Soldado Ceravolo) e entraram em várias contradições. Logo surgiram algumas pessoas que haviam sido vítimas de seus assaltos. Aí, não teve como negar. Ambos foram levados para um saudável bate-papo com o delegado de plantão.

Não é o cantor
O Raimundo Fagner, xará do famoso cantor cearense, vinha com seu carro pelas ruas do Residencial Munir Calixto, quando um muro atravessou em sua frente. Foi uma pancada que chamou a atenção de toda a vizinhança. Chamaram a polícia e lá esteve o Cabo Vanderley que abordou o Fagner anapolino. “Bebeu alguma coisa, amigo?”, perguntou PM. “Só um tiquinho”, disse o Raimundo. “Então, assopra aqui no aparelhinho”, disse o policial. O Fagner assoprou e quase desmontou o equipamento. Estava mais tonto do que peru em véspera de Natal. Foi convidado a dar uma chegadinha ao Plantão Policial, onde a delegada Karla Portes Poubel lhe fez as honras da casa.

De volta ao reduto
Outro que foi recepcionado pela delegada Karla Poubel, foi o Santiago. Ele deu de cara com os sargentos Wilson, Claudionis e Paulo César, no Jardim Itatiaia. “Conheço esse sujeito”, disse um dos policiais. “Então vamos falar com ele!”, disse o outro. E, abordaram o Santiago. Ele ficou assustado e gaguejava muito. Busca pessoal e os policiais notaram um volume diferente na região pélvica do Santiago. Eram duas porções de maconha. Voz de prisão. Consultado o sistema e os militares descobriram que contra Santiago existia um mandado de prisão da Comarca de Pirenópolis e que ele respondia por diversos delitos. Deu a lógica.

Um homem e duas mulheres
O Sargento Carvalho e o Sargento Marlon foram acionados para atenderem a uma ocorrência em um pit-dog da Avenida Ana Jacinta, onze e meia da noite. Lá chegando, viram que um elemento tentou escapar à pé. Foram ao encontro dele e o enquadraram. Era o Renato. Ele estava sem documentos e tentava se explicar. Mas, imediatamente, chegaram a Isabela e a Isadora, dizendo que haviam sido assaltadas e ameaçadas por ele que, ainda, lhes tomara sete reais. Confrontado com as mulheres, ele veio com outra conversa. Disse que queria sair com as duas, mas soube que elas eram namoradas uma da outra e, por isso, desistiu. Foi todo mundo parar na delegacia.

Tentou furtar
A Débora entrou em uma loja de atacados na Rua 14 de Julho, apanhou uma cestinha e começou a colocar alguns produtos nela. Pega daqui, pega dali e, sorrateiramente, colocou algo na bolsa. Passou pelo caixa e pagou só o que colocara na cestinha. Mas, o segurança da loja, chamado Álvaro, viu tudo e a abordou já do lado de fora. Pediu que ela abrisse a bolsa e ela abriu. Dentro estava um modelador de cílios, ainda embalado. Foi chamada a Polícia. O Sargento Anderson, e o Soldado Fernandes levaram a Débora para a delegacia. Lá foram tomadas as devidas providências.

Outro artista
Maykon Dhouglas, quase xará do grande ator de Hollywood, velho conhecido dos homens da lei, esta semana foi abordado por uma equipe da Companhia de Policiamento Especial - Tenente Valdemar e os sargentos Marra e Aguinaldo. Havia denúncias de que ele estaria vendendo um revólver, no Bairro Boa Vista. Foi abordado e disse que teria guardado a arma no Setor Arco Verde. A equipe foi lá e localizou um revolver 38 com seis munições intactas. Maykon foi preso. Mais uma vez...

Assalto covarde
A Ana Laura, que é secretária, saía para o trabalho pouco depois de seis e meia da manhã, quando foi cercada por um bandido que ocupava uma moto Honda de cor preta. Ele, na maior covardia, deu voz de assalto e, quando a Ana gritou, ainda a agrediu. Levou bolsa; celular, 30 reais em dinheiro e cartões de banco. O assalto aconteceu nas proximidades do Conjunto Vila Verde. Ela ficou tão apavorada que não guardou a fisionomia do marginal.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Causos de Polícia

Causos de Polícia

20/09/2018

Deu mole O Flávio estava todo serelepe a bordo de um Pálio Weekend, quando foi abordado por uma viatura da PM. Ele quis de...

CAUSOS DE POLÍCIA

14/09/2018

Vacilaram, dançaram Jorge e Lucas, amigos de longa data, estavam dando um passeio pelas ruas de Anápolis a bordo de um Fo...

Causos de Polícia

30/08/2018

Moto recuperada Um indivíduo, cuja identidade não foi revelada pela Polícia, furtou uma motocicleta e estava circulando c...

Causos de Polícia

23/08/2018

O laboratorista O Willian, morador no Bairro Dom Pedro II, foi passar uma temporada no “hotel do governo”, também conhe...