(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casa Verde é alvo da disputa política

Política Comentários 30 de maio de 2018

Cinco pré-candidaturas estão colocadas para disputar a governadoria


A sucessão estadual tem um número menor de concorrentes este ano, em relação ao pleito de 2014. Até agora, foram colocadas no tabuleiro político de Goiás, cinco nomes para disputar quem será o próximo inquilino do Palácio das Esmeraldas, também chamado de Casa Verde. Na última eleição para a governadoria, sete nomes disputaram o cargo.
Na eleição de 2014, sairam candidatos: Marconi Perillo(PSDB); Iris Rezende (PMDB); Antônio Gomide (PT); Alexandre Magalhães (PSDC); Marta Jane (PCB); Weslei Garcia (PSOL) e Vanderlan Cardoso (PSB). Marconi venceu o pleito com 1.750.977 votos (57,44% dos votos válidos) contra 1.297.592 votos (42,56%) dados ao segundo colocado, Iris Rezende, no segundo turno.
Para o pleito atual, até agora, estão colocadas cinco pré-candidaturas: José Eliton (PSDB); Ronaldo Caiado (DEM); Daniel Vilela (PMDB); Kátia Maria (PT) e Weslei Garcia (PSOL). Claro que este número pode subir, uma vez que as conveções ainda vão acontecer, no período de 20 de julho a 05 de agosto. Portanto, ainda há um prazo significativo para a definição do quadro, inclusive, com mudanças nos nomes já colocados. Tudo vai depender, ainda, de muitas conversas entre os partidos. Sem contar que não só a chapa para Governador está em jogo, mas também a do Senado, que corre quase em paralelo.
Indpendente do número de concorrentes, o mais importante é que o eleitor possa ter uma visão de todo o quadro político que começa a ser desenhado de agora até às convenções e que preste, também, atenção nos discursos neste período de pré-campanha. Durante a campanha, que se inicia logo após as convenções partidárias, o acompanhamento deve ser redobrado, não só para conhecer os planos de governos, mas para que se possa acompanhar mais de perto a execução, após a eleição, daquilo que foi prometido ou projeto por candidatos, partidos e coligações.
O jogo eleitoral nunca termina após o voto. Ele continua na cobrança daqueles que serão eleitos para governar e legislar em favor da população. Portanto, o eleitor tem um papel fundamental no processo: antes, durante e depois.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Deputado Coronel Adailton preside CPI das Universidades

26/04/2019

O deputado estadual Coronel Adailton (PP), foi eleito presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia ...

Projeto prevê estender mandato de prefeitos e vereadores

25/04/2019

O Prefeito Roberto Naves e os 23 vereadores de Anápolis podem ganhar mais dois anos de mandato, assim como os demais prefeit...

Prazo para a regularização de imóveis será ampliado até o final de dezembro

25/04/2019

A Câmara Municipal aprovou, em dois turno de votações, em sessões ordinárias ocorridas na última quarta-feira, 24/04, o...

Projeto prevê proteção dos direitos da pessoa com autismo

17/04/2019

O Deputado Estadual Amilton Filho (SD) apresentou, na Assembleia Legislativa, Projeto de Lei que institui em Goiás a Políti...