(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Casa Joana assistirá portadores da Síndrome de Down

Geral Comentários 01 de novembro de 2013

Entidade ampliará o leque de assistência especializada para portadores de necessidades especiais em Anápolis e região


A designer Juliana Maria Francis Martins buscou na filha, Joana, a inspiração para desenvolver um projeto para assistir portadores de Síndrome de Down, Autismo, dentre outras disfunções que causam dificuldades cognitivas e de desenvolvimento físico. O projeto, batizado de ‘Casa Joana’, está em fase adiantada de execução e a previsão é que comece a funcionar em fevereiro do ano que vem, com a sua sede instalada na Avenida Dona Elvira, na Vila Santa Maria de Nazareth.
A pequena Joana, portadora de Down, com o apoio que recebe da família, frequenta o ensino formal e tem condições de desenvolver as suas habilidades e criar um círculo de amizade com outras crianças. Porém, essa não é uma realidade comum não só para as crianças, mas também os jovens e adultos portadores de necessidades especiais. “Quando a gente tem uma pessoa especial na família, todas aquelas que você encontra, parece que, também, são parte da família”, frisou Juliana Francis, acrescentando que já de há algum tempo vem trabalhando a ideia da Casa Joana.
A Associação Casa Joana - explica - será um Centro de Educação Especial da Síndrome de Down e outras deficiências, entidade de direito privado, de caráter assistencial e sem fins lucrativos, com a proposta de oferecer atendimento desde o nascimento à fase adulta, através de uma equipe interdisciplinar com pedagogo; fisioterapeuta; fonoaudiólogo; psicólogo; assistente social, terapeuta ocupacional, dentre outros.
O foco principal do trabalho será o desenvolvimento das habilidades dos portadores de Down e outras deficiências, através do estímulo à prática de atividades como pintura; música; dança; fotografia; jardinagem; informática, dentre outras. Na faixa de 0 a 4 anos de idade, será criado todo um ambiente para propiciar a estimulação precoce e, de 04 a 13 anos acima, também haverá reforço escolar e ações para inclusão desses jovens no mercado de trabalho. “Com as oficinas, iremos descobrir talentos e isso favorecerá a inserção dos nossos jovens no mundo do trabalho e, também, a sua integração na comunidade”, destaca Juliana Francis.
Para colocar tudo isso em funcionamento, a idealizadora do projeto irá buscar apoio nas esferas governamentais e também junto à sociedade organizada, como no Rotary Club e em outras instituições que se interessarem em apoiar a Associação ou firmar parcerias. Outras ações também serão desenvolvidas, como o leilão de um quadro pintado por uma portadora de Down e que deverá atuar no projeto como instrutora, devido às suas habilidades. Também será criada, após o seu funcionamento, uma rede de colaboradores fixos mensais para ajudar no custeio da entidade.
De acordo com Juliana Francis, a Associação ‘Casa Joana’ vem fortalecer o trabalho já existente no Município por outras entidades, principalmente a APAE que, segundo diz, é uma referência. Outro ponto importante - ressalta - é que também a família será assistida, uma vez que muitas delas enfrentam dificuldades em relação ao acompanhamento dos portadores de necessidades especiais em relação a tratamento ou mesmo a uma gama de direitos que são previstos em legislação e que muitas famílias desconhecem e que poderiam estar usufruindo para garantir uma condição melhor de vida para todos. O projeto receberá pessoas do Município e localidades circunvizinhas.

Finalidades do projeto
- Contribuir e zelar pela qualidade de vida das pessoas portadoras de necessidades especiais e seus agregados;
- Favorecer o desenvolvimento de suas potencialidades nas áreas motoras, cognitiva, emocional, de fala e linguagem, facilitando o acesso ao ensino regular;
- Oferecer acompanhamento pós-diagnóstico na infância para acompanhamento de estimulação precoce;
- Estimular a participação da família dentro de todo o processo de acompanhamento e com orientação de profissionais;
- Promover a inclusão dos portadores de Down e outras deficiências no mercado de trabalho;
- Descoberta de talentos com o estímulo à prática de atividades artístico-culturais.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Força-tarefa para agilizar fila de processos parados

18/05/2017

Imagine que você tenha terreno e recursos para iniciar uma obra, mas esteja impedido de dar prosseguimento por conta da falt...

Convênios públicos têm nova regulamentação

11/05/2017

A Câmara Municipal realizou audiência pública nesta quinta-feira,11, em conjunto com a Prefeitura de Anápolis, para trata...

Corpo encontrado em lago é de empresário anapolino

04/05/2017

Na noite desta quinta-feira, 04, informação colhida pelo Jornal “A Voz de Anápolis”, junto a um irmão de Edmar Almeid...