(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Cardápio nutritivo na escola faz a diferença

Comportamento Comentários 26 de maro de 2010

Além de uma variedade de alimentos saudáveis, os pais devem explicar e conscientizar os filhos dos benefícios de se ter uma boa alimentação


Na volta ou no início das aulas, uma das dúvidas que os pais possuem é sobre como preparar um lanche saudável e ao mesmo tempo atrativo para seus filhos saborearem na hora do recreio. Para muitos deles, esse detalhe passa desapercebido e pode colocar em risco a saúde da criança. Mas, o que parece ser um bicho-de-sete-cabeças, arrumar um cardápio diferenciado e planejado pode ser transformado em um hábito prazeroso que apresenta inúmeros benefícios para todos da família.
Durante a vida escolar, as crianças estão passando por um intenso processo de crescimento e desenvolvimento físico e mental que, segundo a nutricionista Meyriline Pitzer, precisam de uma dose elevada de nutrientes. E, poucos pais percebem que o lanche escolar é uma refeição intermediária que serve para dar energia à criança entre duas refeições principais. Por isso, a hora do recreio é de extrema importância para que a criança permaneça com saúde e compartilhe deste hábito com os colegas.
A pedido do CONTEXTO, a nutricionista Meyriline Pitzer foi a um supermercado da cidade e encontrou com pais e mães fazendo as compras dos itens para colocar na lancheira dos filhos. A dúvida unânime: como fazer um cardápio variado, nutritivo e barato?
O soldador Jodvan Lopes de Oliveira e a auxiliar de limpeza Maria Ilma da Silva Oliveira são pais de Pedro Henrique Silva de Oliveira, de cinco anos. Cursando o Jardim II, o pequeno estudante é cheio de energia, disposição e carrega diariamente na lancheira: bolachas, frutas, suco ou refrigerante. Questionado sobre qual fruta ele mais gosta, é enfático: laranja.
De acordo com a nutricionista, a escolha de Pedro Henrique está correta, no entanto, está faltando que os pais coloquem na lancheira algum alimento que contenha carboidrato, como os pães. “O ideal é que ele contenha uma porção de carboidratos, para fornecer energia; uma porção de lácteos, que tem proteínas; uma porção de frutas ou legumes, responsáveis pelas vitaminas, fibras e minerais; e uma bebida, para hidratação”, explica. O cálcio também é importantíssimo para essa faixa etária, pois consolida ossos e dentes. O consumo de vitaminas, minerais e fibras, por sua vez, está diretamente ligado à manutenção da saúde geral das crianças.
O lanche quando composto por alimentos adequados garante a energia e os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento, resultando em um melhor desempenho escolar, além de evitar hábitos alimentares inadequados que podem trazer prejuízos à saúde por toda a vida. A nutricionista Meyriline Pitzer ressalta que “a refeição deve ser saudável e nutritiva, o que não significa que ela deva ser sem graça ou com tantas proibições”.

Troca-troca
O horário de estudo da criança irá definir como será o lanche dela na escola. A nutricionista afirmou que se for durante o turno da manhã, o cardápio deve ser mais completo, ou seja, uma bebida, uma fruta, uma proteína e um carboidrato, cálcio, vitaminas, minerais e fibras.
Mas, se for no período da tarde, basta escolher duas dessas opções. Para que isso ocorra de modo interessante para a criança, o cardápio deve ser definido em conjunto, negociado, procurando sempre evitar alimentos gordurosos e apresentar essa realidade à criança.
Um exemplo disso é Alana de Oliveira Milhomem, de apenas quatro anos. Ela está no Jardim I e sempre acompanha os pais nas compras do supermercado. Segundo a mãe, a vendedora Kátia Simone Pereira de Oliveira, esse hábito faz com que Alana possa fazer escolhas e aprender o que é bom e/ou o que ruim para a saúde. “Na lancheira dela não pode faltar a maçã”, informa a mãe.
No entanto, a dica da nutricionista para a vendedora é de que acrescente na alimentação algo que contenha fibras, além de evitar bolachas recheadas, refrigerantes e salgados. Para Meyriline Pitzer, “uma das vantagens de incentivar a alimentação saudável no espaço escolar é de que, na escola, essas crianças estão em grupos e acabam por imitar hábitos umas das outras”.
Mas, o trabalho de educação alimentar não encerra no preparo de um bom lanche, interfere também na rotina dos pais que devem ser exemplos dentro e fora de casa.

Dicas para montar uma lancheira saudável
- É importante que a criança participe da escolha dos alimentos. É uma boa oportunidade também para explicar sobre a importância dos diferentes tipos de alimentos em cada refeição e os benefícios para a saúde;
- Varie o cardápio para que a criança não enjoe do lanche, alternando opções salgadas e doces:
- Bolos simples, com leite e frutas na preparação (como laranja, coco, abacaxi), são ótimas alternativas;
- Evite alimentos industrializados, ricos em açúcar, gordura trans, como biscoitos recheados, pacotes de salgadinhos e refrigerantes;
- Procure orientar a criança a preferir os salgados assados, sanduíches de pão integral e sucos naturais na hora de comprar seu lanche na cantina da escola;
- Inclua leite e seus derivados, pois são ricos em cálcio e são excelentes fontes de proteínas;
- Inclua frutas de fácil consumo (pêra, maçã, banana) e sucos, pois contem vitaminas;

Autor(a): Jackeline Rust

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Comportamento

Registros de casamentos caem e os de divórcios aumentam, mostra IBGE

02/11/2018

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística acaba de divulgar a estatística de registro civil. Os números trazem dad...

Palmadas estimulam agressividade em crianças, diz estudo

29/04/2016

A criança que apanha (leves palmadas no bumbum ou em outra extremidade) é mais propensa a desafiar seus pais, ter um compor...

Brasileiras iniciam vida sexual na adolescência

02/10/2015

etade (53%) das mulheres inicia a vida sexual entre 16 e os 18 anos no Brasil. A pesquisa, reali...

Qual é a melhor idade para conversar com os filhos sobre o álcool?

14/09/2015

ara evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica entre pré-adolescentes e jovens...