(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Candidato do PSDC propõe criação de Gabinete de Governo em Anápolis

Política Comentários 25 de setembro de 2014

Alexandre Magalhães, que disputa pela primeira vez uma eleição, sinaliza duas secretaria para a Cidade, caso eleito


PERFIL DO CANDIDATO
Alexandre Silva de Magalhães
Nome para a urna: Alexandre Magalhães
Partido: Partido Social Democrata Cristão (PSDC)
Número: 27
Naturalidade: Goiânia-GO
Ano/nascimento: 1966
Estado civil: casado
Grau de instrução: Superior completo
Ocupação: Advogado
Bens declarados: R$ 9.246.180,00
Fonte: TSE


Desenvolvimento Econômico
Apoiar a duplicação da BR-153, trecho Anápolis até Aliança do Tocantins;
Implantar o PDTG - Plano de Desenvolvimento do Sistema de Transportes de Goiás;
Implementar programa de manutenção de rodovias estaduais e estradas vicinais, com vistas a garantir a circulação, de forma econômica, de produtos agrícolas e industriais. Priorização dos locais de embarque em modais de transporte de longa distância;
Reabrir as discussões sobre implantação de hidrovias, em especial a Hidrovia Araguaia-Tocantins;
Formar parceria, por meio de consórcios entre Estado e prefeituras, objetivando a pavimentação, recuperação e manutenção das rodovias estaduais e estradas municipais, visando a melhoria do escoamento da produção agropecuária, do transporte escolar rural e outros importantes fins;
Melhorar a distribuição de energia rural, evitando perda de matérias-primas e produtos de origem animal e vegetal; Garantir a qualidade de energia fornecida ao sistema de irrigação rural;
Implementar programa de apoio à implantação de Pequenas Centrais Hidrelétricas - PCHs;
Incentivar o pequeno, médio e grande produtores rurais para implementar e desenvolver suas produções, mediante um programa de fomento ao produtor rural; Desenvolver culturas alternativas no campo, com implantação de arranjos produtivos de acordo com aptidão de cada região;
Desenvolver um programa para criação de um cinturão verde nas cidades polos com implantação de arranjos produtivos;
Dotar a EMATER das condições ideais para a garantia da base do conhecimento do agronegócio, nas áreas de pesquisa agropecuária, assistência técnica e extensão rural de desenvolvimento fundiário, inclusive com parcerias com o setor privado;
Criar programa de melhoramento genético em parceria com sindicatos rurais, fomentar sêmens e cursos de inseminação gratuitos aos produtores rurais;

Educação
Universalizar, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 04 a 05 anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até 2020. Investir mais na educação básica, o ensino básico é gasto é R$ 4.800,00 anuais um terço do que se gasta em países do primeiro mundo que é R$ 14.400,00. É sabido que nenhum investimento gera tanto retorno social e econômico quanto investir na educação básica da criança;
Universalizar o ensino fundamental de 09 (nove) anos para toda a população de 06 a 14 anos e garantir que, pelo menos, 95% dos alunos concluam essa etapa na idade recomendada, até o ano 2020;
Universalizar, até 2020, o atendimento escolar para toda a população de 15 a 17 anos e elevar a taxa líquida de matrículas no ensino médio para 85%;
Universalizar, para a população de 04 a 17 anos, o atendimento escolar aos estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades na rede regular de ensino;
Implantar metas para alfabetizar todas as crianças, no máximo, até os 08 anos de idade, durante os primeiros 04 anos de vigência do nosso governo;
Oferecer educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25% dos alunos da educação básica.
Elevar a escolaridade média da população de 18 a 29 anos, de modo a alcançar no mínimo 12 anos de estudo até ano de 2020, para as populações do campo, da região de menor escolaridade do Estado e dos 25% mais pobres, e igualar a escolaridade média entre negros e não negros declarados à Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE.);
Elevar a taxa de alfabetização da população com 15 anos ou mais para 93,5% até 2018 e, até o final de 2020, erradicar o analfabetismo absoluto e reduzir em 50% a taxa de analfabetismo funcional;
Oferecer, no mínimo, 25% das matrículas de educação de jovens e adultos, na forma integrada à educação profissional, nos ensinos fundamental e médio;
Triplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% de gratuidade na expansão de vagas;
Elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurando a qualidade da oferta;
Elevar a qualidade da educação superior e ampliar a proporção de mestres e doutores do corpo docente em efetivo exercício no conjunto do sistema de educação superior para 75%, sendo, do total, no mínimo, 35% de doutores;
Elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual necessária em nosso estado;
Formar, até 2020 50% dos professores que atuam na educação básica em curso de pós-graduação stricto ou lato sensu em sua área de atuação, e garantir que os profissionais da educação básica tenham acesso à formação continuada, considerando as necessidades e contextos dos vários sistemas de ensino;
Valorizar os profissionais do magistério das redes públicas de educação básica de forma a equiparar seu rendimento médio ao dos demais profissionais com escolaridade equivalente, até o 2018;
Assegurar, no prazo de dois anos, a existência de planos de carreira para os profissionais da educação básica e superior pública de todos os sistemas de ensino e, para o plano de carreira dos profissionais da educação básica pública, tomar como referência o piso salarial nacional profissional, definido em lei federal, nos termos do inciso VIII do art. 206 da Constituição Federal;
Ampliar o investimento público em educação de forma a atingir, no mínimo, o patamar de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado até o ano de 2018.

Saúde
Criar Atenção Primária a Saúde APS - Medicina Preventiva, através de um programa juntos médico na família, o qual atenderia por faixas etárias, através de protocolos “check list”. Fazer campanhas preventivas que visem a conscientização das boas práticas;
Aumentar o número de leitos aos patamares de três (três leitos) para cada 1.000 habitantes, com a criação de um sistema único de pequenos hospitais com 50 leitos cada;
Criar Centro de referência Neurocardiovascular, especializado em infarto, AVC Acidente Cardiovascular (derrame) e doenças vasculares;
Criar Centro de referência em Oncologia;
Criar Centro de referência em Diagnóstico, especializada em diagnósticos e contínuo de estudos;
Melhorar o atendimento na saúde pública para a população aos patamares mínimos da OMS;
Instalar postos de saúde específicos para a área rural ou em unidades móveis, como já ocorre em outros Estados, onde as unidades atenderiam de forma gratuita e continuada os casos preventivos (campanhas de vacinação) e os de urgência, disponibilizando, inclusive, medicamentos básicos;
Estabelecer gestão profissional nas áreas de saúde, com práticas que garantam a aplicabilidade dos recursos com eficiência;
Ampliar o projeto “Farmácia Popular” em âmbito estadual com instalação de unidades em vários municípios;
Instalar unidades para tratamento de doenças sociais, como por exemplo, os viciados em drogas;
Criar creches públicas que possam atender aos filhos dos trabalhadores na área da saúde, em parceria ou não com o setor produtivo;
Destinação e desenvolvimento de políticas públicas para o tratamento das doenças mentais, psicológicas e de tratamentos de drogas lícitas e ilícitas;
Aplicar o plano de cargos e salários na área médica, instituindo a carreira médica através de concurso público com salários iguais de juiz de direito com dedicação exclusiva.

Segurança
Adotar medidas conjuntas e contínuas de segurança pública com as polícias Militar, Civil e Bombeiros;
Usar apoio tecnológico através de monitoramento de câmeras, informações “on line” nas viaturas com banco de dados interligados as polícias Militar, Civil, DETRAN e Judiciário;
Adotar medidas para fazer um mapeamento do crime, identificar os focos de criminalidade com trabalho constante de inteligência no campo para coibir os criminosos;
Fixar cumprimento de metas para as polícias para redução dos índices de criminalidade;
Criar uma polícia comunitária com princípios de proximidade com o cidadão, pautada pelo diálogo, respeito e cultura de cada comunidade;
Aumentar o efetivo de polícias civis, militares e bombeiros até o ano 2018, se possível dobrar o efetivo;
Criar banco de dados únicos a compartilhar informações com as polícias civil, polícia militar e bombeiros;
Dar autonomia para a Polícia Civil eleger o Delegado Geral aos mesmos moldes do Ministério Público através do voto;
Fortalecer a segurança pública rural com destinação das Patrulhas Rurais e efetivo de segurança que atenda as demandas de todos os municípios goianos;
Dotar a polícia civil e militar das condições necessárias para atender a segurança no meio rural, com possibilidade de se criar o Batalhão Rural, ou ampliar a patrulha rural, promover maior valorização dos policiais, a conclusão dos inquéritos e efetiva punição dos criminosos.
Nomear Secretário de Segurança Pública considerando critérios técnicos e sendo esse pertencente ao quadro funcional da pasta;
Melhorar o aparelhamento e fortalecimento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, com foco no combate à criminalidade, quer de forma preventiva, quer de forma ostensiva;
Rever o sistema prisional, primando por criar Programa de Qualificação Profissional de Presidiários, tendo como foco a reintegração efetiva de reeducando na sociedade;
Construir e readequar presídios para outras cidades do interior do Estado, através de Parcerias Público Privada PPPs, readequar cadeias públicas e delegacias de polícia, para melhor desempenho do aparelho policial;
Criar a academia de Gestor de Segurança Pública à qual seria responsável na formação dos policiais militares, civis e bombeiros com cursos de 2 a 3 anos.

Anápolis no Governo
Por ser a cidade de Anápolis o maior polo industrial do Estado de Goiás, será dada uma atenção em 02 (duas) Secretarias de Estado, e como Governador vamos criar um Gabinete do Governo de Goiás na Cidade de Anápolis onde vamos despachar uma vez ao mês atendendo a comunidade de Anápolis e as cidades circunvizinhas.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Câmara homenageia professores com a outorga de comendas

20/10/2017

A Câmara Municipa, realizou, na última terça-feira,17, no Teatro São Francisco, sessão solene para a outorga da Comenda ...

Justiça faz trocar armas com defeito

20/10/2017

O juiz de direito da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Ricardo Prata, acatou ação impetrada pelo Governo de Goiás e d...

Governo faz homenagem a jovens com a comenda

20/10/2017

A ação transformadora da juventude e a reafirmação das liberdades democráticas foram destacadas pelo governador Marconi ...

Baldy relata projeto de fiscalização em insntituições financeiras

19/10/2017

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (18), o projeto de lei que aumenta o poder de Banco Central do B...